Anúncios

Entrevista sobre Reuniões para a CBN

Segue o vídeo / mp3 da entrevista que deu para o Heródoto sobre o problema das reuniões no ambiente corporativo. Na entrevista falo sobre o papel do condutor, a pesquisa sobre reuniões, o livro Estou em Reunião e também sobre algumas possíveis soluções.

http://cbn.globoradio.globo.com/programas/mundo-corporativo/2009/09/12/REUNIOES-LONGAS-E-INEFICIENTES-SAO-DESAFIOS-ENFRENTADOS-POR-EMPRESAS-EM-QUALQUER-PARTE-D.htm

image

Anúncios

Entrevista com o Sr. Web Agronegócio

Conheci o Miguel Cavalcanti em 2004, quando ele leu o livro da Tríade do Tempo e me enviou um e-mail. Acabamos nos conhecendo e viramos amigos. O Miguel é um empreendedor do “agronegócio digital” e um cara viciado em conhecimento. Toda vez que almoçamos ele descarrega uma porrada de livros, novidades e conceitos.

Ele é daqueles caras que vai aonde está o conhecimento. Ano passdo ele foi para New York fazer um curso com o Seth Godin e depois postou o conhecimento no seu blog.

Enfim, tem muita coisa legal sobre o ele, veja as respostas que ele me enviou:

1 – Quem é Miguel Cavalcanti?

Sou empreendedor, atuando com informação no agronegócio. A AgriPoint, empresa que sou sócio, atua em quatro segmentos (carne, leite, café e ovinos/caprinos), desenvolvendo portais de conteúdo, cursos online, eventos. Temos também uma divisão de consultoria, que oferece palestras e desenvolver estudos de mercado. Meus passatempos são: corrida (em março vou correr minha primeira meia-maratona) e livros (sou aficionado por ler livros de negócios – e por comprá-los rs…). Desde janeiro 2005 sou casado com a Leticia e em janeiro de 2008 nasceu meu primeiro filho, Vicente. Enfim, sou empreendedor, corredor, leitor e pai.

 

2 – Como nasceu a idéia da empresa AgriPoint (se foi a primeira)?

A empresa foi fundada pelo meu sócio, Marcelo Pereira de Carvalho, em 2000. O objetivo, na época do boom da internet, era ser um provedor de informação para técnicos e produtores, focando em dois segmentos – carne (BeefPoint) e leite (MilkPoint).

 

3 – Como você gerencia seu tempo diariamente? Como é sua rotina semanal?

Procuro fazer um plano semanal e uma organização diária. Já li muitos livros sobre o assunto, meus favoritos são o seu (Tríade do Tempo) e o do David Allen (GTD). Minha rotina semanal é de viagens e muito tempo no computador e um pouco no telefone.

 

4 – Quais são os maiores vilões da sua produtividade e como tenta lidar com eles?

Meus maiores vilões são os emails e a dificuldade de me focar no mais importante.
Email – tenho tentando checar menos vezes ao dia, fazer em batelada.
Foco – sempre acho que posso fazer escolhas melhores, depois que o dia passou. Acho que tem um pouco de cobrança demais, mas tem espaço para melhorar também.

 

5 – Você é um case impressionante de gestão de conhecimento. Como você se faz para se manter atualizado?

O ponto principal é que eu gosto de me manter informado, de ler, de saber das coisas. Sou curioso. Gosto de ler e ver coisas que não tem muito a ver com meu dia-a-dia. Assim posso aprender e muitas vezes surgem idéias inicialmente malucas, que depois se mostram bem viáveis (como toda idéia boa, inovadora). Meu maior desafio é conseguir consumir informação de uma forma que ela não me “soterre”. A quantidade de opções e o volume aumentam muito. Hoje o grande desafio é conseguir escolher. Eu tenho ficado mais tranquilo. Por exemplo, me preocupo menos quando marco, de uma vez, todos os itens do Google Reader como “lidos”. Tem dias que essa é a única solução. Antes eu ficava angustiado por dedicar tanto tempo a leitura. Desde o final de 2008 estou mais tranquilo, mais resolvido em relação a isso. Entendi que isso me agrada, gosto de me atualizar. Tenho feito de outra forma desde então. Agora tenho tentado utilizar mais as informações que consomo. Seja publicando avaliações e comentários no meu blog, seja usando no dia-a-dia do meu negócio, seja usando como ferramenta de marketing.

