O que esperar de 2011 na visão do Gustavo Loyola

Nesta última sexta-feira fui fazer uma palestra para a FETCESP (Federação das Empresas de Transporte de Cargas de SP) sobre Tencologia Produtiva. Eu já fiz algumas palestras com eles e sem dúvida eu adoro passar por lá. O público é muito bacana e o acolhimento de conteúdo e idéias é sempre grande.

Antes da minha palestra o ex-presidente do Banco Central Gustavo Loyola, fez uma palestra sobre tendências da economia para 2010. Fiz algumas anotações e segue meu resumo:

Resumindo: só foram boas notícias. É nítido que o mundo pós-crise vai muito bem obrigado, os empresários estão motivados a investir e tudo indica que vamos continuar crescendo.

No Brasil:

  • A prova dos 9 será quando o governo retirar todos os incentivos e a reação do mercado for sentida. Apesar de que passamos com louvor em todo cenário de crise e isso não deve afetar muito.
  • Massa salarial deve crescer 5,6% acima da inflação o que é muito bom para a economia como um todo e a produção industrial deve ficar na casa de crescimento dos 5% em 2011.
  • O câmbio deve ficar estável em R$ 1,8 e a inflação deve ficar na faixa de tolerância dos 5%.
  • O BC deve crescer a taxa de juros até 11,25% para controlar essa inflação
  • O que vai crescer mesmo é o credito tanta para PJ quanto para PF e isso terá um impacto direto na construção cível (se pretende comprar imóvel fica esperto, porque vai valorizar ainda mais).
  • Como é um ano eleitoral o governo pode afrouxar a mão, gastar demais e errado (novidade…).

No mundo:

  • Essa crise dos PIGS (Portugal, Irlanda, Grécia e Espanha) é um risco e caso não honrem suas dívidas pode ter reflexo aqui no Brasil.
  • PIB Mundial deve crescer algo em torno de 3,7% em 2011
  • Nos EUA o pior já passou, deve crescer na casa dos 2,5% (mas sem muita geração de emprego).

1064585_time_is_money_1Para que todo esse “tralalá” de economista? Por que se você for comprar um imóvel, pensar em uma viagem com a família, caso você vá empreender ou pense em mudar de emprego, o cenário é super favorável.

A palestra me animou a investir mais na empresa, a procurar novos mercados, a tomar decisões de investimento em marketing. É um ano bom, vamos acreditar e usar nosso tempo para gerar ainda mais prosperidade. Para o País e para seu Bolso.

O Bombeiro e o Padre

A parte mais legal do meu trabalho é o contato com as mais variadas personalidades que você pode imaginar por esse mundo a fora. Eu sempre digo que é uma troca, eu ensino, mas aprendo muito mais e isso que faz a missão valer a pena no dia-a-dia.

Eu insisto que quando transformamos nosso hobby em profissão, a vida fica mais divertida, o tempo melhor aproveitado e o resultado financeiro é mais compensador.

Na semana retrasada eu fiz um treinamento de gestão de tempo, Triad Training, em Brasília. O curso estava lotado com diversas pessoas do governo e empresas da região, entre elas o Corpo de Bombeiros.

Estava presente um major que afirmou que os bombeiros não podem ser considerados os “reis da urgência”, pois eles não são! Boa parte (acima de 80%) do tempo dos bombeiros é dedicado a planejamento, prevenção e preparação e não a apagar incêndios. Eles focam no importante para que não vire urgente. Então nunca mais fale que você é um “bombeiro corporativo” porque não é verdade.pastor Bombeiro de verdade é planejado!

O segundo personagem desse curso foi o Padre Fernando, que literalmente é uma figura. Ele trabalhou com RH antes de ser padre e hoje juntou a sua missão pastoral a missão de treinador. Ele dá cursos sobre relacionamento, negociação, atendimento ao cliente, etc de graça aos seus fiéis. Bem legal a história. Mas o mais interessante é que ele é 100% high-tech! 

