Anúncios

O Professor sem tempo

Nosso país tem algumas bizarrices que se contar ninguém acredita. Uma delas é a discrepância entre as pessoas que formam o futuro desse país, com os nossos políticos. Enquanto o professor precisa fazer o tempo render para conseguir ter um rendimento digno no fim do mês, os políticos têm tempo de sobra. Eles nem sempre vão às sessões e em algumas instancias têm 14º e ainda mais tempo de férias.  Um lutando e o outro rindo na cara da sociedade. Por isso, nesta semana não jogue fora seu voto. Cuidado com canalhas disfarçados de ovelhas que pedem seu voto. Pesquise na Internet suas propostas e depois acompanhe (utopia?).  Olha só o e-mail que recebi com uma pergunta que deu origem a este post:

tiredtecach

“…Sou professor aqui no Rio de Janeiro. Tenho 35 anos, solteiro. Para ter uma renda razoável tenho que trabalhar em 7 lugares diferentes. Trabalho inclusive aos domingos das 7h às 12h. Em todos esses ambientes tenho que fazer um planejamento diferente para cada turma, preparar cada aula, elaborar exercícios, perceber o aprendizado dos alunos, etc. Sou cercado de urgências de meus diretores o tempo todo. A cada dia que chego para trabalhar tenho algo inesperado, que mudou drasticamente. Isso ocorre porque algumas dessas pessoas são muito desorganizadas. Por conta disso sempre tenho trabalho para casa. Sempre estou muito cansado, com sono…”

Esse professor literalmente não tem tempo disponível! É um dos raros casos, onde há realmente falta de tempo e não desperdício como na maioria. Não é uma situação fácil, vai exigir um esforço grande para colocar mais tempo nessa vida, mas não é impossível. O que fazer nesse caso? As dicas vão para o professor, mas podem ser aplicadas em diversos segmentos:

1 – Planeje com mais tempo – Reserve um dia para planejar todas as suas aulas. Veja as formas de aproveitar o planejamento para as diversas escolas, ou pelo menos, para as aulas. Ao invés de planejar as aulas dos próximos dias, procure planejar as do mês ou do bimestre todo, com flexibilidade para eventuais mudanças.

2 – Apresente seu planejamento – Quando o plano estiver pronto, o apresente ao diretor, tente levantar possíveis mudanças e aprovações. Com frequência revise e reforce o plano com seu diretor, isso evita esquecimentos.

3 – Corte o que não gera resultado – Analise com frieza se os sete lugares que você trabalha realmente valem a pena. Às vezes se você cortar um ou outro, a diferença de ganho não fará grande diferença, mas vai te permitir ter mais tempo e energia, o que ajuda sempre a ter mais ideias para gerar mais dinheiro. Negocie mais aulas no mesmo lugar se for o caso, permitindo usar melhor seus recursos.

4 – Aumente o tempo para você – Quanto menos tempo, mais necessário encontrar algo de que você goste muito, como um hobby, um esporte, etc. Encaixe essa atividade sempre que tiver dias “pesados” ou cheios. Isso ajudará você a aumentar seu nível de energia pessoal, seu equilíbrio e por consequência você ficará mais disposto e produtivo. É fazer mais com menos esforço.

5 – Torne seu trabalho mais fácil – Será que existe alguma forma de reaproveitar conteúdos, provas ou material entre as aulas? Se tiver não pense duas vezes. É melhor gastar mais tempo para fazer um material que possa ser reaproveitado, do que criar diversos conteúdos.

6 – Aprenda a dizer não – Conheça seus limites. Se algum diretor está explorando seu tempo é necessário que você tenha mais assertividade em suas posições. Um não bem colocado, com embasamento não machuca ninguém, é respeito pessoal acima de tudo.

Já que não podemos mudar o Brasil tão rapidamente como gostaríamos, então vamos focar em mudar a nossa atitude e nosso tempo. Sem dúvida vai fazer uma grande diferença!

Anúncios

Será que meu tempo precisa de um coach?

De alguns anos para cá o coaching entrou na pauta da maioria dos executivos e empresas brasileiras. Milhares de pessoas largaram suas carreiras executivas e adotaram uma vida como coach. E mais uma centena de empresas se especializou em criar “coaches” para o mercado.

Coaching é uma febre hoje. Ficou chique dizer que você faz coaching com alguém. E ainda mais top é você se tornar um coach. Tem tanto coach no mercado, que em algumas cidades tem mais coach do que professor, do que médico, etc.

