Anúncios

Como aumentar minha performance nos estudos?

No começo desse ano tive a oportunidade de palestrar para muitas escolas e universidades, falando sobre produtividade para estudantes. A carência nesse campo de “performance para estudos” é gigantesca, tem pouca informação e muita demanda. Recebi algumas mensagens pedindo dicas sobre esse assunto e gravei um vídeo para o meu canal do Youtube sobre isso.

Estudar, assim como trabalhar precisa de método. Com as ferramentas certas e a metodologia de estudo correta, você consegue mais resultados com menos esforços. Simples assim. Não precisa se matar de estudar se você estudar da forma adequada. A mesma coisa com seu trabalho, se você aplica técnicas de produtividade pessoal, você faz muito mais com menos esforço.

beethoven-1294417586-hero-wide-0

Pequenas mudanças em horários, na alimentação pré e durante o estudo e na forma de planejar as matérias para estudar, faz uma diferença gigantesca. Uma das coisas que defendo muito é a utilização de música para estudar. Meus pais, quando eu era criança sempre deixavam Mozart, Beethoven e mantras indianos tocando baixinho na casa. No começo eu não gostava, depois acostumei e com o tempo em uma única lida na matéria eu já tinha boa parte do assunto na cabeça sem precisar reler diversas vezes. Sem querer eles acertaram em cheio no que fez a diferença na minha vida acadêmica.

Diversos estudos comprovaram que música barroca por exemplo, aumenta muito a retenção de informações. Algumas startups como a Focusatwill.com, aproveitando esses estudos lançaram serviços de música com esse objetivo. A Amazon em seu serviço PrimeMusic, também criou seleções de músicas para estudo, criatividade, foco, etc. Essa onda veio para ficar sem dúvida.

Essa e outras dicas estão aqui no vídeo. Aproveite para compartilhar com seus filhos em idade escolar ou seus colegas que reclama que não tem disposição para ir para a faculdade ou pós graduação.

Anúncios

5 estratégias para tornar sua manhã mais produtiva

manha produtiva

1 – Pense em seus objetivos durante o banho

Ao invés de cantar no chuveiro, visualize como seria se seus objetivos já estivessem realizados, como se fossem parte da sua vida presente, o que as pessoas falariam, o que você faz com as suas conquistas. Reflita nas suas ações como se tudo já tivesse acontecido. Agradeça pela realização. Seja grato a quem lhe ajudou. Pensar nos resultados futuros é um motivador diário e faz com que você conecte-se com as coisas importantes e prioritárias do dia.

 2 – Tome um excelente café da manhã

Esqueça aquele cafezinho com açúcar cheio de pressa que você toma enquanto procura a carteira para ir trabalhar. Reserve 10 minutos para sentar-se à mesa e tomar um café da manhã decente. Com pães, frutas, cereais, etc. Se ao acordar você não tem tempo de preparar a refeição, organize tudo no dia anterior. Se você não consegue 10 minutos para tomar um café de jeito algum, então esquece, você é um caso perdido! Lembra que quem quer faz, quem não quer arruma uma desculpa.

3- Ouça músicas ‘tesão’ no caminho para o trabalho

Seja no celular, no pendrive, no CD ou em qualquer outro meio, você precisa preparar um conjunto de pelo menos 7 músicas que te empolgam. Que te deixam pilhado, com vontade de sair abraçando o mundo. Pode ser no estilo “Simple the Best”, Sertanejo, MPB, ROCK, seja lá o que você gostar. O objetivo aqui é conectar-se com pílulas de empolgação musical.  Não vale rádio. Tem de ser uma playlist pessoal e especial.

4 – Revise as Prioridades

Chegou no trabalho, revise o e-mail (revise, não fique trabalhando nele!), revise as prioridades não cumpridas no dia anterior e ajuste a sua lista de prioridades. Pense nas atividades que precisam ser realmente atingidas no dia e planeje-as para que sejam executadas no melhor momento do seu dia.