Ele usa o Gtalk para falar com os fiéis, para não ter de escrever um e-mail muito longo. Prepara seus sermões gravando idéias no celular e depois escrevendo via GDocs. Conhece um monte de dicas de skype, facebook, orkut, etc! Resumindo é a igreja, através de pessoas únicas, fazendo a tecnologia um aliado.

Tem empresa bem estruturada que não consegue 10% desse produtividade tecnológica. Talvez seja a hora de ter um evangelista no seu grupo! Pense nisso!

Você usa seu tempo com Qualidade?

Vivemos na época dos sem tempo. Não é difícil perceber que essa constatação é verdadeira em nosso dia-a-dia. Todo mundo vive reclamando que não tem tempo para nada ou que vive correndo. Mas será que o problema é realmente a falta de tempo ou a qualidade do uso do tempo que temos?super_hero

Boa parte das pessoas não tem problemas de falta de tempo, eu diria que para 80% da população a falta de tempo não é um problema. O problema está no uso que as pessoas fazem dele.

Em uma pesquisa da Triad com mais de 30 mil brasileiros, descobrimos que apenas 1/3 do tempo da população utilizado com as coisas realmente importantes. O restante é dividido entre coisas urgentes ou circunstanciais.

Esta última categoria vale uma explicação adicional, pois é aonde residem os problemas de qualidade de tempo mais freqüentes. Circunstancial é toda atividade que não traz nenhum tipo de resultado para sua vida, são atividades que você faz por obrigação ou necessidade social. É a esfera do tempo perdido, mal utilizado e que nunca mais será recuperado. Todos estão sujeitos a esse tipo de atividade no dia-a-dia, com reuniões desnecessárias, spams, festas sociais que não queremos ir, ligações telefônicas sem sentido e por ai vão.

Existem diversas formas de reduzir o circunstancial em nossa vida e termos mais tempo para as coisas realmente importantes. A primeira é reforçar seus modelos de planejamento, o que poucas pessoas conseguem fazer da forma correta e ter resultados. Planejar é antecipar, e isso significa ver pelo menos três ou quatro dias a frente. Quem “planeja” o dia seguinte está mais suscetível a ter atividades urgentes ou circunstanciais. Quanto mais a frente você pensar melhor para focar no Importante.

Outro aspecto essencial no planejamento é dar espaços e nunca lotar a agenda do dia. Para isso recomendo que você mensure as atividades do seu dia e veja quantas horas você tem planejadas x horas disponíveis. No começo, não planeje mais do que quatro horas para se acostumar a esse modelo antecipado de planejamento.

Além de planejar, é preciso que você tenha qualidade no uso do seu tempo, o que significa aproveitar o tempo presente de forma focada. Quando estiver com seus filhos ou família, esteja com eles de verdade. Não fique com eles e ao mesmo tempo com a atenção focada na televisão. Quando estiver trabalhando, feche seu e-mail, seu navegador e outros programas para ter atenção total ao que está fazendo.envelhecimento-saudavel

A desatenção e a falta de foco podem roubar horas do nosso dia sem percebermos. Focar não é uma habilidade que se adquire do dia para a noite, precisamos criar esse hábito em nossa mente. Comece com pequenas atividades, e depois comece a ampliar o seu tempo de foco.

E a última dica que gostaria de deixar aos leitores é ter tempo de qualidade para a pessoa mais importante de sua vida: você. Pode parecer simples, mas a coisa mais fácil de acontecer é ter uma agenda cheia de demandas para serem feitas e, neste caso, a primeira pessoa a ser retirada da agenda é si próprio.

Sem tempo si mesmo, você perde energia, vitalidade, vontade de executar suas ações diárias, fica mais cansado e sem pique. Atividades simples começam a demorar muito mais e fazem você perder ainda mais tempo. Coloque-se na agenda, pelo menos uma vez por semana. Institua essa boa prática e veja os benefícios. Pode ser uma simples quick-massage na hora do almoço a algum hobby que você ame praticar, mas faça sempre algo por você.

