Anúncios

O Professor sem tempo

Nosso país tem algumas bizarrices que se contar ninguém acredita. Uma delas é a discrepância entre as pessoas que formam o futuro desse país, com os nossos políticos. Enquanto o professor precisa fazer o tempo render para conseguir ter um rendimento digno no fim do mês, os políticos têm tempo de sobra. Eles nem sempre vão às sessões e em algumas instancias têm 14º e ainda mais tempo de férias.  Um lutando e o outro rindo na cara da sociedade. Por isso, nesta semana não jogue fora seu voto. Cuidado com canalhas disfarçados de ovelhas que pedem seu voto. Pesquise na Internet suas propostas e depois acompanhe (utopia?).  Olha só o e-mail que recebi com uma pergunta que deu origem a este post:

tiredtecach

“…Sou professor aqui no Rio de Janeiro. Tenho 35 anos, solteiro. Para ter uma renda razoável tenho que trabalhar em 7 lugares diferentes. Trabalho inclusive aos domingos das 7h às 12h. Em todos esses ambientes tenho que fazer um planejamento diferente para cada turma, preparar cada aula, elaborar exercícios, perceber o aprendizado dos alunos, etc. Sou cercado de urgências de meus diretores o tempo todo. A cada dia que chego para trabalhar tenho algo inesperado, que mudou drasticamente. Isso ocorre porque algumas dessas pessoas são muito desorganizadas. Por conta disso sempre tenho trabalho para casa. Sempre estou muito cansado, com sono…”

Esse professor literalmente não tem tempo disponível! É um dos raros casos, onde há realmente falta de tempo e não desperdício como na maioria. Não é uma situação fácil, vai exigir um esforço grande para colocar mais tempo nessa vida, mas não é impossível. O que fazer nesse caso? As dicas vão para o professor, mas podem ser aplicadas em diversos segmentos:

1 – Planeje com mais tempo – Reserve um dia para planejar todas as suas aulas. Veja as formas de aproveitar o planejamento para as diversas escolas, ou pelo menos, para as aulas. Ao invés de planejar as aulas dos próximos dias, procure planejar as do mês ou do bimestre todo, com flexibilidade para eventuais mudanças.

2 – Apresente seu planejamento – Quando o plano estiver pronto, o apresente ao diretor, tente levantar possíveis mudanças e aprovações. Com frequência revise e reforce o plano com seu diretor, isso evita esquecimentos.

3 – Corte o que não gera resultado – Analise com frieza se os sete lugares que você trabalha realmente valem a pena. Às vezes se você cortar um ou outro, a diferença de ganho não fará grande diferença, mas vai te permitir ter mais tempo e energia, o que ajuda sempre a ter mais ideias para gerar mais dinheiro. Negocie mais aulas no mesmo lugar se for o caso, permitindo usar melhor seus recursos.

4 – Aumente o tempo para você – Quanto menos tempo, mais necessário encontrar algo de que você goste muito, como um hobby, um esporte, etc. Encaixe essa atividade sempre que tiver dias “pesados” ou cheios. Isso ajudará você a aumentar seu nível de energia pessoal, seu equilíbrio e por consequência você ficará mais disposto e produtivo. É fazer mais com menos esforço.

5 – Torne seu trabalho mais fácil – Será que existe alguma forma de reaproveitar conteúdos, provas ou material entre as aulas? Se tiver não pense duas vezes. É melhor gastar mais tempo para fazer um material que possa ser reaproveitado, do que criar diversos conteúdos.

6 – Aprenda a dizer não – Conheça seus limites. Se algum diretor está explorando seu tempo é necessário que você tenha mais assertividade em suas posições. Um não bem colocado, com embasamento não machuca ninguém, é respeito pessoal acima de tudo.

Já que não podemos mudar o Brasil tão rapidamente como gostaríamos, então vamos focar em mudar a nossa atitude e nosso tempo. Sem dúvida vai fazer uma grande diferença!

Anúncios

Tragédia no Rio: o preço do Mindset Urgente

Quem acompanha meus livros e textos sabe que falo bastante sobre o conceito de criar um “mindset” (modelo mental) antecipado ao invés do modelo mental da última hora, que insistimos em manter.

Criar um mindset antecipado significa ter maior previsibilidade, maior controle sobre as demandas, diminuir o volume de urgências e pensar no amanhã ao invés de simplesmente no agora.

Nossa cultura brasileira, por diversos fatores históricos, tem forte tendência a ter um mindset da urgência, ou seja, nosso famoso “jeitinho brasileiro” sempre faz com que deixemos tudo para a última hora.

Esse modelo no dia-a-dia pessoal, causa transtornos de falta de tempo, mas quando isso é levado a uma cultura corporativa ou a um governo, causam verdadeiras tragédias anunciadas.

A tragédia no Rio de Janeiro foi mais uma prova disso. Já reparou como o Brasil funciona dessa forma? A catástrofe precisa acontecer diversas vezes, para tormarmos alguma providência. Se acontece uma ou outra vez, passa em branco, mas quando vira constante ai alguém se toca.

