Anúncios

O que uma menina de 13 anos tem a ensinar sobre tempo para Pais e Mães?

Estive na cidade de Dourados-MS este mês para uma palestra e conheci a Vitória, uma menina de 13 anos que é simplesmente uma leitora como poucas pessoas que conheço. Só que em um País como o nosso que conhecimento acaba criando uma “casta”, ela sofreu até bullying por ler tanto.

criancaslendo

Provavelmente ela já leu mais livros em 13 anos que a maioria dos Brasileiros, que infelizmente só leem espontaneamente apenas um livro por ano.

Agora o que faz isso acontecer? Com certeza as razões são diversas e além da minha competência de tentar explicar. Mas uma eu posso falar: o tempo dos pais para os filhos.

Se os pais não estimulam a criança com histórias para dormir, se a criança não vê os pais lendo, se não tem livros em casa, você não cria o modelo mental da leitura. Pais sem tempo de ser pais não tem tempo de criar a leitura na casa.

Quer filhos que leiam e que tomem suas próprias decisões? Comece a arrumar tempo para ler e para despertar em seus filhos a paixão pela leitura. Tempo é a base da leitura.

Eu pedi para a Vitória, me escrever uma redação sobre como ela usou o tempo dela de ler. Abaixo segue o texto na íntegra, sem revisões, corte ou comentários. Esse texto fala por si só. Que tal tirar um tempo para ler?

Como ocupei meu tempo para gostar de ler

Meu nome é Vitória e eu amo ler. Tenho treze anos e comecei a gostar de historias aos dois, quando minha tia Heloisa e meu tio Noé me presentearam com uma coleção de contos clássicos, livrinhos que meus pais e tios liam toda noite para mim. Sem duvidas aquele foi o melhor presente que já ganhei! A partir daí ganhava de presente livros de todos meus familiares. Cada dia (noite, para ser mais exata) me encantava mais com aquele mundo de fadas e bruxas, príncipes e princesas, e todas aquelas fantasias. Então cheguei à idade de ir à escola. Estava mais que ansiosa para aprender a ler sozinha e ter como devorar livros sem ter que ficar incomodando meus pais com "tonta um historinha pra mim?" "tonta mais uma historinha pra mim?" E enfim chegou o dia de começar a juntar as letrinhas. Nessa idade já tinha minha pequena coleção de livrinhos, era ver aquelas coleções que já fazia carinha de cachorro que caiu da mudança para meus pais. Então com sete anos já lia melhor e li minha primeira coleção de verdade, Harry Potter. O menino que sobreviveu me encantou desde o primeiro livro.

Com nove anos veio a mudança de escola, com essa idade eu realmente devorava os livros, já havia terminado a saga do testa rachada lia Percy Jackson e quantos outros ganhasse, onde ia levava um livro. Mas a nova sala não foi receptiva. Por gostar tanto de livros me achavam estranha, e por assistir jornal e estar sempre querendo usar palavras novas, me chamavam de doida. Não tinha amigos. Meus pais me ajudavam, mas prefira não contar muito, pois já tinham problemas demais. Então comecei a me agarrar cada vez mais aos livros. Qualquer momento livre eu lia. Neles ninguém poderia me magoar, eu viajava e me sentia imensamente feliz. Mas não deixei de sofrer com as ofensas. Até que três meninas muito especiais entraram na minha vida. Gabriele, Vitoria e Maria Eduarda se tornaram minhas amigas. As melhores que poderia pedir. Continuei louca por livros. E enquanto mais lia mais aprendia, eles me ajudaram a parar de me entristecer pelos comentários, que passei a ignorar. Já no sétimo ano não me via mais estudando naquela sala. Lembrei-me de uma lição aprendida em minhas historias preferidas, para mudar o mundo mude você mesmo.

Então mudei, mudei de turma, de postura, de rotina. Essa foi minha melhor escolha. Conheci novas pessoas, fiz amigos que me ajudaram a melhorar como Keli e Laura, achei pessoas que também gostavam de ler, mas nunca me esqueci dos velhos amigos. Leio os novos como se fosse sempre o meu primeiro livro, abro novamente os antigos. Pois o maior favor que se pode fazer a um livro é lê-lo. E o faço a qualquer hora ou lugar. Hoje o Importante da minha vida são meus livros.