Ter tempo com qualidade não é mágica ou impossível, é mais do que factível uma vida com mais tempo e vida, mas isso depende apenas de você. Procure mais informações, livros e cursos sobre esse assunto e viva melhor.

Viva com Mais Tempo e Prosperidade!

76% dos profissionais trabalham mesmo doentes

Presenteísmo é o nome dado ao profissional que vai trabalhar mas tem sua produtividade afetada, por algum tipo real de problema de saúde. Real porque preguiça, má vontade, incompetência não é presenteísmo, é safadeza mesmo.

Esse foi o tema da palestra que fiz no fórum Você RH de Saúde, o assunto é extenso, mas vamos resumir alguns dados:

Atualmente pesquisas mostram que o custo com o presenteísmo pode chegar até 3% do PIB Brasileiro. Claro que são números subjetivos, pois é muito complicado mensurar o presenteísmo, mas dá para ter uma noção do que estamos falando.

sick_at_work

Em uma pesquisa recente do site de empregos Monster.com, com cerca de 33 mil profissionais revelou os seguintes dados:

  • 28% deles não ficam em casa e vão trabalhar doentes pois tem medo de perder o emprego.
  • 35% afirmam que  mesmo sem condições, trabalham devido ao grande volume de atividades e a sensação de não poder perder um único dia.
  • 13% disseram que ficam trabalhando de casa quando estão doentes.
  • Apenas 24% dos entrevistados revelou que prefere ficar em casa e só voltar a trabalhar quando estiverem plenamente recuperados.
    fonte

O problema é serio e está fazendo muitas empreas gastarem milhões de dólares em desperdício de tempo com toda essa improdutividade. O que fazer nesse caso?

1 – Ter um jogo aberto entre empresa e funcionário, permitindo que um problema de saúde identificado seja tratado com dignidade, sem o medo de perder o emprego.

2 – Treinar líderes para identificar funcionários com problemas de saúde e encaminhá-los para tratamento ou acompanhamento médico.

3 – Criar uma área na empresa de qualidade de vida voltada para identificação pró ativa, apoio e suporte de problemas de saúde crônicos como dores nas costas, dores de cabeça, dores de estômago, etc.

4 – Criar uma política de administração de tempo e produtividade corporativa, de forma a ajudar pessoas a terem tempo suficiente para executar suas demandas com equilíbrio para saúde e vida pessoal.

Essas são as principais sugestões que posso citar genéricamente para ajudar a minimizar o impacto do presenteísmo. O problema é sério e exige o envolvimento de todos dentro da empresa.

E você? Já foi trabalhar doente? Como sua empresa lida com essa questão?

Crianças no computador: problema ou solução?

Uma pergunta muito legal, que vou responder como pai, foi enviada pela Cristiane, leitora aqui do blog:

a nossa preocupação é com nosso filho que não sai do computador e não quer fazer nada se o tiramos do pc (12 anos). Assim, por favor tem algum artigo seu sobre o tema, pode nos falar como foi o seu caso com o pc na adolescência? Sugere algo para adolescentes que gostam de jogos, boots, hackers, além do famoso site do guia do hardware?

Eu tenho dois filhos (11 e 4 anos) e tenho um problema parecido, meu filho mais velho é viciado no PC, ele fica jogando online com os amigos. Bem, aqui vai minha opinião como pai e também algumas dicas que uso com meu filho e que apliquei no livro Você Dona do Seu Tempo com algumas mulheres.

06192009_familytime

1 – Minha experiência – Eu ganhei meu primeiro PC aos 7 anos, e desde esse dia nunca mais larguei a máquina. Eu chegava da escola e fica horas e horas ali no computador. Meus pais ficavam preocupados e me colocaram limites de horários e também caso tirasse alguma nota baixa, limitaria ainda mais meu uso. Como eu queria muito aprender a fazer meus próprios jogos e programas para vender, eu me dedicava para caramba ao estudo na escola, tiravas boas notas e ninguém tinha o que falar do computador.  Para mim, essa experiência me ajudou a formar quem eu sou. Se meus pais me tirassem o micro naquele momento, provavelmente ficaria desistimulado e não persistiria no meu sonho. No meu caso foi positivo, mas eu não ficava o tempo todo jogando.