5 – Beba água quente com limão

Isso é novo, mas tem muita gente comentado sobre os benefícios de beber água morna com gotas de limão. Além de ter vitamina C, regular o Ph do corpo, proteger o sistema imunológico,a combinação estimula seu raciocínio. O potássio do limão ajuda a nutrir seu cérebro. Eu tenho experimentado em alguns momentos, claro que o efeito não é igual ao espinafre para o Popeye, mas li tantos estudos sobre isso hoje que nem que seja por efeito placebo já dá uma ajuda.

10 dicas para você ser mais produtivo quando vier para o Vale do Silício e San Francisco

SiliconValley-082013

Desde que comecei a empreitada do Goboxi eu praticamente estou mais aqui em San Francisco do que no Brasil. Minha intenção por enquanto, não é residir aqui. Tenho muita coisa rolando no Brasil e preciso ficar no bate volta mesmo. Porém, com tantas idas e vindas a gente vai aprendendo alguns macetes. Na minha opinião, separei algumas dicas para quem estiver afim de visitar esse ecossistema empreendedor e tirar maior proveito:

1 – Visitas em Grupo

Eu recebi hoje na minha página uma pergunta do porque não criar uma “excursão de empreendedores para o Vale”. Pergunta interessante, pois esse modelo de “turismo empreendedor” está bombando ai no Brasil. Se antes a Tia Augusta levava você para a Disney, agora você tem diversos empreendedores que tem como “hobby” serem a Tia Augusta aqui do Vale do Silício.

Se você nunca veio para os Estados Unidos, seu inglês é básico e não tem nenhuma conexão por aqui, sem dúvida essa opção é válida, pode te dar acessos a empresas e locais onde sozinho você nunca conseguiria ir. Porém, está rolando até excursão onde o povo vai na “Best Buy” (similar a FastShop para quem não conhece) para ver como o modelo de varejo americano funciona ou que param na porta do Facebook para tirar foto do lado do “like”. Enfim, seja seletivo na escolha, vejo o roteiro, veja se terá visita dentro da empresa, se vão dar algum conteúdo interessante de verdade. Se não tiver nada disso, pede pelo menos um bonezinho para não se perder… tipo a Tia Augusta dava para as crianças lá na Disney.

2 – Planeje com antecedência

Não adianta querer visitar sem ter um bom plano do que vai fazer por aqui. Chegar e sair buscando o que fazer não rola muito. Isso inclui inclusive hotéis, carro e deslocamento. San Francisco é uma cidade cara para estacionar (você chega a gastar US$ 30 por até 3h), e ir a pé nem sempre é viável, por isso criar um roteiro de visitas que permita colocar o carro em um local central e se deslocar a pé em reuniões perto ajuda bastante. Eu fiz as contas e pelo meu nível de deslocamento usar taxi, uber ou Zipcar ficaria praticamente igual a alugar um carro, então prefiro ter o carro. Claro que tem os defensores da caminhada, ônibus, carona, bicicleta, etc. até porque a região é bem servida de transporte público, mas para meu budget o carro não mata, ai vale analisar o seu.

3 – Use o linkedin para reuniões

Quando eu preciso de algum perfil para alguma coisa eu gosto de procurar no LinkedIn e começo uma conversa com a pessoa. Aqui nos EUA isso realmente funciona. Em geral consigo um café para discutir algum assunto. Claro que isso não é do dia para a noite, por isso faça sempre o mais rápido possível. Reciprocidade funciona muito para persuadir alguém a te receber. Sempre pense o que você pode dar para a pessoa. Eu consegui o contato de um professor de Stanford, pois falei que era especialista em produtividade, ai ele disse que realmente seria muito bom ter mais tempo. Eu falei que o dia que ele me encontrasse daria 5 dicas de Windows e E-mail que iam dar pelo menos 30 minutos a mais por dia pra ele. Resultado: café aceito e algumas indicações de alunos para entrevista de trabalho para Goboxi.