Vitória Jacques Barrera de Almeida

Anúncios

Como publicar seu livro – Parte IV – Publicação & Venda

Para fechar a parte sobre a série como escrever seu livro (Parte I, Parte II, Parte III), vamos falar sobre a parte final e mais importante: como ver seu livro ser publicado no mercado.  Eu complementei esse texto com a série de marketing pessoal, que também vale como estratégia de vendas!

Muita gente pediu para falar um pouco mais sobre essa parte de publicação. Então seguem mais algumas sugestões:

Depois ter o texto pronto é que começa a verdadeira batalha, achar uma editora que ame tanto o seu texto como você e tope correr o risco de publicar. Aqui é importante que você entenda o porquê usei a palavra risco!

Publicar um livro é um risco para a editora. Se não vender, eles gastaram na produção, na distribuição, com assessoria de imprensa, no desgaste político com as livrarias, etc. Cada vez mais as editoras estão criando métodos, negociações e contratos para minimizar esse risco, por isso se você for um autor de primeira viagem, seu trabalho de convencimento será muito maior.

1 – Publicação

Existem centenas de editoras no mercado, você precisar achar a editora que é forte no segmento que você está escrevendo. Não adianta querer publicar ficção em uma editora de negócios, não rola. É um meio extremamente segmentado, se não souber que editoras publicam seu tema, vá à livraria, veja livros similares ao seu e anote o nome das editoras.

Assim que achar a editora, você precisa entrar em contato com eles. Se tiver alguma indicação é mais rápido sem dúvida, se não tiver, mande um e-mail pelo site e seja persistente, paciente e insistente.

Toda editora tem um editor, que é o cara que seleciona que livros devem ser publicados, imagina o dia-a-dia desse cara: recebe um monte de e-mail de gente querendo publicar livros, recebe um monte de livros para ler, ainda tem um monte de outras demandas e precisa achar “pedras preciosas” que vão vender milhões na livraria. Não é fácil ser editor.

Quando entrar em contato, crie algo de impacto, algo que vai chamar a atenção do editor, do porque seu livro deve ser publicado. Se ficar no senso comum, vai entrar na fila de espera.

Existem editoras e editoras. Publicar o seu livro por uma editora desconhecida pode ser uma oportunidade (como facilidade de acesso, negociação, etc), mas também pode ser um problema para o seu livro aparecer na livraria. Existem negociações dos grandes grupos editorais com as livrarias por espaço, muitas vezes a pequena não tem cacife para bancar isso e ai fica por sua conta e risco fazer do livro um sucesso.

Se não tiver jeito e você estiver com pressa, uma alternativa são as editoras por demanda, que imprimem o livro conforme as pessoas vão comprando ou até uma publicação própria sem editora e você tentar vender diretamente (alguns palestrantes fazem isso e se dão muito bem, devido ao público de suas palestras).

Se o seu livro for publicado, tiver repercussão e vender bem ai fica tudo mais fácil para os próximos livros. Hoje em dia eu tenho portas abertas em muitas editoras, posso escolher a mais adequada ao livro que estou escrevendo e negociar as condições.

2– Estratégias para Vender seu Livro

Supondo que você foi aprovado na editora, seu livro foi publicado e está na livraria, é agora que começa a brincadeira para valer. No começo, é realmente emocionante ver seu nome na prateleira, dá vontade de comprar o livro em cada livraria que você visitar (no começo você irá a muitas..rssrsr), depois de passar o vislumbre é o momento de pensar como fazer o livro vender.

Acho que não tem uma fórmula para fazer isso acontecer. E também aquela coisa de que apenas bons livros vendem é mentira. Tem muito lixo que vende mais do que muita coisa boa. Acho que tudo depende de carisma do autor, networking, marketing, imprensa e esforço pessoal.

O livro O Segredo, apesar de não ser um dos meus favoritos, foi sem dúvida um dos maiores bestsellers mundiais dos últimos anos. O nome do livro, a pegada da autora, o layout, o preço, o apelo de vendas juntos fizeram do livro um fenômeno de vendas.

