Faça 2010 ser mais Produtivo

Depois de um ano tão difícil e recessivo como foi 2009, o mercado está esperançoso com o próximo ano e tenho ouvido de muitas empresas, empreendedores e diretores que boa parte do investimento represado neste ano será utilizado no próximo. Tudo indica que o próximo ano será dez, em termos de investimento, crescimento, emprego e oportunidades.

Com toda essa empolgação, nada mais importante e fundamental que os líderes planejarem toda essa expectativa em seus planos de negócios. Na época em que vivemos, nunca foi tão essencial aumentar a produtividade e a qualidade de vida da equipe. Tornar a empresa mais eficiente, diminui os gastos desnecessários, reduz as urgências, melhora as reuniões, maximiza o investimento e cria uma equipe com mais equilíbrio, foco e execução.relogioareia

Para alcançar esse resultado é preciso líderes pensando proativamente nesse assunto ou apoiados por especialistas no assunto, o que não é muito comum nas empresas. Vive-se a correria do dia-a-dia, com a qual todos já estão acostumados e pouco se muda nesse cenário.

Aproveite o final do ano em que muitos planos começam a ser traçados e inclua no planejamento da sua empresa, algumas questões fundamentais para garantir que 2010 seja um ano mais produtivo e menos corrido:

1. Como fazer minha equipe ser mais produtiva e equilibrada? Projetos, metas, processos e tudo que se possa definir na sua estratégia não tem como evoluir sem pessoas. E pessoas, precisam de tempo. Sem tempo não há resultados. Pense em novas ferramentas de produtividade, cursos sobre o assunto para a equipe, reveja processos, questione o time sobre como ser efetivo.

2. Como criar o senso de importância na empresa? Muito se fala de senso de urgência, mas isso só valoriza o contexto errado do tempo. Valorize o importante na equipe. Valorize planejamento, sair cedo da empresa, cumprir prazos, chegar no horário às reuniões.

3. Qual o objetivo mais importante da empresa? Ao invés de diversas metas, que tal definir um grande objetivo, criar indicadores precisos, comunicar adequadamente ao time e criar um sistema de acompanhamento que reflita no dia-a-dia de todos na empresa?

4. Muito tempo em reuniões? Em meu último livro, Estou em Reunião, comprovei o absurdo prejuízo financeiro que as reuniões causam as empresas. Pense em algumas formas para reduzir pelo menos 1/3 das reuniões do seu time, e com isso dê mais tempo para trabalhar e focar nas coisas realmente importantes.

5. Como recompensar o planejamento e resultados do time com equilíbrio? Quanto mais tempo a equipe tiver para seu equilíbrio pessoal X profissional, mais produtividade e motivação. Invista em programas de qualidade de vida, dê benefícios que sejam relacionados a “mais tempo livre” e ações de integração familiares.

Existem diversas estratégias que podem ajudar sua empresa a entrar no próximo ano com mais foco, produtividade e equilíbrio. Gerando mais resultados e execução no dia-a-dia. O mais importante, é entender, que isso depende principalmente da alta direção das empresas e de ações efetivas nesse sentido.

Que 2010 seja um ano extremamente produtivo!

ps.: Essa semana estou viajando todos os dias em eventos, mas estou preparando os resumos da ExpoManagement para publicar aqui no blog!

Foco Coletivo – A Árvore da Execução

Em alguns posts anteriores comentei sobre foco individual, agora vou abordar uma parte fundamental para conquistar o foco pessoal: o foco coletivo. Sem ele o foco pessoal não acontece ou fica muito difícil de ser conquistado.
Foco é antes de tudo uma questão de hábitos pessoais e da corporação. A cultura organizacional precisa colaborar para que o foco aconteça no nível pessoal. É preciso conscientização, respeito mútuo, acordos comuns e disciplina para chegar nesse objetivo.
Podemos fazer uma analogia do foco com uma árvore. Quando você olha para uma árvore você vê suas flores, tronco e frutos. Ela está basicamente focada em sua auto manutenção. Mas a parte responsável pela vitalidade da árvore é a raiz, que fica fincada no solo dando a sustentação, equilíbrio e nutrição. Algumas árvores têm raízes tão grandes que se estendem por kilometros e precisam de outras raízes, para de forma entrelaçada (ou sinérgica) conseguir manter seus troncos fortes, estáveis e produtivos. O foco corporativo funciona exatamente da mesma forma que uma árvore. Sem raízes fortes, os frutos não são produzidos. Sem hábitos corporativos enraizados, não existe uma forma de manter o profissional produzindo com foco.

