Anúncios

Será que meu tempo precisa de um coach?

De alguns anos para cá o coaching entrou na pauta da maioria dos executivos e empresas brasileiras. Milhares de pessoas largaram suas carreiras executivas e adotaram uma vida como coach. E mais uma centena de empresas se especializou em criar “coaches” para o mercado.

Coaching é uma febre hoje. Ficou chique dizer que você faz coaching com alguém. E ainda mais top é você se tornar um coach. Tem tanto coach no mercado, que em algumas cidades tem mais coach do que professor, do que médico, etc.

Eu acredito no processo de coaching, eu acho que ele ajuda bastante em diversas situações. Ele pode te ajudar a enfrentar decisões de carreira, a descobrir sua missão pessoal, a orientar suas ações com o time, a lidar com problemas profissionais, definir metas e etc. Agora o importante é não confundir coaching com terapia, são coisas completamente diferentes.

Em alguns momentos talvez você precise de uma terapia, com uma psicóloga mesmo, que te ajude a descobrir a origem de seus problemas, veja diferentes versões da mesma história, te ajude a se auto descobrir e a lidar com seus conflitos pessoais. mentor

O coaching também não é que vai decidir nada por você, ele tem de ajudar você a descobrir por si próprio. Se quiser que alguém decida por você, ai você precisa de um mentor, que baseia sua decisão em experiências anteriores e conhecimento do assunto, justificando melhores caminhos para você.

Eu tive uma coaching durante um tempo, que me ajudou a lidar com alguns aspectos da minha liderança. E tive um mentor que me ajudava a tomar as decisões de negócio corretas, em um mercado que não conhecia. Ambas as experiências foram muito positivas para mim.

O problema não está no coaching, mas na qualidade do coach. Como em toda a profissão tem pessoas boas e idiotas que estragam o mercado. Por isso você precisa escolher muito bem quem vai ser a pessoa que vai te ajudar, ou vai jogar dinheiro no lixo. Converse com pelo menos três ou quatro ex-clientes, analise o resultado. Peça também referência de um caso de insucesso, analise uma óptica diferente. Pesquise sobre sua formação, pois no Brasil, tem curso de coaching por correspondência e tem empresas sérias que são muito bem conceituadas no mercado. Analise também a experiência previa ao papel de coach. Será que ele saiu da faculdade e virou coach ou foi uma pessoa com bagagem e experiência prática em diversas áreas/empresas?

E para administrar seu tempo, você precisa de um coach? A minha resposta é que o coaching pode te ajudar em uma parte do processo, ele pode te ajudar a identificar o que é importante para você e seus objetivos, ensinar uma ou outra forma de planejar. Inclusive diversos coaches aplicam a metodologia Tríade em seus processos.

Porém o coaching tem limitações na área de produtividade de verdade, na maior parte dos casos depois de um tempo só vão te atrapalhar e sugar seu dinheiro tentando. Um coach sério sabe a hora de parar e também seus limites de atuação.

No quesito de produtividade e gestão de tempo, coaching por si só não adianta, é preciso mentoring, ou seja, um cara que te diga o que fazer, quando e como fazer. E se você não fizer vai fazer junto com você. Chega um ponto em produtividade que para mudar o mindset, é preciso ação, “porrada externa“ e aceitação dos erros, mas esse é um assunto para outro post.

Se você está pensando em achar um coaching, veja se seu caso é aplicável a coaching, terapia, mentoring, astrologia ou em reuniões com você mesmo. Caso decida por um coach, analise bem seu histórico, combine a forma de atuação que se sente mais confortável, mapeie claramente seus objetivos e analise o progresso. Se não funcionar, pode ser que o coach não seja o mais adequado ao seu caso ou talvez não seja coaching a sua necessidade.

Anúncios

Um dos Problemas do Equilíbrio é o Local de Trabalho – by Iussef Zaiden

Esse é um dos assuntos que mais estão tirando o sono dos executivos nos dias de hoje. Falamos muito sobre qualidade  de vida, paixão por fazer aquilo que gostamos, dizemos que há necessidade de propósito e que o ser humano precisa de equilíbrio na vida.

Mas um dos problemas que atingem o equilíbrio dos executivos e pessoas de um modo geral é o local de trabalho em mudança.

lifebalancePatrick Merlevede e Denis Bridoux, em seu livro Dominando o Mentoring e o Coaching com Inteligência Emocional trata de assunto.

“Na década de 1950, o local de trabalho era um ambiente muito diferente. Era comum a pessoa passar a vida em um só emprego e, para muitos, isso na verdade significava ter de fazer o mesmo trabalho em ambientes e situações muito semelhantes.”