No Brasil, um case recente é o meu amigo Anderson Cavalcante, com o livro O que realmente Importa. Ele conseguiu emplacar esse livro, depois de um ano do lançamento, já está na 13ª edição e a diversas semanas na lista dos mais vendidos. O livro é legal, mas a competência do Anderson no relacionamento com os livreiros fez a diferença. Você entra na livraria e dá de cara com o livro, esse posicionamento ajuda na hora de vender.

Vender um livro é um conjunto de fatores. Como comentei na parte I, particularmente gosto muito de reforçar ações de imprensa, marketing, palestras e minha própria rede de sites. São ações que já suportam bons meses de venda. No meu próximo livro vou experimentar coisas diferentes, depois eu conto se vai dar resultado.

E você, o que faz você comprar um livro? Conte aqui para a gente !

Estou pensando em escrever uma outra série tipo essa que fiz para o livro e marketing pessoal. O que vocês preferem? Opções: 1- Como ser um Palestrante? 2 – Como ser um Empreendedor? 3 – Qual sua sugestão????

Campanha Você Dona do Seu Tempo

vocedonaseutempo-BAIXAFechei uma promoção especial para o livro Você Dona do Seu Tempo com a Editora Gente e a Saraiva, conseguindo baixar o preço do livro para R$ 19,90.

Esse foi o livro mais difícil da minha carreira. Levei praticamente 11 meses para concluir todo o trabalho. Tive de pesquisar, reescrever capítulos diversas vezes, ouvir muitas especialistas, sair a campo para fazer entrevistas até conseguir passar pela aprovação das leitoras crítica s que validaram o livro.

Foi uma experiência muito legal. Mudou minha forma de pensar, eu era muito machista antes desse livro, para mim não existiam diferenças entre homens e mulheres na gestão do tempo. Que engano!

Esse livro não é válido só para mulheres não, aliás 90% dos e-mails que recebo sobre esse livro são de homens.

Um resumo dos capítulos do livro:

  • O primeiro capítulo ensina você a entender a diferença entre Importante, Urgente e Circunstancial de forma que também possa mensurar como gasta o seu tempo nessa Tríade e como adotar um novo posicionamento na sua rotina diária.
  • O segundo capítulo ensina você a escolher uma ferramenta para servir de base para aplicação das técnicas de gestão de tempo, de acordo com seu estilo pessoal.
  • O terceiro capítulo ensina você a definir metas para sua vida de uma forma simples e visual. Gestão de tempo está diretamente a sua capacidade de realizar objetivos e direcionar sua vida.
  • O quarto capítulo ensina a usar a ferramenta escolhida para identificar os papéis importantes de sua vida e a forma de se planejar para conseguir mais tempo no dia-a-dia.
  • O quinto capítulo fala especificamente da Gestão de Tempo no trabalho, com diversas técnicas para você conseguir mais tempo na sua profissão emultitasking4 também implementar essa consciência de foco e produtividade na sua equipe.
  • O sexto capítulo responde aos anseios de muitos comentários na pesquisa, ele mostra como conseguir mais Tempo para viver pelos seus relacionamentos importantes.
  • O sétimo capítulo fala sobre o equilíbrio entre vida profissional e vida familiar e como conseguir mais tempo para ficar com sua família e aproveitar esses momentos. Várias dicas e sugestões recolhidas nas entrevistas foram citadas nesse capítulo para você ter mais tempo com sua família.
  • O oitavo capítulo foi feito para as mulheres que tem filhos e ensina como dedicar mais tempo para seu papel de mãe e também técnicas para ajudar seus filhos (crianças e adolescentes) a gerenciarem o seu próprio tempo e se motivarem a definir suas metas pessoais.
  • O nono capítulo é ideal para as mulheres que querem reduzir seu tempo nos afazeres domésticos, ensinando como compartilhar as responsabilidades na casa, como delegar corretamente para sua empregada doméstica e dicas de especialistas para manter a organização doméstica.
  • O décimo capítulo é a conclusão do livro, mostrando os principais perfis de tempo das mulheres com soluções e resume os próximos passos para aplicação do que foi ensinado e como manter esse hábito.