Eu acredito no processo de coaching, eu acho que ele ajuda bastante em diversas situações. Ele pode te ajudar a enfrentar decisões de carreira, a descobrir sua missão pessoal, a orientar suas ações com o time, a lidar com problemas profissionais, definir metas e etc. Agora o importante é não confundir coaching com terapia, são coisas completamente diferentes.

Em alguns momentos talvez você precise de uma terapia, com uma psicóloga mesmo, que te ajude a descobrir a origem de seus problemas, veja diferentes versões da mesma história, te ajude a se auto descobrir e a lidar com seus conflitos pessoais. mentor

O coaching também não é que vai decidir nada por você, ele tem de ajudar você a descobrir por si próprio. Se quiser que alguém decida por você, ai você precisa de um mentor, que baseia sua decisão em experiências anteriores e conhecimento do assunto, justificando melhores caminhos para você.

Eu tive uma coaching durante um tempo, que me ajudou a lidar com alguns aspectos da minha liderança. E tive um mentor que me ajudava a tomar as decisões de negócio corretas, em um mercado que não conhecia. Ambas as experiências foram muito positivas para mim.

O problema não está no coaching, mas na qualidade do coach. Como em toda a profissão tem pessoas boas e idiotas que estragam o mercado. Por isso você precisa escolher muito bem quem vai ser a pessoa que vai te ajudar, ou vai jogar dinheiro no lixo. Converse com pelo menos três ou quatro ex-clientes, analise o resultado. Peça também referência de um caso de insucesso, analise uma óptica diferente. Pesquise sobre sua formação, pois no Brasil, tem curso de coaching por correspondência e tem empresas sérias que são muito bem conceituadas no mercado. Analise também a experiência previa ao papel de coach. Será que ele saiu da faculdade e virou coach ou foi uma pessoa com bagagem e experiência prática em diversas áreas/empresas?

E para administrar seu tempo, você precisa de um coach? A minha resposta é que o coaching pode te ajudar em uma parte do processo, ele pode te ajudar a identificar o que é importante para você e seus objetivos, ensinar uma ou outra forma de planejar. Inclusive diversos coaches aplicam a metodologia Tríade em seus processos.

Porém o coaching tem limitações na área de produtividade de verdade, na maior parte dos casos depois de um tempo só vão te atrapalhar e sugar seu dinheiro tentando. Um coach sério sabe a hora de parar e também seus limites de atuação.

No quesito de produtividade e gestão de tempo, coaching por si só não adianta, é preciso mentoring, ou seja, um cara que te diga o que fazer, quando e como fazer. E se você não fizer vai fazer junto com você. Chega um ponto em produtividade que para mudar o mindset, é preciso ação, “porrada externa“ e aceitação dos erros, mas esse é um assunto para outro post.

Se você está pensando em achar um coaching, veja se seu caso é aplicável a coaching, terapia, mentoring, astrologia ou em reuniões com você mesmo. Caso decida por um coach, analise bem seu histórico, combine a forma de atuação que se sente mais confortável, mapeie claramente seus objetivos e analise o progresso. Se não funcionar, pode ser que o coach não seja o mais adequado ao seu caso ou talvez não seja coaching a sua necessidade.

Organize seu tempo para que as reformas não acabem com sua produtividade

Estou passando por uma reforma, pois meu apartamento novo ficou pronto e preciso reformá-lo para mudar. Não é nenhuma reforma pesada, são coisas simples como mudanças de ponto de ar, elétrica, gesso, pintura, piso, mudança de cubas, granito, automação, marcenaria, etc.

Eu fiz um planejamento de 50 dias corridos a partir do momento em que eu pegasse as chaves até estar morando, com tudo pronto. Claro que alguns amigos e parentes, que provavelmente lerão esse texto, estão gorando para que meu planejamento fure, afinal como eles dizem: uma coisa é administrar o tempo outra é administrar o tempo de uma obra!

Lego-House (1)

Preciso admitir que odeio reforma de qualquer tipo, espécie, tamanho, etc. Não suporto. E essa reforma está consumindo um tempo realmente grande. Como eu tinha duas perguntas na fila sobre essa questão, aproveito nesse post para responder e falar algumas coisas que estou fazendo para a obra não roubar meu tempo.