 

6 – Quais os 10 blogs que você costuma a ler e recomenda?

1- Seth Godin – http://sethgodin.typepad.com/seths_blog/
2- Christian Barbosa – http://blog.maistempo.com.br/
3- Brad Feld – http://www.feld.com/wp/
4- Ben Casnocha – http://ben.casnocha.com/
5- Eduardo Carvalho – http://ecarvalho.typepad.com/eduardo_a_de_carvalho/
6- Luli Radfahrer – www.luli.com.br
7- John Spence – http://johnspence.com/blog/
8- Blue Bus – www.bluebus.com.br
9- Lumieres – http://deslumieres.blogspot.com/
10- Digestivo Cultural – http://www.digestivocultural.com/blog/

 

7 – Quais os 5 livros de negócio e produtividade que todo mundo deveria ler?

1- Tríade do Tempo
2- A arte de fazer acontecer
3- The Dip (melhor do mundo)
4- A arte do começo
5- Good to great (empresas feitas para vencer)
6- Double your profits
7- puxa tem muitos outros… rs..

 

8 – O que você faz para equilibrar seu tempo?

O que tenho feito e me ajudado muito é correr. Já participei de uma corrida de 10km (Nike Run) e duas São Silvestres (2007 e 2008, 15 km). Corrida é para cabeça. Fico mais tranquilo, reflito, penso, tenho idéias. Volto sempre melhor do que fui. Por tabela mantenho a forma. É uma terapia.
Também faço terapia, na linha Lacaniana, há pouco mais de um ano. Tem me ajudado muito. Já fiz até alguns cursos nessa área, para aprender mais sobre isso e me conhecer melhor. Fiz no IPLA.
Além de tudo isso, o contato face-a-face com amigos ajuda muito.

 

 

9 – Você se considera uma pessoa que tem equilíbrio e resultados? Ou tem resultados mas não tem equilíbrio? Qual a sua composição?

Acho que tenho mais resultado que equilíbrio. Acho que estou nos 70% resultados e 50% equilíbrio. Me sinto como uma malabarista com várias petecas no ar e a impressão é que as petecas estão indo cada vez mais rápido…

DÁ UM TEMPO – TV IDEAL

Participei do programa Dá um Tempo da TV Ideal que conta a história de um jornalista fazendo uma matéria sobre o tempo em suas diversas vertentes.. é como uma mini-novela…

Os capítulos que participei estão no link abaixo:

daumtempo

Parte 1- http://www.idealtv.com.br/midiacenter?videoid=a667d799f1449037a9848e81f3dc904a&categoryid=1125

Parte 2- http://www.idealtv.com.br/midiacenter/?videoid=8e7e8f858177849c52d4d78201a25a6d&categoryid=1126

Triad na BizRevolution!

ricardojordao Algumas semanas atrás conheci uma pessoa muito interessante e diferente! Eu já lia o blog dele há algum tempo e li o livro dele também, mas não havia conhecido ele pessoalmente.

O nome dele é Ricardo Jordão, um revolucionário por definição e atitude, uma pessoa capaz de despertar amor e ódio em uma velocidade incrível. Ele é especialista em marketing, Internet e em criar negócios na era digital.

Eu dei uma entrevista para o Blog BizRevolution sobre a Triad e também respondi algumas perguntas do Gabriel Peixoto, que é um dos mais ativos participantes do blog do Ricardo.

Para não ficar copiando o post, segue o link da entrevista:

http://bizrevolution.typepad.com/bizrevolution/2008/07/entrevista-com.html

Vale a pena dar uma conferida no blog, que é ultra atualizado e sempre traz novidades bacanas!

Em breve a entrevista com o Ricardo estará aqui no blog.

Stephen Covey: passado, presente ou futuro?

covey

Gosto muito do Stephen Covey, por sua abordagem com relação à vida, a liderança e temas de equilíbrio pessoal. Meu primeiro contato com a FranklinCovey foi em 98 quando iniciei, pela Blue Eagle, o desenvolvimento do site Brasil e logo depois me tornei instrutor do curso de administração de tempo. Tive a oportunidade de participar de eventos e conhecer o Stephen Covey pessoalmente e tenho grande admiração por seu trabalho.