4 – Para criar networking procure por eventos

Existem algumas comunidades aqui no Vale que conectam pessoas, aliás essa é a pegada por aqui: um ajudando o outro a criar conexões. A BayBrazil por exemplo, presidida pela Margarise (brasileira que mora aqui há mais de 20 anos) tem diversos eventos desse tipo e pode ajudar você a dar os primeiros passos no mundo empreendedor por aqui. Eu gosto também de ver o site Meetup.com ou Eventbrite.com, que tem diversos eventos legais acontecendo. Selecione aqueles do seu interesse, faça sua inscrição e no evento faça contatos. Com certeza descobrirá outras coisas que estão rolando do seu interesse na região. Aliás esse pode ser um excelente assunto para perguntar para alguém no Linkedin que ainda não conhece.

meetupsvalley

5 – Tenha foco, mas seja flexível

Foco e flexibilidade parecem palavras antagônicas, mas na verdade são complementares. Se você não tiver foco, vai se perder aqui no Vale. Com tantos eventos, reuniões, pitchs, competições, lugares e empresas para visitar, você vai ficar com a agenda apertada. Vai ter muita ação para pouco resultado. Crie um plano e fique focado nele. Porém se algo realmente interessante aparecer, que tenha uma relação direta com o que você está buscando, então seja flexível e adapte sua agenda para isso. Sem plano vai se perder. Sem flexibilidade vai perder sacadas. Tenha os dois sempre.

6 – Utilize um coworking

Se quiser respirar um pouco do dia a dia empreendedor do Vale, procure um espaço de coworking e passe uma tarde trabalhando por lá. Faça contatos, troque cartões, pergunte sobre as empresas que estão ali e participe dos happy hours. Eu tenho uma opinião bem definida sobre coworking conforme já escrevi em um artigo anterior, mas nesse caso eu realmente recomendo a experiência. Se quiser recomendações: WeDoWork, Geekdom, StartupHQ, CitizenSpace ou Founder Space.

7 – Não seja Tonto

Esse não vale só para o Vale do Silício, mas é vital reforçar. Se você for viajante de primeira viagem, saiba que aqui as leis funcionam e são aplicadas de verdade. Então cuidado com a cultura do “jeitinho” pois aqui o “jeitinho” pode te dar problemas. Eu já tomei multa por 2 minutos que deixei vencer o meu estacionamento. Eu quase fui preso e tive uma arma apontada pra mim, pois não achava minha carteira no carro e fiz movimentos bruscos quando ele mandou ficar parado. Sair pulando feito uma gazela alegre na Av. Paulista, depois de uma balada pode ser normal por ai, mas aqui vai dar meleca. Você pode ser preso por intoxicação pública. Seja turista, se está em Roma seja Romano, não seja babaca.

8 – Cuidado com segurança

Pode parecer estranha essa dica, mas eu tive o carro de um amigo arrombado, parado no estacionamento da Union Square (San Francisco) enquanto estávamos jantando. Claro que aqui não vai rolar sequestro relâmpago, mas não dá para dar mole. Se estiver de carro, deixe tudo no porta malas e nada visível se não quiser visitar a Polícia.

9 – Tenha telefone e Internet

Ficar no Vale sem Internet é tipo visitar a Itália e não comer massa. Aplicativos como Waze, Yelp, GasBuddy, AmazonMobile e Hotel Tonight são muito bem vindos e para isso você precisa de Internet. Se você for em qualquer loja AT&T ou T-Mobile pode comprar um chip com Internet e ligações ilimitadas para o Brasil por US$ 60. Para evitar o roaming e receber chamadas do meu celular no Brasil aqui nos EUA, eu uso o KICKSIM, que é um serviço gratuito que direciona as minhas chamadas aqui para o meu celular dos EUA sem pagar roaming, ou seja, nada de pagar valores absurdos para Vivo, TIM, Claro, etc.. é de graça e funciona perfeito.

10 – Dica de Roteiro

Para fechar, eu fiz um roteiro que costumo mandar para meus amigos com locais para uma visita turística, depois que acabarem suas reuniões de negócios (claro que apenas lugares bons e nada maligno com uma maçã).