Para saber mais informações sobre o livro: www.triadps.com/mulher

Se te convenci a comprar ou dar de presente para alguém que você goste muito: http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/1996939/voce-dona-do-seu-tempo/?ID=BB6A64017DA0A0413070A0847

Man in The Arena: Entrevista inteligente sobre Produtividade

Há algum tempo eu venho falando sobre o Man In the Arena, que foi idealizado pelos meus amigos Miguel Cavalcanti e o Leo Kuba. O formato do programa é web, totalmente informal, descontraído e com assuntos relevantes sobre tecnologia, livros, internet, negócios, etc.

Vale a pena você adicionar esses dois caras na sua rede de contatos, além de serem bem sucedidos em seu ramo de atividades, são pessoas que estão sempre atualizados, lêem muito, são inteligentes e conhecem bastante sobre mundo digital.

Algumas semanas atrás, tive a honra de ser um dos entrevistados do programa. A entrevista foi muito bem direcionada e com perguntas bem inteligentes. Nada muito convencional ou que sempre me perguntam, deu para explorar alguns temas interessantes. Veja o vídeo e se tiver alguma pergunta que não respondi pode comentar que me agendo para responder!

Caso o vídeo não abra: http://vimeo.com/14151316

Como escrever seu livro? Parte 3 – Publicação

Este post vai explicar como você pode fazer para publicar seu livro. Como já falei antes, esse post é exclusivamente minha opinião ou o como eu fiz, o que não significa que “deve ser somente desse jeito”. Na parte 2, eu falei sobre o processo de criar o conteúdo do livro, neste post vou considerar que o livro está pronto.

Sim, o livro precisa estar pronto ou pelo menos bem no caminho delivroforno finalizar para uma editora dar crédito. Pensa assim: lançar um livro é um negócio de risco para a editora, eles tem de apostar em alguém, pagar todos os custos de revisão, capa, marketing e distribuição e correr o risco do livro encalhar na prateleira. Por isso, se você for uma pessoa desconhecida, a análise será muito mais criteriosa, se tiver algum tipo de visibilidade a coisa facilita, mas não resolve tudo. Se tiver só a idéia, ela não vale nada, por mais brilhante que seja, é apenas uma idéia.

1 – A escolha da Editora

Escolher a editora não é fácil, existem centenas de opções no mercado nacional. A editora é sua sócia no livro e como qualquer sociedade escolha bem, por isso cuidado com a escolha. Você não pode escolher uma editora porque ela simplesmente quer seu livro, você precisa pensar nos objetivos do seu livro e se ela tem a ver com o mercado do seu livro.

Se você escreveu um livro de negócios procurar uma editora de auto-ajuda pode ser um tiro no pé. Claro que hoje a maioria das editoras publica muitos estilos, mas ela é sempre mais forte em um ou outro tema e isso faz diferença no posicionamento com o livreiro. Por exemplo, nas editoras que tenho livro publicado:

Editora Gente – Começou com foco em auto-ajuda, ainda é o carro chefe, mas no último ano com a nova gestão andou fortalecendo e se posicionamento na área de negócios.  (Você Dona do Seu Tempo)

Editora Agir – É do Grupo da Ediouro (se não me engano o maior do País), seu foco atual são os livros de negócios. (Estou em Reunião)

Editora Thomas Nelson – É uma editora Americana que tem participação do Grupo da Ediouro, publica livros de auto-ajuda, finanças  e negócios. (Mais Tempo Mais Dinheiro)

Editora Campus – É a Premium no segmento de gestão/negócios/educacional, publica os principais nomes americanos. São livros caro, para um público premium.  (A Tríade do Tempo)

Quando eu estava no Capítulo 7 do Livro A Tríade do Tempo, eu não tinha uma editora, nunca ninguém tinha ouvido falar do meu nome, mas eu tinha um sonho gigante de publicar esse livro. O que eu fiz foi listar as 10 editoras de negócio com sites com contato (não conhecia ninguém da área) e comecei a enviar e-mail com um pequeno sumário do meu livro. Na época das 10, apenas 1 me respondeu (depois de enviar pelo menos uns 10 e-mails para cada editora), marquei uma reunião com o Editor (o cara que lê e aprova ou rejeita o livro) e ele gostou do que leu. Falou que ia ler o livro e me enviaria uma proposta.