1 – Faça um plano

Uma obra é a coisa mais imprevisível do mundo, por isso, mais do que nunca fazer um planejamento é essencial. Não dá para prever tudo, mas sem saber nada, vai gastar um tempão. Eu criei um projeto com todas as tarefas que precisava fazer (orçamentos, compras, follow up com fornecedores, etc), adicionei nesse plano tarefas que são “marcos” de finalização. Por exemplo: gesso termina no dia 11, pintura termina dia 15, etc. Como uma coisa depende da outra, eu nunca deixo tudo muito junto, dou sempre 1-2 dias de intervalo, pois caso dê tudo certinho eu tenho folga para antecipar os prazos.

2 – Agrupe seus orçamentos

Devido ao grande volume de coisas para serem compradas e feitas em uma obra, as pessoas podem multi-tarefar essas atividades e com isso perder muito tempo. Por exemplo, ela vai na loja de lustres orçar spots, depois vai ver cubas e depois ver a tinta. Na outra semana, ela passa em outra loja de lustres para orçar.

É muito mais eficiente se a pessoa fizer uma lista de itens que precisam ser orçados e visitar um número de lojas que achar adequado de um mesmo segmento. Por exemplo, no sábado passado tirei a tarde para visitar lojas de iluminação. Quando você tem na cabeça o que quer, e está vendo isso, fica mais fácil de comparar e tomar a decisão.

3 – Contrate bons profissionais

Tem coisa barata que sai caro. Não adianta pegar o pintor mais barato, o eletricista mais barato e quando a coisa começar a andar eles te ligam a cada 15 minutos porque não sabem o que fazer. O seu tempo é precioso demais para isso. Com um bom profissional, você faz uma reunião objetiva, explica tudo, tira dúvidas e depois não se arrepende. O barato pode custar caro ou pior ainda, pode custar seu tempo!

4 – Faça follow up diários

Meu amigo Gérson, engenheiro e diretor de uma grande construtora, sempre me fala isso: quanto mais rápido o problema aparecer, mais rápido ele vai embora. Se for possível diariamente visite sua obra, se não for possível peça para alguém tirar uma foto. Quando estou em Santos eu visito a obra na hora do almoço e quando saio do trabalho, e sempre, por mais explicado e desenhado que esteja tem coisas para ajustar, mas nada que atrapalhe meu cronograma, pois foram vistas logo no começo.

5 – Negocie alguns dias

Se você tiver na sua empresa banco de horas ou flexibilidade no horário, vale tirar 1 dia para se dedicar às ações da obra e na mudança também. Além de reduzir seu estresse, será mais eficiente, pois do que adianta estar na empresa com a cabeça na obra?

E, obviamente, se você tiver a sorte que eu tenho, de ter uma super-esposa que tem uma vontade escondida de ser arquiteta/decoradora, tudo vai fluir que é uma maravilha, pode delegar que ela vai adorar. A única coisa ruim é que seu cartão não vai gostar tanto assim!

E você tem dicas boas para gerenciar suas obras? Compartilhe conosco!

Quanto tempo leva para ter resultados na administração do tempo?

Muita gente faz essa pergunta quando começa a usar a metodologia Triad no dia-a-dia, basicamente queremos resultados rápidos e se não o obtermos acabamos desistindo.

Em primeiro lugar é importante entender que você já tem um método de administração do seu tempo na sua vida. Esse método começou a ser formatado durante sua infância, pré-adolescência e se consolidou na sua fase adulta. Você levou décadas para gerenciar o tempo do jeito que você faz hoje! Com base nos exemplos, ambiente social, familiar, escolar e primeiras lideranças em seu trabalho.

Você treinou seu cérebro para administrar seu tempo e se você precisa de um novo resultado na sua vida, precisa treinar novamente. Agora é um luta injusta décadas de treino, contra semanas de um novo modelo.

persist-poster

Por isso se você quer de verdade aprender a ter mais tempo na sua vida, vai precisar de persistência e tempo! De acordo com as nossas estatísticas com base em novos usuários do Neotriad, as pessoas demoram de 4 a 7 semanas para começarem a ter resultados, antes disso o resultado é ínfimo, o planejamento não dá certo, não conseguem colocar tudo que tem para fazer no sistema, não acompanham, não seguem as prioridades, etc. Claro que algumas pessoas conseguem resultados antes, mas não são a regra!

A maior parte das pessoas desiste na 2ª ou 3ª semana, pois não conseguem ver os resultados, quando na verdade se elas persistissem de verdade por mais algumas semanas começariam a ver a mudança no seu dia-a-dia.

