Anúncios

76% dos profissionais trabalham mesmo doentes

Presenteísmo é o nome dado ao profissional que vai trabalhar mas tem sua produtividade afetada, por algum tipo real de problema de saúde. Real porque preguiça, má vontade, incompetência não é presenteísmo, é safadeza mesmo.

Esse foi o tema da palestra que fiz no fórum Você RH de Saúde, o assunto é extenso, mas vamos resumir alguns dados:

Atualmente pesquisas mostram que o custo com o presenteísmo pode chegar até 3% do PIB Brasileiro. Claro que são números subjetivos, pois é muito complicado mensurar o presenteísmo, mas dá para ter uma noção do que estamos falando.

sick_at_work

Em uma pesquisa recente do site de empregos Monster.com, com cerca de 33 mil profissionais revelou os seguintes dados:

  • 28% deles não ficam em casa e vão trabalhar doentes pois tem medo de perder o emprego.
  • 35% afirmam que  mesmo sem condições, trabalham devido ao grande volume de atividades e a sensação de não poder perder um único dia.
  • 13% disseram que ficam trabalhando de casa quando estão doentes.
  • Apenas 24% dos entrevistados revelou que prefere ficar em casa e só voltar a trabalhar quando estiverem plenamente recuperados.
    fonte

O problema é serio e está fazendo muitas empreas gastarem milhões de dólares em desperdício de tempo com toda essa improdutividade. O que fazer nesse caso?

1 – Ter um jogo aberto entre empresa e funcionário, permitindo que um problema de saúde identificado seja tratado com dignidade, sem o medo de perder o emprego.

2 – Treinar líderes para identificar funcionários com problemas de saúde e encaminhá-los para tratamento ou acompanhamento médico.

3 – Criar uma área na empresa de qualidade de vida voltada para identificação pró ativa, apoio e suporte de problemas de saúde crônicos como dores nas costas, dores de cabeça, dores de estômago, etc.

4 – Criar uma política de administração de tempo e produtividade corporativa, de forma a ajudar pessoas a terem tempo suficiente para executar suas demandas com equilíbrio para saúde e vida pessoal.

Essas são as principais sugestões que posso citar genéricamente para ajudar a minimizar o impacto do presenteísmo. O problema é sério e exige o envolvimento de todos dentro da empresa.

E você? Já foi trabalhar doente? Como sua empresa lida com essa questão?

Anúncios

7 Respostas

  1. Com esas alternativas acredito que ajudaria. Tem dois casos que tendo uma equipe capas de identificar e tomar providências necessárias seriam interessantes.
    Sabe quando você está doente, mas não o suficiente para ir ao médico (pois apenas ficar em casa resolveria) e acaba indo trabalhar e diminuindo sua produtividade. E sabe aquele dia que você deveria ficar em casa que tudo parece que dá errado, um psicólogo saberia identificar isso. Pois estresses que geram sintomas concretos também diminuem a produtividade.
    Eu não tenho medo de perder o meu emprego por faltar, porém, se eu não estou doente o suficiente para ir ao médico e conseguir o atestado, eu vou trabalhar, por não ter como provar a doença. E se estou estressada e com crises de enxaqueca nervosa por causa do estresse, também não dá para ir ao médico por isso, pois um remédio passa a dor de cabeça incomoda, mas não passa o estresse.

  2. A falta de equilibrio emocional interfere e muito na saúde das pessoas. O que ocorre muitas vezes é que o profissional não sabe separar a vida pessoal e a profissional. E se uma delas não vai bem, a saúde acaba prejudicada. Muitas vezes a nossa falta de motivação interfere na nossa imunidade e em consequência ficamos “doentes”. Acredito que quanto mais alegria e disposição tivermos para a vida, mais saudáveis seremos. Por isso, seja feliz para não ficar doente!

  3. Post interessante, este!
    Já que estou bem assim!
    Com dor de garganta! Pouco para ir ao médico e muito para não vir trabalhar.
    Mas se piorar, aviso meu chefe, e vou pra casa dormir. Minhas tarefas não estão atrasadas, e tudo corre bem. Eu comando o meu tempo! Valeu Christian!

  4. Estou com Tendinite desde outubro/09 e não consigo fazer o tratamento com dedicação por causa do meu trabalho. Já fiz algumas sessões de fisioterapia, mas teria que fazer muitas sessões ininterruptas. Devido ao tempo que isso leva, eu teria que chegar no meu trabalho todos os dias as 10h, porém não conseguiria compensar todo o horário por causa da faculdade.
    Tenho medo de perder o emprego pelo meu absenteísmo, de hora ir à consultas hora ir à fisioterapia.
    Por não fazer o tratamento direito, trabalho com dores e sei que a minha produtividade não é mais a mesma. Além disso sei que essa minha conduta de estar vivendo desta forma pode prejudicar minha recuperação total.

  5. […] 76% dos profissionais trabalham mesmo doentes […]

  6. Já fui trabalhar doente para nunca mais! Foi horrível, não consegui fazer nada direiro e ainda piorei! Não conseguia me concentrar para passar tarefas e ficava esquecida.

  7. JA tive problemas com estômago, alergias e dores nas costas sendo que raramente me receitavam licença médica. Eu mesmo achei que não precisava das licenças, mas é fato que dependendo do problema de saúde o trabalho rende pouco, o serviço pesa, e trabalhar assim é um suplício mesmo. Enfim ,complicado.

Responder

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s