1 – FACEBOOK: 1601 Willow Rd, Menlo Park, CA 94025

2 – Google’s lugar da fundação (1998): 232 Santa Margarita, Menlo Park

3 – Hewlett-Packard Garagem (1937), onde William Hewlett e David Packard começaram a HP: 367 Addison Avenue, Palo Alto

4 – Google First Office: 165 University Avenue , Palo Alto

5 – Frys: 340 Portage Ave, Palo Alto, CA – alternativa a Best Buy com o triplo do tamanho‎

6 – Stanford University: 450 Serra Mall, Stanford, CA 94305

7 – Google: 1600 Amphitheatre Pkwy, Mountain View, CA 94043

8 – Computer History Museum 1401 N Shoreline Boulevard, Mountain View, CA 94043

9 -  The Intel Museum and Intel Museum Store – 2200 Mission College Boulevard – Santa Clara, CA 95054

10 – The Tech Museum of Innovation -  201 South Market Street -San Jose, CA 95113

Espero que sua visita seja produtiva. Se tiver alguma pergunta, faça um comentário. Assim que juntar uma quantidade bacana de perguntas eu faço a parte dois desse post com as respostas que eu puder responder.

Como mudar o padrão de atraso

Que todo mundo está correndo a gente sabe, só que no meio dessa correria acabamos nos tornando, além de corredores, “atrasadinhos” também. Atrasamos na reunião, atrasamos para pegar os filhos na escola, atrasamos o relatório, atrasamos o happy hour, atrasamos o lazer, etc.

BlogFlightDelayed

Atrasar é uma consequência natural da correria, de um estado mental que entramos e que se reflete em diversas áreas da nossa vida. O pior é que nesse estado, nem sempre é uma realidade, pode ser apenas uma percepção, uma matriz que entramos sem perceber e acabamos vivendo essa ilusão.

Quer uma forma de começar a mudar esse padrão? Comece a ser mais pontual. É um pequeno começo mas que vai ajudar a fazer uma grande revolução. Se você marcar a reunião às 9 horas, programe-se para chegar às 8h45, talvez até antes. Se você tem um evento externo às 15h, planeje para chegar as 14h30 e assim por diante. Antecipe. Crie esse padrão mental e de atitude.

Esse “tempo extra” é o que evita problemas de caminhos errados, trânsito e também é o tempo que se tiver realmente “extra” pode ser usado para dar um tempo, para simplesmente sentar na cadeira e esperar. Uns minutos para você ler uma revista, um livro ou simplesmente pensar na vida. Desacelerar aos poucos para a vida começar a andar ao invés de simplesmente correr. Não é um conceito simples, mas é um conceito importante. Pense a respeito. Devagar!

5 coisas que impedem você de ter mais tempo

timeisgone

1 – Achar que não tem tempo

Anteriormente, eu escrevi sobre como tudo é uma questão de percepção em nosso cérebro. Se você fica alardeando para todo mundo que está correndo, que não tem tempo ou que vive estressado, esse será seu padrão de realidade.

Se você quer começar a ter mais tempo mude, primeiro, a forma como expressa isso no seu dia a dia. Você perceberá que, na verdade, você tem tempo sim, só que às vezes não enxerga isso, porque acaba se bloqueando. Experimente, durante os próximos dez dias, mudar o discurso e observar com mais propriedade os momentos que tem para você.

2 – Não ter tempo para você

Quem nasceu primeiro o ovo ou a galinha? Se eu não tenho tempo como posso ter tempo para mim? Essa é a questão. Se você não se coloca na agenda, o que vai acontecer é que sua energia, sua disposição, sua motivação será drenada e com isso terá menos foco, produtividade e concentração para exercutar suas atividades. Quando estiver mais esgotado, mais cheio de atividades é nesse momento que precisa acrescentar algo que só você pode fazer por você: um esporte, um hobby, uma meditação, um filme, etc.

3 – Planejar demais

Quem planeja demais acaba perdendo a flexibilidade, a espontaneidade, a liberdade. Planejar é fundamental, essencial e algo que você deve fazer constantemente, porém se você lota sua agenda, se não tiver antecipação de eventos, se não deixar buracos para você ou para urgências vai se prejudicar mais cedo ou mais tarde. Um exemplo clássico pode ser observado quando a pessoa fica o dia inteiro em reuniões, mas havia planejado umas seis tarefas para fazer no mesmo dia. Em que horário ela irá fazer isso? Vai roubar tempo pessoal? Um dia ou outro tudo bem, o problema é quando isso se torna um hábito. Planeje, mas com bastante consciência das suas capacidades de execução e de equilíbrio.

