Experiência de acordar 1h mais cedo–DIA 1

Hoje foi meu primeiro dia de começar meu expediente às 7h15 da manhã ao invés das 9h que estou habituado. Levantar 1h mais cedo não foi nenhum problema, para não ter nenhum grande impacto no meu corpo, eu procurei dormir mais cedo no dia anterior, e não tive nenhuma grande dificuldade sobre isso.

Nessa “hora extra” eu trabalhei de casa, e obviamente o foco não era em atividades rotineiras, mas sim em algo que exigisse um esforço mental maior. Infelizmente logo que comecei tive uma urgência, mas que em 10 minutos estava resolvida e me permitiu voltar rápido para o objetivo da manhã.

Eu escolhi uma tarefa que tinha colocado para fazer no sábado, pois é um dia mais tranquilo para mim em atividades de escrita ou criação. A atividade era “revisão do mapa mental e Tscore do Triad Teams” (estou desenvolvendo há um tempo um novo curso para equipes e tem exigido bastante pesquisa e testes). Consegui em 50 minutos concluir essa tarefa que tinha previsto 90 minutos de execução. Estava bem alerta, focado e sem minha aceleração habitual.

Depois dei uma primeira revisada nos meus e-mails, crie as tarefas devidas e priorizei o dia no Neotriad. Agora é ir para o escritório e executar o dia!

Observações sobre a experiência (esclarecimento a alguns comentários de leitores):

1 – Para a experiência ser válida, pretendo realiza-la por todo o mês de Junho. No começo de Julho vou repensar se é válido ou não continuar. Não será algo pontual, ou a validade seria questionável, certo?

2 – Algumas pessoas falaram se poderiam realizar isso de noite. A resposta é: depende do seu bioritmo! Se você funciona melhor de noite e consegue criar esse ambiente de concentração, foco, etc provavelmente terá o mesmo resultado! Caso contrário insista no período matinal.

3 – Você não precisa necessariamente trabalhar nessa hora extra. Você pode fazer um esporte, meditar, ler um livro, etc.

4 – Sugiro escrever a experiência (ou deixar um comentário) como estou fazendo aqui, durante alguns momentos, de forma a relatar o progresso!

Experiência: Acordar cedo pode aumentar seu nível de sucesso?

workday-easier_rooster-e1296526080638

Um novo estudo realizado pela jornalista Laura Vanderkam, reporta que as pessoas que são matinais têm um nível de sucesso maior do que as outras. Infelizmente o livro que descreve a pesquisa ainda não foi lançado até a presente data. Para a pesquisa ela entrevistou diversas pessoas, como por exemplo, o antigo CEO da PEPSI Steve Reinemund que ia para a esteira às 5 da manhã antes de começar seu expediente.

O interessante é que quando fiz as entrevistas para o livro livro Equilíbrio e Resultados, diversas pessoas que se encontravam no que convencionei chamar de célula 4 da Matriz (ou seja, pessoas que tem resultados e equilíbrio simultaneamente na vida), comentavam que acordavam cedo. O Jeff Taylor e o Joao Doria Jr, dois cases que utilizei como exemplos dessa célula, faziam exatamente isso. Na hora não atentei a essa coincidência.

Claro que tem uma questão de biorritmo altamente individual, onde cada pessoa sabe o seu melhor período para ser produtiva. Porém, se você realmente se propõe a acordar mais cedo para tocar suas atividades mais importantes, você tem uma série de vantagens.

Primeiro porque o período da manhã em geral contém poucas chances de você ser interrompido, de ter aquele agito do escritório ou ansiedade da equipe. É você com você.

Segundo porque se você teve uma boa noite de sono, está recuperado e isso ajuda você e seu cérebro a pensarem melhor, tomar boas decisões e ter boas ideias. O recomendado é que você utilize esse tempo da manhã para as coisas realmente importantes, que exijam um nível de esforço mental maior e não para atividades triviais que você pode fazer em qualquer horário.
505059-50029-26
Eu gosto de acordar e usar uns 30 minutos para leitura. Porém, não tenho acordado cedo para outras atividades. Como eu gosto de experimentar as coisas antes de sair falando por ai, eu vou a partir de amanhã (13/06/12) colocar meu despertador para gritar 1h antes. Nessa “hora extra” vou priorizar atividades de planejamento, dos novos cursos que estamos elaborando, atividades de estratégia da empresa, talvez jogar tênis ou correr na esteira.

Obviamente que nos dias que estiver em curso, palestra ou reunião essa experiência não irá valer. Na quinta e sexta dessa semana estarei em curso e em voo respectivamente, então não vale. A experiência será apenas para os dias que estou no escritório.

Assim que tiver os resultado, conto para vocês. Algum leitor aqui do blog gostaria de fazer a experiência e compartilhar os resultados (não vale quem já acorda cedo, tem de ser alguém que não tem esse perfil)?

Disney’s Approach do Inspiring Creativitiy – #astd2011

Disney InstituteConforme prometi vou postar um resumo dos melhores conteúdos da ASTD 2011, que é a maior feira de conteúdo/serviços/produtos para RH no mundo. Antes de começar a ASTD eu aproveitei e fiz um curso na Disney. Fazia tempo que queria participar de algum curso no Disney Institute.