Recentemente vi um post de uma entrevista no blog Zen Habits, com o Stephen Covey e traduzi livremente a entrevista neste post. Infelizmente o tom da entrevista, de outros posts que li e dos comentários posteriores posicionam o Covey como um guru do século passado que foi “ultrapassado” pelas modernas tecnologias e novas teorias como o Segredo e o GTD do David Allen.

Em minha opinião pessoal, os princípios dos 7 Hábitos e sua visão sobre liderança e equilíbrio de vida são universais e atemporais. Obviamente o mundo evoluiu muito desde que os 7 Hábitos foram lançados e sua visão sobre administração de tempo acabou ficando defasada com relação ao que existe de novo, mas Covey é muito mais do que isso. Eu diria que temos de aproveitar os 7 Hábitos como uma base para liderança pessoal e profissional e aprender com novas metodologias como a Tríade do Tempo, GTD, ZTD e outras.

Segue a tradução da entrevista para suas próprias conclusões:

Zen Habits: Para muitas pessoas seus livros são cheios de idéias de mudanças de vida, que eles ficam estupefatos. Eles querem começar, mas não sabem como. Qual seria o melhor primeiro passo para fazer uma mudança positiva?

Covey: Ouça sua consciência para alguma coisa que você simplesmente sabe que deve fazer, então comece pequeno, faça uma promessa e a mantenha. Então vá adiante e faça uma promessa um pouco maior e a mantenha. Eventualmente você irá descobrir que o senso de cumprir será maior do que seus velhos hábitos, e que dará para você um nível de confiança e excitação que pode fazer você ir para outras áreas aonde você sente a necessidade de fazer melhorias ou dar apoio.

Zen Habits: Para nos dar alguns insights na sua vida, o que é uma rotina típica matinal em um dia de trabalho, que incorpora alguns dos seus princípios em sua vida no dia-a-dia?

Covey: Eu faço um esforço toda manhã para conseguir o que eu chamo de “vitória privada”. Eu me exercito em uma bicicleta ergométrica, enquanto estudo as escrituras por pelo menos 30 minutos. Então eu nado vigorosamente na piscina de casa por 15 minutos, depois eu faço Yoga em uma parte rasa da piscina por 15 minutos. Então eu vou para minha biblioteca e rezo, escutando primeiramente minha consciência enquanto eu visualizo o resto do meu dia, incluindo atividades profissionais importantes e relacionamentos chave com as pessoas queridas, colegas de trabalho e clientes. Eu vejo a mim mesmo vivendo por princípios corretos e cumprindo valiosos propósitos. Uma das minhas frases favoritas é: “As maiores batalhas da vida são disputadas a cada dia nas câmaras silenciosas da nossa própria alma.” (David McKay). Muito dessa escuta e trabalho de visualização é muito desafiante, então eu venço a vitória privativa quando eu faço minha mente ascender e executar, para viver a vida por princípios corretos e para servir propósitos valiosos.

Zen Habits: Você tem algum pensamento que poderia compartilhar sobre filtrar o barulho na vida (especialmente ruídos de tecnologia) para focar nas coisas que são realmente importantes. Como nós podemos garantir ver os e-mails urgentes, mas sem viver conectado na nossa Caixa de Entrada?

Covey: Eu sou um afortunado de ter um time muito prestativo que permite que eu gaste tempo fazendo coisas que são realmente importantes, mas não necessariamente urgentes (olha ai a Tríade em ação! Ahahah – observação pessoal). Isto requer o desenvolvimento de uma declaração de missão pessoal que nos de um amplo contexto e também a determinação do que é realmente Importante, mas não Urgente. Pessoas que não têm equipe, precisam também fazer essas decisões para que eles possam dizer não para aquilo que é urgente, mas não é importante (ou seja, simplesmente urgente). Aprender a usar a tecnologia é uma forma de filtrar aquilo que você realmente sabe que é importante para sua vida pessoal e profissional. Lembre, tecnologia é um grande servo, mas um terrível mestre.

ZH: Qual é a configuração do seu trabalho? Que ferramentas você utiliza? Que tipo de computador e softwares são indispensáveis para você? Como você faz as coisas para otimizar sua efetividade?