2 – Computador é positivo, se bem utilizado – Hoje em dia, as crianças se desenvolvem no computador, quando elas jogam, aprendem inglês, desenvolvem a lógica e o raciocínio e com os jogos em grupos desenvolvem habilidades sociais de colaboração. O problema é que muitos jogos só são violência, apelo sexual e com pessoas que se aproveitam da ingenuidade infantil, ai que como Pais, precisamos ficar espertos. A solução é instalar programas de keylogger e rastrear tudo que nossos filhos fazem. Esses programas permitem capturar tudo que eles digitam ou que recebem, assim podemos monitorar qualquer desvio.

3 – Pais sem tempo é filho no computador – Quando estava escrevendo o livro para mulheres, essa era uma situação muito frequente: sem tempo e cansadas, as mães preferiam deixar o filho no computador do que fazer qualquer outra coisa. Seja por negligência, conveniência ou simplesmente estafa é uma verdade nua e crua. Por isso precisamos desenvolver atividades/atitudes familares:

  • Almoçar ou Jantar em conjunto e procurar saber mais da vida das crianças imagee dos adolescentes
  • Procurar atividades externas que eles queriam fazer e que você possa ir junto (cinema, parques, museus como o Catavento, jogos, viagens, etc) – se você não for amigo dos seus filhos enquanto eles são crianças, dificilmente os consquistará na adolescência.
  • Aprenda a jogar, ou pelo menos, peça para ele te explicar alguma coisa. Só de ver que você se interessa genuinamente já é uma grande abertura.
  • Estimule atividades empreendedoras no computador, exemplos de pessoas que ganham $$ na Internet é interessante. Por exemplo, meu filho me perguntou se o dono do jogo dele era rico. Ai fiz uma conta simples, se mais 1000 crianças no mundo por mês comprassem o que ele gasta no jogo. Ele ficou animado e mobilizou os amiguinhos para fazer seu próprio jogo. Se vai sair ou não, pouco importa, o interessante é plantar uma sementinha empreendedora.

4 – Faça parte da vida digital do seu filho – crie um msn, um skype, um perfil do orkut, facebook, twitter, etc.. Você tem que acompanhar a vida digital dele, fazer parte desse mundo, para interagir e ficar de olho!

5 – Estabeleça limites – Meu filho foi mal na prova de matemática, tirou 5, a média! Fiquei doido, claro, mas fiz o seguinte trato: 1 semana antes da semana de provas nada de computador, foco 100% nas provas antecipado, nada de estudar em cim a da hora. Sempre tomo dele a lição ou minha esposa, se não for bem, explicamos. Tirou nota baixa, 2 horas a menos de computador. Se tirar nota alta tá liberado! Provou que é responsável e que está aprendendo, tem crédito, esse é a meta e o trabalho dele.

Com certeza não tem uma fórmula mágica para lidar com nossos filhos. O que eu pratico é amor, amor, liberdade e responsabilidade. Confio neles e espero que eles retribuam essa confiança, tenho o tempo que eles precisarem de mim e quero ser o grande amigo deles. E você? O que faz com seus filhos?

Segue o artigo exclusivo para adolescentes: http://www.triadps.com/conteudo.asp?cd=187&opr=

Mapa Mental Mais Tempo Mais Dinheiro

Nosso amigo Rodrigoh finalizou o mapa mental do livro Mais Tempo Mais Dinheiro. O mapa ficou muito bacana e é um excelente resumo do livro.

Clique na imagem para ver o mapa ou acesse aqui

MaisTempoMaisDinheiroPequeno