Anúncios

Por que não tomamos decisões?

Nosso governo é o melhor exemplo do impacto que a falta de uma eficiente tomada de decisão gera. Em 2001, o então deputado Luiz Antônio Fleury, apresentou uma proposta que tratava de estabelecer votação aberta nos três níveis do legislativo. Depois de uma série de tramitações, falta de decisões e empurra com a barriga, a câmara dos deputados aprovou por unanimidade (que incrível né?) essa proposta. Agora falta passar pelo Senado. Estamos falando de mais de 12 anos para uma decisão tão importante ser tomada. Se não fosse isso casos como o do deputado “cara de aço”, Natan Donadon não estariam nem sendo discutidos.

decisao

Só que essa cultura não é só privilégio do governo, empresas de todos os tamanhos, também sofrem do mesmo mal. São assuntos que se arrastam por reuniões intermináveis. Decisões que são “compartilhadas” até que ninguém mais é dono e fica por isso mesmo e assim por diante.

Existem vários fatores que empacam as decisões, mas alguns são bem típicos:

1 – Falta de autonomia para decidir

Tem líder, empresa ou processo que simplesmente não dá autonomia necessária para que as pessoas tomem as próprias decisões. Isso pode ser para controlar risco, para gerenciar mais de perto processos ou pelo simples fato de um “ego grande”. Alguns líderes não conseguem conviver com a ideia de que alguém tome a decisão por eles, mas é claro que isso não acontece em nenhum lugar que você conhece.

2 – Falta de coragem para decidir

Algumas pessoas tem a autonomia para tomar a decisão, mas não conseguem ter coragem de decidir por si próprios. Preferem chamar outras pessoas para compartilhar a decisão, o que não é de todo ruim, porém isso na maior parte dos casos acaba se arrastando por muito tempo.

3 – Excesso de opções

Quanto mais opções, informações e conteúdo, mais difícil de decidir. Se você quer fazer a reforma da sua casa e pede para seis empresas fazerem orçamento, a sua decisão vai ser muito mais demorada do que se você fizesse apenas três orçamentos. Quanto mais opções, mais dúvidas geramos. Por isso, limitar suas opções é um fator de extremo bom senso para a decisão acontecer.

4 – Necessidade de brilho pessoal

Algumas decisões não são tomadas, pelo simples fato de que o cara que poderia decidir, prefere que todo mundo pense no assunto, bata a cabeça, faça um monte de reuniões, levantamentos, gaste muito tempo e dinheiro. Até que chega um belo dia que o “super decisor” aparece com a decisão mágica, que ele provavelmente já sabia desde o primeiro minuto. Já presenciou algum acontecimento como esse?

5 – Falta da gestão de “milestones”

Muitas decisões não são tomadas, porque as pessoas simplesmente esquecem que precisavam tomar. Você, por exemplo, pede cotação de preço de alguma coisa, vai recebendo as propostas por email ao longo dos dias e vai tocando a vida. Muita gente se esquece do que tinha pedido, como não tinha nenhuma “urgência”, vai arrastando o assunto e a decisão não é feita. Colocar uma tarefa de quando deve ser a decisão ajuda a limitar o tempo e por consequência realizar a decisão.

6 – Preguiça

E por último, mas não menos incomum, temos a famosa preguiça Vamos deixando. E em muitos casos a decisão não é tomada. Só que não tomar nenhuma decisão, já é uma decisão: a de negligenciar. Coisa que infelizmente nosso País está meio de saco cheio, não é verdade?

Anúncios

Atitudes que não deixam sua vida evoluir

dummie

1 – Não ter objetivos definidos

Se você não sabe o que quer, o tempo vai passar e nada vai acontecer, mas com certeza vai estar sempre com a sensação de que fez um monte de coisas. Escolha um ou dois objetivos extremamente realistas e pé no chão, para os próximos meses, escreva-os e detalhe um plano de ação. Ter algo mesmo que não seja “o plano perfeito” é melhor do que não ter nada.