4 – Errar na água e alimentação

Nos últimos anos, devido ao livro Equilíbrio e Resultado e algumas pesquisas que estou participando, descobri como coisas simples fazem a diferença para nossa produtividade. Tomar mais água ao longo do dia ajuda na sua concentração, no seu foco e execução. A quantidade ideal, eu não posso dizer, cada um tem uma necessidade específica, afinal, até água em excesso faz mal. Outra questão é a alimentação. Aquela história de comer de três em três horas realmente é muito funcional, ajuda tanto quanto a água. Não acredita em mim, faça um teste: durante dez dias, deixe uma garrafa de água e algo saudável para comer ao longo do dia. Veja a diferença de ter esse bom hábito e de não tê-lo.

5 – Não aproveitar o tempo que parece inútil

O trânsito não está fácil em quase todas as cidades brasileiras, temos também diversos momentos de espera em clientes, consultórios, filas, etc. Enfim, temos um monte de tempo que teoricamente não poderíamos fazer nada, mas se pararmos para pensar ele pode ser muito útil. Eu recomendo você aproveitar todo esse tempo.

No carro, por exemplo, você pode comprar áudio livros, CDs de curso de inglês, espanhol ou até mesmo baixar o MP3 de vídeoaulas que você ia ver pela Internet e ouça no carro. Você pode andar com um caderninho ou tablet e na sala de espera do médico começar a rascunhar os passos do seu objetivo. Eu estou neste momento, escrevendo este artigo nos trinta minutos que antecedem o começo de um evento. Sempre temos algum tempo que parece desperdiçado. Comece a observar esses momentos e encaixar algo produtivo neles.

A importância do “follow up”

Uma grande diferença entre as pessoas que gerenciam bem seu tempo para as outras, é sua capacidade de cobrar e retornar a assuntos ainda pendentes.

Follow-Up

Uma pessoa que delega a atividade e só lembra-se de cobrar, muito tempo depois, perde toda a credibilidade, além do impacto que o atraso na tarefa pode gerar. É aquele famoso caso de quando enviamos um e-mail pedindo algo para alguém é só lembramos quando é tarde demais. Esse é o caso típico que um follow up ajuda bastante. Nesse caso a recomendação é ao enviar o e-mail, já adicionar uma tarefa ou até um compromisso para lembrar-se da atividade alguns dias depois. Assim nada se perde.

Sempre me perguntam, se o ato de delegar, por si só não deveria eximir sua responsabilidade sobre a tarefa, ou seja, se eu delego é porque confio que a tarefa seja feita da forma adequada e não preciso dedicar mais tempo nisso.

Se entendermos que a responsabilidade da tarefa é sempre de quem delega, você pode assumir o risco de que a pessoa faça da forma correta ou prevenir com um “follow up” e evitar maiores problemas. As duas opções estão corretas dependendo da situação.

Eu defendo que o “FUP (follow up – lembre)” deve ser feito em tudo e com constância. Isso vale para tarefas, mas também para suas metas pessoais, seus projetos, leitura, etc. O dia a dia consome nossa atenção e esses FUPs, ajudam a colocar nosso tempo naquilo que é realmente importante.

Pare alguns instantes, revise as pendências e crie seu FUPs para evitar maiores problemas! Fica a dica.

10 dicas para evitar o estresse nas suas viagens de férias

Eu vou sair de férias nessa quinta-feira, depois de um ano cansativo em termos de viagem e desenvolvimento de produtos. É merecido um tempo com as pessoas mais importantes da minha vida.

Muitas pessoas vão fazer a mesma coisa, várias empresas entram em férias coletivas, muita gente vai viajar e outras vão aproveitar para fazer os preparativos de festas de ano novo.

home-travel-garden-stress-travel-anxiety

Infelizmente nesse momento a correria, falta de planejamento e a última hora são fatores constantes de estresse. Para não fazer as férias começarem com o pé esquerdo, veja se alguma dessas dicas pode te ajudar:

1 – Faça um checklist da viagem – Reserve uma hora do seu tempo para pensar em tudo que precisa preparar ou levar para a viagem. Faça uma lista, imprima e vá “ticando” os itens conforme concluir a atividade. Deixe uma cópia em cima da mala e a outra na carteira, pois assim você aproveita qualquer momento para acrescentar ou executar itens.