Como nosso cérebro é mais do que complexo, ele precisa errar para aprender. Ele precisa liberar dopamina, que ativa um circuito que aprende com o erro e gera aprendizado a longo prazo. Graças a você ter caído um monte de vezes enquanto você era um bebe é que anda hoje.

E então os 21 dias que todo mundo comenta para criar um hábito? Muita gente de administração de tempo cita esse número aos ventos, mas apenas se aproveitando do padrão com estudos de pessoas que perderam movimentos ou membros . No fundo, em gestão de tempo é um pouco diferente. 21 dias é um número interessante, 2+1=3 de tríade, funciona para alguns, mas para a maior parte das pessoas, não é suficiente .

Quer ter mais tempo de verdade? Aprenda o método , descubra um “porque” muito forte para você ter mais tempo na vida e dedique-se de verdade pelas próximas 5 semanas! Nada menos do que isso pode ser julgado.

Qual o momento certo de arriscar algo novo?

Será que existe uma hora certeza para largar o certo pelo incerto? De arriscar em algo diferente? Eu tenho recebido perguntas acercar desse assunto, veja uma delas:

“Sou formada em PD, como você, e tenho certificações internacionais  na minha área. Resolvi largar São Paulo e TI e decidi gerenciar a empresa da minha mãe. Acontece que, nestes anos gastei toda minha poupança e os ganhos não estão sendo suficientes, fora que me bateu uma saudade enorme do passado. Estou num impasse se devo voltar pra TI ou esquecer de tudo mesmo e insistir na empresa. Estou fazendo um estudo de viabilidade conforme vou lendo o seu livro, mas queria uma opinião pessoal sua…

Sem dúvida você está passando ou conhece alguém que está se perguntando algo similar. Estou em um bom emprego, seguro, mas não estou feliz. Ou estou ganhando super mal, mas estou fazendo aquilo que gosto. Ou ainda, querendo arriscar a fazer um curso, mas acha que é muito caro. Talvez sair de uma relação que você tem a certeza que já deu, enfim, coisas assim.

Você sente o incomodo, mas não sabe o que fazer com ele. E óbvio que isso consome muito tempo da sua vida, e muitas vezes, um tempo completamente inútil.

A verdade é que ninguém pode ter uma resposta para isso a não ser você mesmo. O problema é que as pessoas não sabem criar as condições para ter essa resposta.

Sempre que tenho um impasse ou algo que está emperrado eu paro para me perguntar e não para pensar! Perguntas são as respostas! Se a sugestão valer para você, seguem algumas perguntas que podem ser feitas:

1 – E se eu mudar e optar por esse novo rumo? O que pode acontecer de bom? O que pode acontecer de ruim? Tem mais vantagens ou desvantanges?

2 – Alguém será prejudicado com essa minha decisão? É possível evitar ou minimizar o impacto?

3 – O que me impede de tomar essa decisão? O que preciso fazer para vencer essas barreiras?

4 – É ético? Honesto? Vou conseguir dormir de noite?

5 – Minha família vai junto comigo?

6 – Vai ajudar a realizar meus sonhos e objetivos?

Faça uma ponderação sobre as respostas, muitas vezes vai reparar que o problema não é tão grande quanto parece, que a dúvida é mais simples do que se achava e o que impede você muitas vezes é apenas o medo do desconhecido.

Se não arriscar não há chances de progredir. Se não arriscar vai ficar no mesmo ponto que está hoje!

Eu tenho um amigo que passou por esse momento recentemente, trabalhou na mesma empresa por mais de dez anos, salário excelente, carreira estável. Até que o incômodo bateu. No começo era apenas uma sensação estranha, depois cresceu. Hoje ele me disse que decidiu e pediu para sair da empresa. Vai arriscar. Se vai dar certo ou errado, só o tempo dirá, mas se não fosse a decisão ele nunca saberá! Se der errado, ele ainda terá tempo de reverter. Se der certo, vai dizer porque não arriscou antes.

Não faça nada apressado, planeje, planeje e quando estiver cansado planeje novamente. Não existe planejamento que seja executado 100% do jeito que foi criado, mas sem ele tudo fica mais difícil e só aumenta o medo do desconhecido. Planejar torna o desconhecido no conhecido.

Melhor ter a certeza do erro por ter feito do que a dúvida certa do que ficou estagnado. Pergunte e se achar que deve arrisque. Apenas não fique parado e conformado.

Boa Semana.

1 Hora a mais

O que você faria se tivesse mais uma hora no seu dia??? Com o término do horário de verão isso é uma realidade, aproveite!