2 – Achar que o momento certo ainda vai aparecer

O momento certo é um mito, ele não existe. As condições perfeitas nunca vão acontecer na hora que você precisa. Faça o momento certo ser o momento em que você decidir começar a sair do lugar, quem espera nunca alcança, ou nesse caso fica no mesmo lugar. É a lei da inércia.

3 – Não planejar seu tempo

Se você deixa a vida fluir como um rio, vai acabar como um peixe, na mesa de alguém ou nadando aleatoriamente. É preciso dar um norte para a semana, para o mês, para o dia. Se você não planejada nada, as coisas simplesmente se tornam urgentes e você fica sem tempo de fazer a vida evoluir.

4 – Não ter uma agenda eficiente

Se você anota as coisas que precisa fazer na cabeça, no post it, no caderno em qualquer lugar que tiver mais próximo, você é um forte candidato a se perder entre suas tarefas, não conseguir planejar de forma adequada e quando perceber não tem tempo para nada. Agenda eficiente é aquele que centraliza tudo que você precisa fazer, te permite planejar e está sempre presente com você.

5 – Usar o fim de semana para procrastinar a vida

Nada contra pegar um fim de semana de preguiça e não fazer nada, mas se você faz isso com a maior parte dos seus fins de semana tem algo errado. É no fim de semana que temos a oportunidade de recuperar a energia, de colocar a leitura em dia, de fazer algum curso, de ter tempo com os amigos, de estudar algo novo, de elaborar melhor suas ideias.

6 – Achar que alguém é responsável pela sua carreira

Não é a empresa, não é seu chefe, não são seus pais, seus amigos ou seus professores que fazem sua carreira. Você é que tem que constantemente usar seu tempo para investir em cursos, networking, eventos, estágios, etc.

7 – Não correr riscos

Se você faz o que costuma fazer sempre, vai ter o resultado de sempre. Os medíocres são aqueles que ficam na media. Os visionários, nada mais são do que pessoas que correram o risco e deram certo. Visionários erram, mas é errando que torna os riscos mais calculáveis. Alguma coisa você precisa arriscar, pense bem, analise com cautela, veja os prós e os contras e vá em frente.

8 – Reclamar

As coisas não dão sempre certo, a vida vai ter um monte de burradas, de erros, de traições, de mágoas, de perdas, etc. Viver é assim mesmo, se não curte isso, “pede pra sair” rsrsrs. Aprenda com os erros, faça uma análise e comece de novo. Perder seu tempo reclamando só vai piorar a situação. Enquanto você reclama, com certeza alguém já está começando a fazer a história de sucesso do amanhã.

9 – Excesso de Redes Sociais

Eu gosto do facebook, twitter, linkedin. Na medida certa eles fazem a diferença na vida pessoal e profissional. Agora se você está viciado nas redes e deixa de fazer coisas importantes, com certeza vai ser bem difícil de evoluir.

Tempo ocioso ou desperdiçado?

“…trabalho como recepcionista em uma empresa há 4 anos e não consigo evoluir na minha carreira. Sinto que uso muito mal meu tempo, o que você me recomenda?…”  trecho de um e-mail enviando ontem pela leitora Cláudia.

Cláudia, eu não sei quanto tempo realmente “livre” você tem durante seu trabalho, mas o que vejo quando visito uma empresa que tem uma recepcionista é que boa parte do tempo, quando não está no telefone, ela está envolvida com Facebook, paciência, MSN e outras coisas mais. O mesmo acontece com estagiários, trainees e mais um monte de outros cargos em que a pessoa fica ociosa durante algum tempo.

Não sei se é seu caso, mas infelizmente a gente não faz o que deveria fazer porque estamos sempre ocupados, mas será que estamos ocupados com as coisas que realmente fazem nossa vida sair do lugar?