Nesse meio tempo, eu continue escrevendo e conheci no Empretec uma pessoa que se tornou um grande amigo e que admiro, Ricardo Galuppo. Que é um dos grandes jornalistas desse País, passando por chefias nas Revistas Veja, Exame, Forbes e hoje Brasil Econômico. Na época ele estava sendo o Ghost Writer (cara que escreve por outra pessoa) do Abílio Diniz. Como conheci O CARA, eu pedi a gentileza (como nunca tinha escrito nada) dele revisar um capítulo do meu livro e dizer se estava ou não legal. Ele revisou e gostou tanto que revisou o livro inteiro e não só isso, me indicou para o Editor da Campus (Marcelo Mello – hoje companheiro de blog na HSM) que leu o livro e gostou.

Na época eu tinha 23 anos, cara de criança e um livro na mão. O Marcello delicadamente disse: “legal, mas na hora da capa você se importa de não ter sua foto? Porque se o pessoal ver sua cara de criança não vão dar credibilidade. É melhor o cara ler e não ver, nesse caso!” E assim foi, deu certo e hoje tenho 4 livros e um saindo forno.

2 – A negociação com a Editora

Quando a editora aprovar seu livro, eles vão enviar um contrato e ai a coisa começa. Quem acha que vai ficar milionário com livros é negociacao melhor repensar a idéia.

Em geral em uma primeira negociação com um autor desconhecido a editora vai te pagar no máximo uns 8% sobre o valor de capa do livro.

Isso significa que se seu livro sair na livraria por R$ 30,00 você irá receber R$ 2,4/livro e ainda precisa descontar os impostos desse valor (PJ ou PF). Aliás o preço de capa do seu livro, deveria estar na discussão inicial do contrato, quem decide isso é a editora, mas você pode tentar influenciar.

As editoras pagam em média a cada quatro meses ou seis meses, eles apuram as vendas, diminuem de devoluções, descontam os impostos e depositam na sua conta. Ou seja, no começo você vai receber pela venda dos seus livros 2 ou 3 vezes no ano! E olhe lá!

Outro ponto interessante a observar no contrato são as cláusulas de rescisão, internacionalização, distribuição de conteúdo em seus próprios cursos ou textos e marketing.

Esse último tópico é importante, pois sem marketing um livro raramente sai do lugar. No meu primeiro livro o marketing foi praticamente zero, ou seja, põe na livraria e vê o que acontece. Hoje é uma das coisas que brigo na negociação e o que me faz decidir por uma ou outra editora.

Esse é assunto grande, vou abordar no último post dessa série, falando especificamente sobre marketing do livro, marketing pessoal, buzz, ações de web e etc. Até!

Como escrever seu livro? Parte 2 – Conteúdo

Dando continuidade ao post sobre planejamento para escrever seu livro, nessa segunda parte vou abordar o principal fator de qualquer livro: seu conteúdo.

A escolha do tema central do livro é muito importante e o passo inicial para começar o trabalho. Na parte 1, citei que uso o modelo de Mapa Mental para planejar a execução do conteúdo, mas para chegar no Mapa eu preciso ter na cabeça sobre o que vou falar, linha de pesquisa, etc.

1 – Escolha  do Tema

Sem dúvida essa é a parte mais importante. O mercado está saturado de livros, muito raramente alguém consegue fazer uma coisa muito diferente do que já existe. O que não significa que se você fizer algo que já existe, não seja bom. Eu ando batendo muito na tecla do que o Michael Porter fala, que você não precisa ser o melhor. Você precisa ser único. goals-parte3

Eu nunca quis ser o melhor cara de gestão de tempo, nunca busquei  isso. Eu sempre quis ser o único cara que falava de gestão de tempo e dava algum tipo de ferramenta prática pra coisa não ficar só na teoria. O único a balizar minhas teorias em pesquisas estatísticas sobre uma base real no tema. Ninguém tem esse tipo de dado/informação e até alguém conseguir formar esse volume de dados, eu já criei outras coisas.

