Como os seus filhos gerenciam o tempo deles?

Muita gente me pergunta qual a idade certa para iniciar a gestão do tempo e se crianças devem se preocupar com isso. A resposta a essa pergunta é SIM, crianças devem ter bases sobre gestão de tempo, mas de forma sutil e no momento certo.

Primeiro entenda/aceite que os problemas que você tem hoje de produtividade são fruto do seu passado, que criou um modelo mental urgente, onde tudo é feito na última hora.

Para muitas pessoas essa foi a realidade que tinham em casa, onde os pais, de forma inconsciente e sem a menor maldade, passaram esse modelo para você. Se você via seus pais deixarem as compras para última hora, a matrícula da escola para o último dia, as contas atrasadas, o presente de aniversário em cima da hora, o jantar de Natal era planejado no almoço do dia anterior e por ai vai. O padrão urgente que você tem hoje nada mais é do que uma replicação desse seu ambiente passado.

Claro que não é apenas seus Pais que fizeram esse modelo, a escola, seus amigos, familiares e o próprio ambiente sócio-cultural influenciaram isso também. Agora que você entendeu esse princípio, já parou para pensar o que você está fazendo com os seus filhos? Será que você está agindo de forma a criar o líder urgente do amanhã? Pais urgentes criam filhos urgentes!

O primeiro passo para mudar esse quadro é começar a se policiar, adotar um modelo de planejamento pessoal e gestão de tempo, principalmente no que diz relação às coisas das crianças. Como você pode cobrar o que você não faz? O famoso vídeo abaixo, é mais do que verdadeiro sobre isso:

 

Para começar a estimular a gestão de tempo nas crianças, não precisa usar uma agenda ou ficar neurótica. Estimule aos poucos com atitudes de prevenção, planejamento e tudo como brincadeira.

No livro Você Dona do Seu Tempo eu detalhei esse modelo para duas faixas de idade. Clique aqui para baixar um resumo do livro sobre como aplicar gestão de tempo para crianças de 7 a 12 anos de idade.

Crianças no computador: problema ou solução?

Uma pergunta muito legal, que vou responder como pai, foi enviada pela Cristiane, leitora aqui do blog:

a nossa preocupação é com nosso filho que não sai do computador e não quer fazer nada se o tiramos do pc (12 anos). Assim, por favor tem algum artigo seu sobre o tema, pode nos falar como foi o seu caso com o pc na adolescência? Sugere algo para adolescentes que gostam de jogos, boots, hackers, além do famoso site do guia do hardware?

Eu tenho dois filhos (11 e 4 anos) e tenho um problema parecido, meu filho mais velho é viciado no PC, ele fica jogando online com os amigos. Bem, aqui vai minha opinião como pai e também algumas dicas que uso com meu filho e que apliquei no livro Você Dona do Seu Tempo com algumas mulheres.

06192009_familytime

1 – Minha experiência – Eu ganhei meu primeiro PC aos 7 anos, e desde esse dia nunca mais larguei a máquina. Eu chegava da escola e fica horas e horas ali no computador. Meus pais ficavam preocupados e me colocaram limites de horários e também caso tirasse alguma nota baixa, limitaria ainda mais meu uso. Como eu queria muito aprender a fazer meus próprios jogos e programas para vender, eu me dedicava para caramba ao estudo na escola, tiravas boas notas e ninguém tinha o que falar do computador.  Para mim, essa experiência me ajudou a formar quem eu sou. Se meus pais me tirassem o micro naquele momento, provavelmente ficaria desistimulado e não persistiria no meu sonho. No meu caso foi positivo, mas eu não ficava o tempo todo jogando.

2 – Computador é positivo, se bem utilizado – Hoje em dia, as crianças se desenvolvem no computador, quando elas jogam, aprendem inglês, desenvolvem a lógica e o raciocínio e com os jogos em grupos desenvolvem habilidades sociais de colaboração. O problema é que muitos jogos só são violência, apelo sexual e com pessoas que se aproveitam da ingenuidade infantil, ai que como Pais, precisamos ficar espertos. A solução é instalar programas de keylogger e rastrear tudo que nossos filhos fazem. Esses programas permitem capturar tudo que eles digitam ou que recebem, assim podemos monitorar qualquer desvio.