Se você quer evoluir na carreira, primeiro precisa saber o que vai te fazer evoluir. Será que é uma pós-graduação, falar outro idioma, estudar para um concurso, aprender a usar melhor o Excel, etc?

Defina uma coisa que vai realmente te ajudar a evoluir na carreira, algo que possa ser iniciado e finalizado em pouco tempo (assim você verá mais rapidamente seu progresso e não vai desanimar tão cedo). Feito isso, descubra uma forma de fazer isso online. Existem centenas de boas pós-graduações via Internet, boas escolas de inglês online, etc.

Estar online, significa liberdade para fazer quando você quiser. Se estiver na recepção, não tiver ligação, não tiver ninguém, e se isso não for prejudicar seu trabalho naquele momento, abra o curso e estuda inglês, faça a aula do curso da pós, etc. e aí sim, depois que fechar esse primeiro objetivo que você definiu, parta para um próximo que vá fazer a diferença na sua carreira e assim por diante.

A vida é um lago de oportunidades, algumas pessoas colocam a vara sem isca no lago e ficam ali sentadas, esperando um peixe aparecer e querer morder um anzol sem atrativos. Outras pessoas sentam no lago, preparam calmamente a melhor isca e ficam prontas para o peixe certo.

Ajuste sua vara!

Como finalizar aquela tarefa chata que você está adiando?

Todo mundo, por mais que goste do seu trabalho, tem uma ou outra tarefa chata para ser feita ao longo do dia. Em geral o que acontece naturalmente é priorizarmos o gostoso e deixamos o chato para o final. Isso faz a coisa empacar, porque no fim do dia estamos cansados e ai que nada vai ser feito mesmo.

clip_image002

Meu novo livro que será lançado esse semestre, estuda com profundidade essa ideia, e deu para perceber que tem gente que realmente abusa da “auto procrastinação”. Tem pessoas que chegam a adiar tarefas dezenas de vezes ao longo do ano, quando pesquisamos isso no sistema Neotriad.

Se você é mais uma dessas pessoas que entra nesse perfil, não se culpe tanto assim, afinal todo mundo procrastina, seja ao apertar o botão “soneca” do despertador até tarefas chatas. Dá para vencer esse mal? Erradicar a procrastinação da vida é impossível, mas podemos criar “atalhos” ou “trapaças” para nosso cérebro ter mais vontade de fazer:

1 – Coloque as coisas mais chatas em seu período de maior produtividade mas sempre em pedaços pequenos que não ultrapassem 30 minutos. Se a tarefa durar por exemplo 2h, faça em 4 períodos de 30 minutos ao longo do dia ou distribua em diversos dias.

2 – Quando for começar a tarefa e der preguiça, pense no pior e no melhor que pode te acontecer se você fizer ou adiar a tarefa. Coloque bastante emoção e veja o resultado.

3 – Adicione fatores prazerosos durante ou pós a atividade, como por exemplo, música, um bombom de presente, um intervalo, etc.

4- Se a tarefa exigir muitas decisões, faça um intervalo, alimente-se adequadamente (cerais, frutas, etc.) e inicie a atividade. Existe uma relação direta entre alimentação e capacidade de decisão de acordo com recentes pesquisas.

Se nada der jeito, planeje a atividade para outro momento, de preferencia mais tranquilo e veja se acontece. Se não der jeito, peça ao seu chefe para colocar um prazo bem apertado para você! Rssrsr

Tá difícil cumprir as tarefas do dia? Que tal jogar com elas?

Essa é a proposta da rexbox que desenvolvou o EPICWIN, uma programa que transforma suas tarefas do dia-a-dia em um jogo estilo RPG. A cada tarefa que você for concluíndo você tem pontos e vai descobrindo tesouros e novos desafios. Interessante, mas pra mim não rola… Se alguém for usar e tiver bons resultados por favor comente.

tks ao Felipe Mendes por enviar o link!