Eu já tive a oportunidade de ver os bastidores da Disney e achei muito oportuna a chance de ver “como a magia acontece” em algum curso formal deles. Escolhi o curso “Disney’s Approach to Inspiring Creativity”, minha expectativa era aprender algumas técnicas “Disney” para pensar fora da caixa, estimular a criatividade no meu time, ajudar a ter novas idéias para meus livros e ainda aprender como a Disney faz tudo aquilo acontecer.

O curso foi dentro do parque Epcot do lado do Fast Track, em uma sala extremamente bem equipada (som maravilhoso, bem climatizada, espaçosa e cheia de “Mickeys”), foram dois instrutores que realmente estavam imbuídos do espírito Disney. Eram aproximadamente 60 pessoas, divididos em grupos de 8 pessoas por mesa.

A primeira atividade solicitada foi desenhar um Mickey e mostrar ao grupo como ficou. Depois ele ensinou como fazer usando um método, o que obviamente ajudou a sair um Mickey de verdade. Tudo isso para dizer que a Disney tem um método para a Excelência:

image

Depois de boas risadas vendo o Mickey dos colegas, eles situaram que a criatividade era algo essencial no processo Disney de Excelência e que era um compromisso de todos na organização. Para atingir esse objetivo a Disney possui um “Modelo para Inspirar Criatividade” que contém 5 etapas:

1 – Identidade Organizacional – Quem você é e para onde vai o fluxo de idéias: Visão ; Missão ; Clientes e Essência.

Eu gostei da idéia de essência da Disney, ou seja, aquilo que os seus clientes “sentem” quando compram seu produto ou serviço. A idéia principal é que para pensar fora da caixa, primeiro você precisa saber qual é a sua caixa.

Sabendo quem você é, fica fácil saber o que você não é e o que deve ser cortado (100% a ver com o que falo em gestão de tempo). Por exemplo, no business de Disney Cruise (cruzeiros da Disney), eles tiraram os Cassinos dos navios, pois apesar de ser algo “vital em um cruzeiro”, não fazia parte da Essência Disney!

Essa foi à parte que mais gostei do curso, pena que tivemos apenas 35 minutos para ver esse conteúdo, acho que faltou um pouco mais de profundidade aqui, mas devido ao tempo, pois tinha conteúdo para isso.

Aqui valeram os US$ 700 que paguei pelo curso, tive uma idéia show de bola para o Neotriad, que acabou virando um novo produto… em breve divulgo para vocês.

2 – Cultura Colaborativa – Criatividade precisa de comunicação e integração entre as pessoas. Essa parte falou sobre propósito (a sua empresa tem um propósito?), valores compartilhados, comunicação, confiança e variedade de perspectivas.

Aqui eu acho que o tempo foi extremamente mal aproveitado, pois passamos praticamente 2 horas aprendemos técnicas simples e bobas de brainstorm.

Depois saímos para campo, fomos a uma atração do Epcot do filme Nemo, onde uma tartaruga interage com a platéia. Um exemplo de colaboração de equipes e também do mix de conteúdo, entretenimento e aprendizado.

3 – Sistemas Estruturais – O princípio é que processos, parâmetros de budget e políticas, ajudam a discernir quais são as idéias que devem ser escolhidas ou abortadas. A idéia básica para um processo de melhoria contínua, de acordo com a Disney:

image

Aqui novamente fizemos uma série de dinâmicas bobas, sem link com o conteúdo apresentado previamente.

4 – Papel do Líder – Seu papel como líder é ter responsabilidade por apoiar as áreas do processo criativo, comprometimento em fazer a coisa acontecer e inspirar seu time.

Eles comentaram sobre uma técnica Disney de StoryBoarding, mas ficou óbvio que não tinha mais tempo para nada e não conseguimos fazer nenhum exercício sobre. O instrutor apenas comentou como fazer.

Resumo da Experiência:

O curso é básico, cheia de dinâmicas sem sentido ou link com o conteúdo, a apostila é super simples e não tem nenhum recurso extra, não tem nada demais. Os vídeos utilizados são legais, mas nada que marcou para contar para vocês. Eu não tive nenhuma grande idéia para aplicar na empresa, com exceção da que já falei, de ter identificado um público meu que não era o alvo.

Em termos de qualidade, logística, material, um curso Triad dá de 10, realmente isso foi bacana de comparar, o quanto temos de qualidade superior à Disney.

Se eu recomendo você fazer esse curso? Sim, se nunca teve nenhuma idéia do que é um brainstorm, de resto, vale ler qualquer livro ou fazer um curso de alguém especializado no assunto. Todos os participantes que estavam na minha mesa, ficaram altamente desapontados com o que esperavam do curso. Vale muito mais você ir ao Museu da Família Disney em San Francisco para ser inspirado a ser criativo do que fazer esse curso!

Se eu vou fazer algum outro curso da Disney? Provavelmente sim, dizem que o curso deles de qualidade e atendimento ao cliente é muito bom (se teve alguma experiência, por favor, comente..) vou pagar para ver, afinal de contas Disney é Disney.

Para quem quiser fazer, é preciso estar com o inglês em dia, tem muito trabalho em grupo, exposição e atividades, quem fala um inglês intermediário vai se perder (alguns chineses ficaram totalmente perdidos nos exercícios).

ahhh esqueci de dizer: não podia tirar fotos, ganhei um bone do mickey, um lápis do Mickey e giz de cera.