“Hoje, poucas pessoas esperam que seu emprego atual lhes ofereça um emprego que dure a vida inteira. A própria natureza do trabalho mudou, à medida que cada vez mais pessoas trabalham em projetos, ao invés de simplesmente terem um emprego. Hoje, as companhias requerem altos níveis de flexibilidade e produtividade. Atualmente, o desempenho é tudo o que importa; lealdade e tempo de casa perderam o valor.”

“As afirmativas de que em breve todos os funcionários se tornarão autônomos pode ser muito exagerada. Não obstante, quanto mais aptidões um funcionário tem, mais independência ele exige e espera ter. Em razão de que as empresas hoje garantem que seus empregados são seu patrimônio mais valioso (embora nem sempre ajam de acordo com isso), muitos deles estão certos de que realmente representam o ativo maior das companhias. Portanto, quando se julgam subestimados, dão-se o direito e a escolha de ir para onde quiserem.”

“Para os 12% dos participantes do estudo da Towers Perrin que se consideram fast-trackers (pessoas que progridem rápido no emprego), esse equilíbrio não é importante. Isso pode ter conseqüências que precisam ser analisadas. Conhecemos um homem que queria dobrar seus rendimentos em um ano e ele conseguiu essa proeza. Entretanto, durante esse ano, ele teve três acidentes de carro e um infarto e, após perder contato com a mulher e os filhos, sua esposa deu entrada em um processo de divorcio, requereu a casa onde moravam e a custodia da prole! É lamentável quando se toma conhecimento do CEO de uma grande multinacional dizer que abrira Mao do cargo, aos 55 anos, porque queria passar mais tempo com a família antes que fosse tarde demais.”

Mais Tempo Mais Dinheiro – Consultoria Você S/A

image

Gostaria de agradecer as centenas de pessoas que se inscreveram na promoção Mais Tempo, Mais Dinheiro da Revista Você S/A.

Os dois selecionados foram o Fernando Lopes – Supervisor de Sistemas da Mondial Assistance Brazil e o Luciano Milicci – Gerente de Marketing do Buscapé.

Ambos já estão sendo acompanhados por mim e pelo Gustavo Cerbasi durante dois meses para fazermos uma revolução completa de tempo e dinheiro na vida deles.

Amanhã a revista Você S/A estará na banca e vai contar a história completa dos dois, não perca e acompanhe a evolução nas próximas revistas.

Eles estarão semanalmente falando sobre suas evoluções no site da Revista. Eu vou estar falando para vocês o que ando fazendo com eles em relação a gestão de tempo e seus progressos.

Na semana passada fiz com ambos um micro-treinamento de gestão de tempo e alinhamos conceitos importantes:

– A forma correta de definir atividades
– O conceito/classificação pela Tríade do Tempo
– Como planejar as atividades na semana
– Uso do Neotriad

tempodinheiroNo domingo ambos planejaram suas semanas e estão no meio da  execução das suas prioridades. É a primeira semana, na quarta-quinta semana os resultados efetivos devem estar cristalizados. Mas eles já começaram a ter seus benefícios:

O Luciano, enviou seu report hoje: “Ontem e segunda senti que deveria ter redistribuídos as atividades e, por isso, acabei empurrando algumas coisas para frente (procrastinando). Estou colocando tarefas pessoais também, mas já confesso que muita coisa que estava parada em minha vida, já andou. Sério. Tirei muitas besteiras da minha frente, apenas por separar 15 minutos para resolvê-las! Estou escrevendo um post curto sobre isso para o blog, porque realmente foi fantástico.”

O report do Fernando: “A primeira mudança que senti é o aumento do controle das atividades. Elas não estão mais na cabeça ou em um caderno ou post-it. Minhas atividades estão centralizadas em uma única ferramenta, agilizando muito o acompanhamento. A primeira ação no momento da criação de uma demanda é acessar o Neotriad para criação da tarefa ou compromisso. Ainda hoje estou procrastinando algumas atividades por subestimar o tempo ou por repriorizar. A interface da aplicação é muito agradável e prática. Mesmo sendo uma plataforma web, a performance é muito boa. Ainda quero trabalhar melhor a parte de projetos e equipes, bem como os relatórios mais apurados das tarefas”

Hoje estive na Mondial e apresentei o Neotriad para a gerência e equipe do Fernando. A sugestão foi muito bem aceita, todos irão fazer utilização, para checar a aderência a outras ferramentas que eles utilizam. O sonho agora é fazer toda a equipe ser um padrão de planejamento/produtividade! Quem sabe..

Como ambos estão usando o Neotriad, vamos medir mês a mês a evolução da Tríade dos dois. Na revista vocês irão ver a Tríade inicial, a pontuação e nosso plano de ação!

Acompanhe o dia-a-dia deles via Twitter:

Fernando – www.twitter.com/fmattarlopes

Luciano – www.twitter.com/lucianomilici