Brigar por ser o melhor é uma luta que nunca acaba, mas brigar para ser único te força a inovar, buscar coisas diferentes, agregar valor para o leitor.

O  livro precisa ter um ponto central e a partir dele criar os sub-itens que vão compor os capítulos e guiar sua linha de trabalho (ai você utiliza o modelo de mapas mentais que citei). Por exemplo:

No caso do Você Dona do Seu Tempo, o tema central era ajudar mulheres a terem mais produtividade independente da profissão de forma bem prática. Ser um livro gostoso e com muita profundidade no universo feminino.

No caso do Mais Tempo Mais Dinheiro, o tema central era unir esses dois assuntos de forma metodológica, com um roteiro de ações que ajudasse o leitor a conjuntamente melhorar nesses dois itens.

Demora pra chegar nesse ponto central, assim como desenvolver uma missão pessoal, a missão de uma empresa,etc. Torná-lo único é mais difícil ainda. A pergunta que você precisa responder é: Qual a missão que meu livro atende que o torna único?

2 – Pesquisa do Tema

Depois que você escolheu seu tema, vale dar uma pesquisa no que já existe ou referências sobre isso. Até para você se distanciar dos modelos anteriores.

A pesquisa do tema vai se construindo com o tempo. Quando coloco o tema na cabeça eu começo a fazer o seguinte para pesquisar sobre o assunto:

1 – Coloco no Google Alerts palavras chave sobre o temaspam3

2 – Faço uma pesquisa do assunto no google e me cadastro em uns 3-4 blogs sobre esse assunto ou correlacionados.

3 – Vou em sites de universidades americanas que realizam pesquisas nesse tema e envio e-mail para alguns departamentos para ver se tem algo novo.

4 – Aviso minha equipe Triad sobre o assunto e peço que me enviem qualquer coisa relacionada.

5 – Qualquer coisa que eu achar eu jogo pro Neotriad, como Informação, colocando associado no projeto do livro.

6 – Agendo 1 dia para revisar o material que tenho e associar com as minhas idéias. (em geral nesse momento já monto o mapa mental)

7 – Quando a coisa é legal eu já publico no meu blog também e depois já fica que quase pronto pra escrita do livro.

Eu deixo isso rolando durante a escrita do livro e depois, caso alguma coisa legal sobre a temática surja eu já fico antenado. Vale ressaltar que isso é apenas um apoio, pois informação demais pode te paralisar.

3 – Desenvolvimento do Tema

Eu já falei sobre como faço para escrever e revisar no outro post, nesse quero falar sobre a parte de texto bruto mesmo.

Cada escritor tem o seu próprio estilo, eu gosto de escrever como se estivesse falando para meu leitor na frente dele, de forma bem direta, fácil entendimento e suave. Bem coloquial.

Eu odeio ler livros aonde o autor parece ser um professor de Mestrado quando escreve. Eu adoro o Falconi, é sem dúvida o Peter Drucker brasileiro, excelente de palestra, agora escrevendo eu não gosto do seu estilo. Ele escreve como se estivesse dando aula, é chato e muitas vezes o entendimento fica superficial. Cita demais outros autores no meio do texto e foge de aprofundar o ponto no meio da explicação.

Na minha opinião, acho que o texto de um livro de gestão ou auto-ajuda (que parece que não, mas tem muito a ver no estilo) precisa ser composto de um ciclo básico:

  1. Apontar o problema
  2. Justificar com dados
  3. Propor uma solução
  4. Mostrar cases de resultados, validando a solução
  5. Criar um modelo de aplicação super prático que o leitor faça agora e não apenas fique teorizando

O livro A Tríade do Tempo é um livro na linha de gestão, tem muitos dados, cases, pesquisas, metodologia, anexos, etc. O livro Você Dona do seu Tempo é auto-ajuda, tem histórias de mulheres, lições de vida,etc Mas ambos seguem o mesmo esqueleto acima.

Essa seqüência ajuda a montar a estrutura do capítulo, e me permite concluir 1 capítulo por semana, conforme citei no planejamento.

O escritor e consultor Stephen Kanitz, publicou nessa semana um post exatamente nessa linha que estou escrevendo e ensina como ele (um escritor realmente profissional) escreve, vale a pena a consulta.