Veja o vídeo:

Pergunta da Semana: O que você costuma procrastinar e por quê?

faq_questionmarkRetornando a série de perguntas da semana, vamos falar sobre um tema muito comum no dia-a-dia das pessoas: a mania de procrastinar, deixar para depois.

O que você costuma procrastinar? Que tipo de atividades você fica enrolando para fazer? Você sabe quais são os motivos que te impedem de realizar a atividade?

Eu já abordei esse tema antes aqui no blog e em artigos, mas to preparando um vídeo sobre esse assunto aqui para o blog e gostaria de contar com o input de vocês para ver os motivos, razões e o tipo de atividades…Se tiver dicas que utiliza para não ficar procrastinando, serão muito bem vindas!

Os realizadores, os conformados e os procrastinadores.

Uma forma fácil de entendermos o ritmo produtivo e evolução das pessoas é dividi-lo em três grandes grupos:

  • Os realizadores – são aqueles que saem do lugar e fa zem alguma coisa seja para atingir seus objetivos, dar saltos na carreira, viver melhor seus relacionamentos e ter mais saúde e prosperidade em todos os sentidos.
  • Os conformados – são aqueles que já assumiram que simplesmente não barriga-cerveceradá pra mudar, que a vida é assim mesmo, que ele não nasceu com o “rabicó” virado para a lua e que acredita que time que está empantando pelo menos não tá perdendo.
  • Os procrastinadores – são aqueles que até tem vontade d e mudar, de fazer algo diferente, que se motivam para criar planos, mas na hora H alguma coisa os impede de dar o próximo passo.

A parte triste dessa divisão é que todo mundo, pelo menos uma vez na vida, já teve um desses perfis presente na sua rotina. Não é verdade? Ninguém é 100% realizador. Com certeza, o Bill Gates, Steve Jobs, Sílvio Santos, João Doria ou qualquer outro desses personagens que são extremamente bem sucedidos, já tiveram seus dias de procrastinadores e conformados.

Só que essas pessoas tem uma coisa em comum: eles conseguem administrar esses perfis e voltam rapidamente para o perfil realizador. Eles entendem que ninguém é inabalável, mas que todos tem uma capacidade inigualável de seguir em frente, no perfil adequado.

Em qual perfil você está vivendo hoje em dia? Que tal aproveitar que praticamente 50% do ano já foi embora para começar a viver no perfil mais adequado?

Entrar no perfil dos realizadores não é uma coisa do outro mundo, se eu pudesse definir 5 passos chave para começar a realizar, eles seriam:

1 – Aprenda a administrar bem o tempo que você tem para ter mais energia para caixamagicafocar nas coisas que você gostaria de realizar.

2 – Defina 1-2 pequenas ou médias realizações que gostaria de ter nesse próximo semestre, compartilhe com uma pessoa de extrema confiança e siga os passos nesse post para montar o objetivo.

3 – Crie uma disciplina mental de pelo menos diariamente ler e revisar os planos dessas realizações. Algo que o mantenha conectado ao que deve ser feito.

4 – Ache uma forma de vencer a procrastinação ou o confirmismo quando ele aparecer. Pode ser um vídeo, um filme motivador, um amigo que possa dar força, uma saco de porrada, etc. Toda vez que eu fico desmotivado, eu visito o site do meu concorrente mais medíocre e que faz o maior sucesso nos EUA, impressionante como isso me anima e me faz sair do lugar.

5 – Faça um mapa mental com as possibilidades de mudanças, próximos passos, idéias ou pequenas coisas que podem te ajudar a chegar no seu resultado. A função desse exercício é colocar sua mente para criar ações executáveis e não apenas “contemplações conformistas”.

Se não conhecer a técnica de mapas mentais, rabisque em uma folha de papel uma linha de um ponto A para o ponto B e no meio da linha comece a colocar pequenas ações (ou idéias) que vão te ajudar a chegar lá, depois refine esse rascunho em ações com datas na agenda. Veja esse exemplo:

image

E você? Que dicas você tem para sair da Procrastinação ou do Conformismo?