Covey: Eu trabalho com uma equipe complementar, que significa edificar seus pontos fortes e organizar para fazer suas fraquezas irrelevantes. A tecnologia moderna é uma das minhas fraquezas, mas meus colaboradores fazem esta fraqueza irrelevante porque eles são excelentes com ela. Eu também acho a maioria das reuniões perdas de tempo, porque elas são tão mal preparadas e existem poucas oportunidades para verdadeira sinergia na produção de soluções melhores do que qualquer um imaginaria. Então eu trabalho pesado para apenas participar de reuniões que tenham uma importância estratégica e cancelo todos os tipos de reuniões aparentemente urgentes. Eu mantenho meu telefone não listado e encaminho para meus colaboradores todos os voice mails, e-mails e faxes.

ZH: Além dos seus livros, que outra leitura você recomendaria como indispensável, incluindo livros, revistas, websites ou blogs? Você lê blogs?

Covey: Eu não leio blogs, mas eventualmente as pessoas me dizem sobre o que eles contêm, e eu pego perguntas que vem de blogs, como essa entrevista. Meu time e eu também fazemos posts e vamos ampliar isso no futuro. Eu acredito que o hábito de ler bons livros, periódicos eruditos e revistas de várias matérias são vitais para uma perspective mais ampla e para o constante senso da natureza interdependente da vida. Eu provavelmente gasto 2 horas por dia lendo. Eu também envio muitos livros para propósito de endossos, o que me habilita permanecer relevante no meu próprio campo, e eu tenho pessoas que me ajudam a decidir qual desses eu devo ler e endossar.

ZH: Você leu Getting Things Done (David Allen) e O Segredo? Qual é sua opinião sobre esses dois fenômenos separadamente?

Covey: Eu li esses livros, gostei deles e acredito que eles contêm elementos de sabedoria e sugestões práticas. Mas para mim e meu mundo eles são muito simplistas e superficiais

Participação Economia & Negócios

recordnews Amanhã (29.01) estarei gravando uma entrevista sobre administração do tempo no programa do Canal Record News, Economia & Negócios, com a Fátima Turci. Ainda não sei quando irá ao ar a entrevista, mas o programa passa de segunda a sexta às 17hs. Assim que for ao ar estarei publicando o vídeo aqui no blog.

Parceria HSM e Entrevista com Jorge Paulo Lemann

Estou iniciando uma parceria com o portal HSM (Expo Management) para publicação dos meus artigos, o primeiro publicado foi o do E-Mala.

Como algumas pessoas vivem pedindo para eu escrever sobre empreendedorismo (o que pode acontecer muito esporádicamente), segue com exclusividade para o Blog Mais Tempo, segue uma das perguntas da entrevista com o empresário Jorge Paulo Lemann que estará na futura edição da HSM Management.
 

Como é seu processo de decisão na análise de um negócio novo?

Ao longo do tempo eu comecei a confiar e depender mais de estudos, projeções e várias opiniões, num processo decisório mais formal. Mas jamais dispenso o feeling. Corremos riscos mais baseados em sentimento do que em análises muito profundas. Eu diria que antes agíamos com 80% de feeling e 20% estudo e, hoje em dia, esse mix talvez seja 50%-50%, mas eu não gostaria de ir na direção de ser 90% de estudos e 10% de feeling. Acho que aquilo que você sente na barriga vale tanto quanto aquilo que está no papel.

plan

Por exemplo, no caso da compra da Brahma, se nós tivéssemos feito o due diligence [análise e avaliação detalhada de informações e documentos de determinada empresa e/ou seu ativo, com abordagem contábil ou jurídica] adequadamente, nunca a teríamos comprado. Logo depois da aquisição, descobrimos grandes problemas financeiros, especialmente no fundo de pensão.

Mas nós compramos. Por quê? Porque nosso feeling dizia que somos um país de população jovem, com muito calor, e acreditávamos que cerveja era um bom negócio mal tocado aqui. Para nós isso valia mais do que se o Lula ou o Collor ia ganhar ou se o fundo de pensão tinha ou não problema. Bom, basicamente estávamos certos, porque conseguimos transformar os cerca de US$66 milhões que botamos lá em 25% do que a Inbev vale hoje em dia.

Outra coisa: se eu vou investir numa empresa e você me disser que aquilo vai fabricar ouro em pó ou pimenta, não me interessa. Tenho muito mais interesse em ver quem está lá tocando a gestão, o que essas pessoas pensam, em que acreditam. Eu sou uma pessoa que aposta muito no ativo humano, essa é minha prioridade, sempre.

A entrevista é de José Salibi Neto (Chief Knowledge Officer do Grupo HSM)