No último post dessa série vou falar da parte mais importante: como vender seu texto para a editora e seu marketing pessoal pós-livro. Até lá!

Como planejar para escrever seu livro? Parte 1

Recebi um monte de mensagens perguntando sobre como eu faço para escrever um livro, como me planejo e perguntas relacionadas. Esse post é um resumo da minha forma de me planejar e escrever, o que não significa que é uma “best practice” é o jeito que encontrei.

Como foram dúvidas muito diferentes, vou dividir o post em 3 partes. A primeira é essa sobre planejamento. A segunda sobre o relacionamento com as Editoras e a parte final da escolha do tema, pesquisa e desdobramentos.

Passo 1 – Mapa Mental

A primeira coisa que faço quando recebo a encomenda de um livro ou PlanejamentoLivroMaisTempoMaisDinheiroquando estou pensando em escrever sobre um livro é o desdobramento do livro em um mapa mental. Antes do livro começar eu já sei o começo, meio e o fim. Isso guia meu raciocínio lógico.

Eu já comentei sobre mapas mentais aqui no blog, essa técnica é muito legal para ter as macro idéias.

O que não significa que não possam haver alterações! Claro que elas acontecem, mas nunca fugi muito do plano inicial.

No meu último livro – Mais Tempo Mais Dinheiro o processo foi exatamente esse. Em um sábado, em Santos, agendei a reunião de planejamento com o Cerbasi e fiz o mapa mental que vocês podem conferir. Essa é a versão ORIGINAL, durante o nosso brainstorm (desconsiderem eventuais erros de ortografia). Quem leu o livro e comparar vai ver que seguimos 85% desse roteiro. No começo o nome dos ciclos eram outros, quando começamos a escrever isso mudou e acrescentamos o ciclo da Frustração. Essa reunião demorou exatamente 4 horas, pois nas palestras que fazíamos em conjunto há mais de 5 anos, nas salas de aeroporto, nos almoços, já fazíamos um “brainstorm não estruturado” juntando as pecinhas de tempo e dinheiro, então facilitou o trabalho.

Se um capítulo encrespar de dificuldade, eu volto no mapa e faço mais detalhes macro do capítulo, o que ajuda o texto a fluir.

Passo 2 – Planejamento de Execução

Com o mapa mental na mão é o momento de começar a colocar o brainstorm de uma forma que eu execute ao longo do meu dia-a-dia. O que eu faço é ir no Neotriad, crio um Projeto ou uma Meta (depende do nível de desafio do livro) e defino as atividades (tarefas) da seguinte forma:

1 – Cada capítulo vira uma tarefa com duração de 30 minutos, mas com data de início na segunda e data de término no domingo de uma semana específica. Por que isso:

– Eu não sou aqueles caras que sentam e escrevem com facilidade, eu preciso estar disposto, com saco e motivado a escrever.

– Cada capítulo, em média eu gasto uma média de 4 horas para escrever (depois de pesquisa, brainstorm, etc). Mas EU não agüento escrever horas seguidas e também eu não uso meu horário comercial para escrever (escrevo a noite), por isso eu deixo essa tarefa no meu Neotriad que vai aparecer a semana toda sem atrasar. O dia que eu estiver com saco, eu sento e escrevo, o que em geral dá uns 30 minutos. Tem semana que todo dia eu escrevo 30 minutos, em outras, eu escrevo 1 hora na sexta, 1 hora no sábado e fecho no domingo. Isso me dá flexibilidade, não prejudica meu planejamento de horas e faz com que eu não atrase o capítulo.

Abaixo segue o planejamento do livro Estou em Reunião direto do Neotriad. Eu tenho um meta de livros para 2010, então eu faço o planejamento todo ali. Reparem que eu coloco a data que vou fazer a entrega final do texto para editora (em geral 1 mês de antecedência do prazo deles), crio também tarefas de revisão e pesquisa, que não fazem parte da tarefa de escrita.

image

Como eu escrevo?