2 – Separe os documentos – Canso de ver gente em aeroporto com documentos vencidos, passaportes que ficaram em casa, etc. Verifique validade, procurações, carteira de motorista, cartões de crédito, etc. Em viagens internacionais a atenção deve ser redobrada. Selecione todos os documentos, coloque em um saco plástico com fecho para evitar perdas.

3 – Deixe as contas em dia – Não adianta ir viajar e lembrar que tinha que pagar a luz e esqueceu o boleto em casa. Vai pagar multa e ouvir um monte. Por isso se possível deixe as contas em débito automático, ou tire uma xerox e leve o boleto com você para pagar via Internet. Deixe o original com algum parente ou amigo que em caso de emergência, quebra o galho de pagar para você.

luggage14 – Pense nas malas – Eu sou viciado em malas, sempre que viajo pra fora compro uma mala. Tenho mais mala que espaço. Eu sempre acabo sendo econômico no que vai e me ferro com o que volta. Por isso, dessa vez eu vou levar malas adicionais e caso precise não vou comprar mais um jogo. Revise se tem os cadeados adequados e se o zíper e o tecido estão em bom estado. Nada pior que uma mala arrebentada e suas cuecas na esteira do aeroporto, já pensou você catando cueca suja na esteira que ridículo?

5 – Pense no clima – Não custa nada antes de viajar revisar o clima do local. Tem lugares como o Nordeste do Brasil que não tem erro, vai ser calor. Agora a Disney nesse mesmo período pode ser calor ou frio, por isso revisar a temperatura não te coloca nem em frias nem em saunas, e ajuda a fazer uma mala mais consciente.

AirportSecurityCheckInLine6 – Pense nas desgraças – E se perder o cartão de crédito? E se perder o passaporte? E se o hotel não tiver a reserva? E se a casa alugada for golpe? E se alguém ficar doente? Pensar no “E SE” ajuda você a precaver alguns problemas. Eu coloco no Neotriad o telefone do consulado, da operadora de cartão de crédito, meu cartão de seguro, hospital melhor e mais próximo do Hotel que vou ficar, etc. Problemas podem acontecer, sofrer com eles na pressa é opcional.

7 – Passeio com tempo é melhor – Chegar no lugar e sair procurando algo para fazer pode ser legal por um lado e um tormento por outro. Em muitos lugares a última hora é cara e muitas vezes não tem disponibilidade. Por que não procurar na Internet passeios, reserva de carros, restaurantes, tickets para shows, etc.? Deixar para a última hora corre o risco de ficar sem, pagar mais caro ou não desfrutar do melhor.

8 – Deixe o trabalho em dia – Antes de sair de férias, deixe o trabalho em dia para evitar ser interrompido no seu descanso. Mande um e-mail com alguns dias de antecedência para seus pares, chefes ou subordinados com o que está pendente, com o que deve ser feito, ou documente suas funções e treine quem ficará no seu lugar.

9 – Pense na comunicação – Se a viagem é para fora do País, pense em como irá se comunicar com os familiares. As empresas de celular têm planos internacionais (que custam os olhos da cara), mas precisam ser habilitados. Se você tiver tempo vale pesquisar a operadora do local que você vai, pois muitas delas têm planos específicos para curtos períodos e vale mais a pena que aquele celular “mequetrefe” que você compra no aeroporto com cartão que custa o triplo.

10 – Passatempo para as crianças – Se você tem filhos como os meus, eles não curtem muito Baggio-420x0dormir na viagem e gostam mesmo é de se provocar o tempo todo. Mente vazia é besteira na certa. Que tal comprar um gibi, um livro, carregar o PS2, etc.? Se a paz não reinar na viagem, lembre-se que a culpa não é das crianças que estão fazendo o papel delas, é seu que não preparou o território.

 

Gostou das dicas? Então não deixe pra depois, compartilha com a família, imprime esse post, e vai “ticando” conforme for realizando. Assim você não intelectualiza as ideias, mas realiza de fato!

Boa viagem!

Ps.: como estarei de férias, vou deixar o blog e o Facebook sem atualizações por um tempinho!