E o que você pode fazer para ajudar a corporação a enfrentar esse problema?

1 – Assuma o problema

     Diz o ditado popular que o pior cego é aquele que não quer ver. Se a empresa não aceitar que tem um problema de foco, pode perder até 2 horas por dia de sua equipe. Calcule esse tempo pelo valor hora de cada profissional e veja quanto a sua empresa joga no lixo diariamente. O problema precisa ser assumido para entrar na pauta da presidência, dos diretores, gerentes e todos os níveis da corporação. Sem o envolvimento de todos os níveis hierárquicos é impossível combater o problema.

2 – Respeito Mútuo & Acordos
     Com a conscientização assumida é hora de criar acordos mútuos de cooperação. Antes de mais nada, foco é uma questão de respeito para com o próximo. Esse respeito precisa ser disseminado entre os acordos que precisarão ser estabelecidos. Cada pessoa na empresa precisa entender que a sua posição é fundamental para o processo.

3 – Horário do Foco
     Uma estratégia que gosto de recomendar as empresas é o horário de foco. Este é um dos primeiros acordos que costumo estabelecer. A empresa precisa definir um horário durante o dia, que deverá impedir que qualquer profissional na empresa tenha sua atenção desviada por telefone, reuniões, cafezinhos, internet, e-mails, etc. A duração varia de empresa para empresa, mas em geral, começa com um tempo pequeno e quando os resultados começam a aparecer esse horário é ampliado. Pode-se até criar um grupo de emergências para atendimento das urgências que poderão aparecer.

4 – Padrões para Internet, e-mails e reuniões
     Os três mosqueteiros da improdutividade precisam de estratégias para serem combatidos. Internet precisa de limites, alguns sites precisam ser bloqueados, alguns programas não podem ser executados em horário de expediente. E-mail não pode ser utilizado com a única forma de comunicação na empresa e boas práticas precisam ser adotadas (veja artigos anteriores para algumas dicas). Reuniões precisam ser objetivas, diretas e produtivas. É preciso ter um padrão de reuniões eficazes na empresa e não simplesmente fazer reuniões de qualquer forma.

5 – Endomarketing
     A raiz precisa ser fincada em todos os pontos da empresa para ter resultado, por isso recomendo a utilização de uma campanha de endomarketing para fixar os novos conceitos adquiridos e estimular a participação.

     Várias organizações têm nos procurado para ajudar na implantação de práticas que ajudem a empresa a conquistar mais foco para seus colaboradores. Comentei muito brevemente algumas linhas de estratégias que podem ser implementadas, existem diversas outras. Cada caso é um caso e precisa ser estudado e customizado. Mas não espere a empresa despertar para esse problema, comece agora mesmo a levantar a bandeira do foco na sua equipe!

Seja a Mamangava

A primeira vez que fiz o Empretec (curso para empreendedores da ONU/Sebrae) na minha vida, teve uma frase que o instrutor falou que me marcou:

“Foi estabelecido cientificamente que a mamangava não pode voar. Sua cabeça é grande demais e suas asas pequenas demais para sustentar o corpo. Segundo as leis da aerodinâmica, ela simplesmente não poderia voar. Mas ninguém disse isso à mamangava. E assim ela voa”

mamangava2

A mamangava é a abelha que faz a polenização do Maracujá e outras plantas, pelo que pesquisei. É também um lema, uma forma de você encarar a vida, que adotei pessoalmente.

Quando eu comecei a Triad todo mundo me chamava de louco, falavam que não ia passar dos primeiros meses, etc…. enfim, a empresa cresceu e agora estamos a um passo de atuar no mercado americano pra valer.

Fechamos com uma das maiores empresas globais de alimentos uma série de soluções Triad, não teve pra Covey, Allen, Smith, Mission, etc. Uma empresa brasileira ganhou por inovação, conhecimento e resultados.

É impressionante o quanto o brasileiro não valoriza o brasileiro, quando falamos que a Triad é nacional o pessoal faz cara desconfiança, se falasse que era americano, já confiam.. Brasileiro não gosta de ver Brasileiro dar certo. Brasileiro não acredita em Brasileiro!

Outro dia li um comentário de um cara que falava que a metodologia da Triad fez sucesso lá fora do dia pra noite. Mentira! Eu demorei 10 anos pra fazer sucesso do dia pra noite. Nada acontece sem esforço.

Agora, meu próximo desafio euaé fazer o americano aceitar que um “ser não americano” possa competir de igual para igual com eles… mas eu vou junto com a mamangava… pelo menos cabeça grande nós dois temos! ahahahah

Em breve conto para vocês as novidades pelo mundo gringo….