Líderes urgentes, negligentes criam esse estado no time. Governantes e autoridades com esse mindset urgente, se transformaram em assassinos. Eles praticaram 644 homicídios culposos (sem intenção de matar) nessa última tragédia no Rio.

Por que não foram tomadas providências antes da urgência? Se as autoridades foram avisadas das condições climáticas com alguns dias de antecedências por que nada foi feito? Não deu tempo? Não há desculpas para o que aconteceu!

Infelizmente não é só o caso das chuvas. Temos uma outra tragédia anunciada: o sistema penitenciário e o sistema de justiça brasileiro. Vão ter de matar alguém muito importante para mudar a lei? E os aeroportos então? Até fuzil já embarcaram no avião e as autoridades disseram que nada pode ser feito!

Bando de assassinos! Negligentes. Até quando vamos ter de esperar pessoas morrerem pela negligência de vocês? Não há desculpas. Ou vocês foram incompetentes ou negligentes. A urgência tomou conta e o importante ficou em segundo plano.

Em outras Países, é muito diferente. Vamos a um exemplo aqui do nosso lado, Chile. Todos sabem que eles sofrem muito devido aos terremotos, mas estão preparados. Por lá, todos os prédios construídos seguem rígidas normas sísmicas, as cidades tem avisos sonoros que a qualquer suspeita são acionados. As escolas tem treinamento em caso de emergência. Nos últimos terremotos poucas pessoas morreram, porque o Importante prevaleceu.

Eu vi na TV, um caso similar na Austrália. Por lá eles recebem via correio, uma carta, avisando da possibilidade de enchente e os procedimentos que devem ser tomados. No Japão, conforme você pode ler nesse post é similar!

Essa não é a primeira tragédia do País, foi apenas a pior. Com certeza, com o problema do aquecimentos teremos mais problemas. De acordo com o G1, a pior catástrofe brasileira havia sido a chuva de 1967 em Caraguatatuba, litoral de SP, que deixou 436 mortos. No ano passado, de janeiro a abril, o RJ teve 283 mortes relacionadas a temporais. Em SP, durante o 1º trimestre de 2010, quando a chuva destruiu São Luiz do Paraitinga e afetou outras 107 cidades, houve 78 mortes. Em 2008, na enchente que atingiu Santa Catarina, 135 morreram.

Quantas pessoas vão ter de morrer até alguém resolver mudar algo? Vamos começar a criar o mindset do Importante ao invés de viver o Mindset Urgente? Daqui a pouco temos Copa, Olimpíadas….

Infelizmente agora nada pode ser feito pelas vítimas que já se foram, o que podemos é ser solidários (nós brasileiros somos exemplo mundial) e apoiar as vítimas que ficaram. E cobrar esse bando de assassinos que tomem providências para que as próximas urgências não se transformem em catástrofes.

Fique com Deus.

Por quê nossos “Políticos” não seguem o exemplo OBAMA?

O presidente Barack Obama, prometeu fazer um "impressionante" corte no desperdício que existe no Orçamento governamental, ao detalhar seu projeto para o ano fiscal 2010. Ele propõe corte de US$ 17 bilhões do total de US$ 3,4 trilhões. Os cortes afetam 121 programas do governo, sendo que alguns seriam cancelados por serem ultrapassados, disse Obama. obama

"Há muito dinheiro que se gasta de forma ineficiente e, em alguns casos, de maneira realmente impressionante", afirmou Obama.

Obama quer transformar as operações mais enxutas, produtivas e que tragam reais resultados, o resto será cortado. Ele admitiu que o volume é pequeno, mas é um começo e que mais cortes virão.

"Para cada dólar que busquemos economizar, haverá alguém a quem interessará que se gaste. Mas, neste momento de dificuldade para nosso país, não podemos aceitar que as coisas continuem como estão."

Bem, eu li essa notícia no vôo da TAM para o Rio nesta última sexta-feira e fiquei pensando: o que impede os nossos políticos de fazerem algo parecido?

Se tem uma coisa que me deixa irritado nesse País é a corja (claro que com exceções) de políticos canalhas, medíocres, sem qualquer tipo de valor moral ou ético que fazem a palhaçada que vemos em nosso País.

E a culpa é nossa que votamos nesses cretinos. É a hora de fazer uma limpeza. De tirar esse bando de idiotas do poder e botar gente que faça de forma honesta e transparente.

Aos políticos que lêem o blog fica a mensagem: se não tem nada a temer, que sejam transparentes, que sejam produtivos, que parem com o desperdício de tempo e dinheiro desse País.

Por isso eu admiro os Estados Unidos, lá tem problemas também, tem gente medíocre e corrupta por lá, mas tem gente como um Benjamin Franklin, George Washington, Thomas Jefferson, Al Gore, Barack Obama que fazem a diferença e tentam mudar velhos padrões!

Eu não tenho estômago para a Política, voto para mudar, mas não seria político, mas clamo a nossos jovens e pessoas de ética e caráter nesse País que iniciem um processo de limpeza desses cretinos. Contem comigo nesse movimento!

ps.: se vier novamente e-mail para moderar o “tom sobre opiniões políticas” vou publicar aqui! Não importa de quem for o pedido….!