O quanto a sua Saúde afeta a sua Produtividade

Quando você pensa em adiar com promissos em função das suas urgências, a primeira coisa que sai da lista são seus compromissos pessoais. Principalmente os relacionados à saúde, não é verdade?

Temos uma mania insistente de healthcarepriorizar terceiros e deixar de lado nossa própria vida. Só que isso acaba tendo um preço alto, eu aprendi na pele o seguinte: se você não tem tempo para seu corpo, ele até é paciente, mas uma hora ele se cansa e te obriga a ter tempo para ele, te colocando de cama ou algo pior.

No dicionário da saúde existem duas palavras que definem essa situação. A primeira é o Absenteísmo, que significa que você não pode ir trabalhar devido a alguma condição de saúde.

A segunda é o Presenteísmo, que significa que você vai trabalhar com algum problema de saúde crônico como dores de cabeça, dores lombares, etc.

Medir o absenteísmo é fácil para as empresas, basicamente é só ver a quantidade de faltas devido a problemas de saúde. Já o Presenteísmo é bem complicado, tem que ter uma equipe de saúde atenta na empresa para ter algum tipo de indicador.

Independente do que você esteja passando, é preciso entender que se você não priorizar sua saúde, sua produtividade pode cair drasticamente. Esse ano eu comecei a ter um leve enjôo no final do dia, achei que era alimentação, achei que era algum grau que voltou na vista devido à cirurgia que fiz no passado, enfim, no começo achei que era frescura. Só que meu nível de execução reduziu em uns 30%, quase 3 horas por dia.

Até que chegou o ponto deu parar o Taekwondo e todo dia depois das 15h30 eu praticamente não consegui fazer mais nada de tanto enjôo. Eu já estava indo atrás desde os primeiros sintomas e descobri que era simplesmente uma labirintite. Com um remedinho todo dia eu não sinto mais nada e voltei a ser gente.

A minha amiga Bia Kunze (Garota Sem Fio), passou por uma situação de saúde similar:

“tive uma doença auto-imune que me derrubou (artrite psoriasica), fiquei internada por 11 dias no começo do ano, voltei 2x depois pro hospital… fiquei de cama na casa dos meus pais um mês e depois, mais 2 meses de cadeira de rodas. ainda estou fazendo fisioterapia, mas já estou andando bem, recuperei minha autonomia nas tarefas diárias.”

Ela já está de volta e agora confirmadíssima como colunista do Você com Mais Tempo sobre mobilidade.

De que adianta ter todo seu tempo a disposição se você não tem saúde para aproveitar? Não tem o que fazer a não ser priorizar o importante: VOCÊ e nunca mais se esqueça disso.

  • Que tal agendar um check-up geral na sua vida?
  • Que tal começar algum tipo de esporte? Nem que seja caminhar na esquina todos os dias com sua família, com seu cachorro ou com seus pensamentos?

Lembre-se: tempo não serve de nada sem saúde. Você precisa ter tempo para ter saúde e saúde para usar seu tempo! Por isso cuide de você enquanto é importante, pois quando virar urgente o prejuízo é grande.

Artigos relacionados:

76% dos profissionais trabalham mesmo doentes

Você usa seu tempo com Qualidade-

Você tem tempo para você-

Por que sempre na última hora-

76% dos profissionais trabalham mesmo doentes

Presenteísmo é o nome dado ao profissional que vai trabalhar mas tem sua produtividade afetada, por algum tipo real de problema de saúde. Real porque preguiça, má vontade, incompetência não é presenteísmo, é safadeza mesmo.

Esse foi o tema da palestra que fiz no fórum Você RH de Saúde, o assunto é extenso, mas vamos resumir alguns dados:

Atualmente pesquisas mostram que o custo com o presenteísmo pode chegar até 3% do PIB Brasileiro. Claro que são números subjetivos, pois é muito complicado mensurar o presenteísmo, mas dá para ter uma noção do que estamos falando.

sick_at_work

Em uma pesquisa recente do site de empregos Monster.com, com cerca de 33 mil profissionais revelou os seguintes dados:

  • 28% deles não ficam em casa e vão trabalhar doentes pois tem medo de perder o emprego.
  • 35% afirmam que  mesmo sem condições, trabalham devido ao grande volume de atividades e a sensação de não poder perder um único dia.
  • 13% disseram que ficam trabalhando de casa quando estão doentes.
  • Apenas 24% dos entrevistados revelou que prefere ficar em casa e só voltar a trabalhar quando estiverem plenamente recuperados.
    fonte

O problema é serio e está fazendo muitas empreas gastarem milhões de dólares em desperdício de tempo com toda essa improdutividade. O que fazer nesse caso?

1 – Ter um jogo aberto entre empresa e funcionário, permitindo que um problema de saúde identificado seja tratado com dignidade, sem o medo de perder o emprego.

2 – Treinar líderes para identificar funcionários com problemas de saúde e encaminhá-los para tratamento ou acompanhamento médico.

3 – Criar uma área na empresa de qualidade de vida voltada para identificação pró ativa, apoio e suporte de problemas de saúde crônicos como dores nas costas, dores de cabeça, dores de estômago, etc.

4 – Criar uma política de administração de tempo e produtividade corporativa, de forma a ajudar pessoas a terem tempo suficiente para executar suas demandas com equilíbrio para saúde e vida pessoal.

Essas são as principais sugestões que posso citar genéricamente para ajudar a minimizar o impacto do presenteísmo. O problema é sério e exige o envolvimento de todos dentro da empresa.

E você? Já foi trabalhar doente? Como sua empresa lida com essa questão?