Como já afirmei eu não sou um escritor de profissão, tenho de ser persistente para escrever, preciso estar realmente a fim de fazer. Eu não faço retiro espiritual, período sabático, etc. Eu escrevo em CASA, na minha sala de TV, após meu horário de trabalho, após as crianças irem para a cama.

Eu preciso de som/tv para escrever, logo sempre escrevo ouvindo música, DVD ou principalmente vendo NOVELA ou SÉRIE (sim eu vejo novela)! Quando estava a novela Caminho da Índias (que era muito legal) o livro Mais Tempo Mais DInheiro, fluiu que foi uma beleza.

Agora a novela Viver a Vida tá mais chata que jogo de futebol, então o livro também tá difícil de sair. Espero que a novela melhore ou vou atrasar o livro! ahahahah

Eu uso o Microsoft Word, com zoom de 120% em um template que já tem formatado os estilos de Texto, Título, Sub-título, Capítulo que me fazem ganhar tempo na diagramação. Uso fonte arial 11, com espaçamento de 1,5.

Passo 3 – Revisão / Releitura

Ai está o maior problema das pessoas que querem escrever seus livros: eles voltam demais no texto escrito. Mexem tanto na busca da perfeição que não conseguem evoluir. Eu odeio reler algo que escrevi, eu penso muito mais rápido do que escrevo e isso as vezes come umas palavras e o sentido não fica tão bom. Mas se eu ficar parando para revisar quebra meu ritmo.

O que faço é escrever tudo sequencialmente. Quando acabo o capítulo passo par alguém revisar. Quem faz esse papel é o Eric, revisor e pesquisador da Triad e principalmente (já fazendo uma linda homenagem) a minha esposa! Que pacientemente lê, crítica, muda e opina em todos os capítulos que escrevo. Eu mando o Word para ela que me devolve revisado e pronto. Nem vejo nada, a não ser quando tem alguma observação dela que preciso mudar alguma coisa.

Quando tem dado de pesquisa ou estatística, passa pelo Eric para revisar os números também.

Eu só vou reler o livro, depois que envio o texto original para a editora, eles fazem a revisão deles e me enviam para aprovação final.

Passo 4 – Estratégia de Lançamento / Marketing

Enquanto estou no processo de revisão eu também crio as atividadesFilipeta Estou em Reunião 02.indd de marketing do livro, como site, vídeos, testes, parceria com imprensa, distribuição a clientes ou parceiros, seleção de blogs para envio de resenhas, etc. Tudo se transforma em um projeto de marketing que é compartilhado coma minha agência.

Independente do marketing da editora, a minha equipe faz todo o planejamento, revisão e sugerem algumas peças também.

Parcerias com livrarias, palestras e eventos em geral também são acordados nessa fase com a editora. O que eu faço é transformar tudo em tarefas de quando será feito e crio uma tarefa de follow-up para saber se foi realmente executado.AnuncioESP-090606

As imagens mostram o anúncio do livro em algumas revistas e a parceria com o Submarino, que saiu em um anúncio no Estado de São Paulo.

Nesse momento também já começamos a preparar uns 3-4 releases sobe o livro que a equipe da minha assessoria de imprensa começa a disparar.

No começo essa parte de imprensa era muito complicada, ninguém sabia quem eu era e ninguém me dava espaço. Mas sou extremamente persistente e hoje conseguimos emplacar sempre em cada lançamento umas 80-120 matérias sobre o livro na imprensa geral. Também seleciono alguns veículos para dar entrevistas ou conteúdo exclusivos. Sem esses parceiros não tem livro! Por melhor que seja. É importante respeitar a mídia, ser parceiro e ajudar. Nada de frescuras ou não me toques. Eu atendo todo mundo e trato igual, seja a Revista Veja ou a Zé da Esquina.

(veja nossas publicações na imprensa: www.triadps.com/imprensa)

É isso! Simples assim! Não tem mágica, simpatia ou ghost writer. Eu demorei 30 minutos pra escrever esse post, fiz porque estava afim e porque gostei da sugestão dos leitores. Eu só escrevo coisas que acredito, que pratico e que acho que podem ajudar alguém. Ache um propósito, descubra um por que e você vai ver seu livro sair!

Veja a continuação desse post: Parte 2 ; Parte 3 ; Parte 4