3 – Pais sem tempo é filho no computador – Quando estava escrevendo o livro para mulheres, essa era uma situação muito frequente: sem tempo e cansadas, as mães preferiam deixar o filho no computador do que fazer qualquer outra coisa. Seja por negligência, conveniência ou simplesmente estafa é uma verdade nua e crua. Por isso precisamos desenvolver atividades/atitudes familares:

  • Almoçar ou Jantar em conjunto e procurar saber mais da vida das crianças imagee dos adolescentes
  • Procurar atividades externas que eles queriam fazer e que você possa ir junto (cinema, parques, museus como o Catavento, jogos, viagens, etc) – se você não for amigo dos seus filhos enquanto eles são crianças, dificilmente os consquistará na adolescência.
  • Aprenda a jogar, ou pelo menos, peça para ele te explicar alguma coisa. Só de ver que você se interessa genuinamente já é uma grande abertura.
  • Estimule atividades empreendedoras no computador, exemplos de pessoas que ganham $$ na Internet é interessante. Por exemplo, meu filho me perguntou se o dono do jogo dele era rico. Ai fiz uma conta simples, se mais 1000 crianças no mundo por mês comprassem o que ele gasta no jogo. Ele ficou animado e mobilizou os amiguinhos para fazer seu próprio jogo. Se vai sair ou não, pouco importa, o interessante é plantar uma sementinha empreendedora.

4 – Faça parte da vida digital do seu filho – crie um msn, um skype, um perfil do orkut, facebook, twitter, etc.. Você tem que acompanhar a vida digital dele, fazer parte desse mundo, para interagir e ficar de olho!

5 – Estabeleça limites – Meu filho foi mal na prova de matemática, tirou 5, a média! Fiquei doido, claro, mas fiz o seguinte trato: 1 semana antes da semana de provas nada de computador, foco 100% nas provas antecipado, nada de estudar em cim a da hora. Sempre tomo dele a lição ou minha esposa, se não for bem, explicamos. Tirou nota baixa, 2 horas a menos de computador. Se tirar nota alta tá liberado! Provou que é responsável e que está aprendendo, tem crédito, esse é a meta e o trabalho dele.

Com certeza não tem uma fórmula mágica para lidar com nossos filhos. O que eu pratico é amor, amor, liberdade e responsabilidade. Confio neles e espero que eles retribuam essa confiança, tenho o tempo que eles precisarem de mim e quero ser o grande amigo deles. E você? O que faz com seus filhos?

Segue o artigo exclusivo para adolescentes: http://www.triadps.com/conteudo.asp?cd=187&opr=

Como ter mais tempo para seus filhos

bravo

No livro Você Dona do seu tempo, dediquei um capítulo para uma reclamação constante que ouvi nas entrevistas: falta tempo para aproveitar os filhos! Obviamente o problema não é exclusivamente feminino, e a culpa quando deixamos nossas crianças de lado são muito dolorosas.

Cansei de ouvir pessoas ensinando administração do tempo falarem uma frase clássica: “melhor qualidade do que quantidade de tempo!” , essa frase pode até ser válida em algumas circunstancias mas não quando o assunto são seus filhos! Fale para uma mãe que acabou de terminar a licença maternidade que ela não precisa ter tempo com seu bebezinho, mas sim qualidade!! Com certeza ela não irá gostar dessa idéia!

Minha abordagem para pais que não tem tempo para seus filhos é “periodicidade”, isso significa constantemente reservar um tempo para momentos de qualidade, independente da quantidade. Essa abordagem constante dá para seus filhos e para você a sensação de presença e que você dá importância para eles.

Por exemplo, estipule que todo dia, ao chegar do trabalho, após jantar tirará 20 minutos para ficar com seus filhos de verdade, isso significa desligar a TV, tirar as preocupações da cabeça e se focar em ouvir, brincar, ler, desenhar, ajudar na lição de casa. Descubra algo que você gosta de fazer em conjunto com eles, isso tornará esse tempo ainda mais agradável.

Nos sábados e domingos, aumente a dedicação, mas durante a semana aproveite esses pequenos momentos para se dedicar as pessoas importantes da sua vida, antes que seja tarde demais e você não possa mais fechar o buraco que se formou entre você e seus filhos!