Um case de redução de e-mails.

Não precisa ser gênio para entender que o e-mail está matando a produtividade nas empresas. Em vez de produzirem mais, muitos profissionais perdem tempo respondendo centenas de mensagens diárias, muitas delas sem relevância, que lotam suas caixas diariamente. Nossos dados indicam que um profissional gasta de 1 hora até 3 horas por dia na gestão da sua Caixa Postal.

Eu já tratei de algumas soluções para esse problema aqui no post. Se quiser dar uma relembrada, sugiro a leitura desses dois posts:

Mate o e-mail antes que ele mate você!

Estratégias para vencer o vício do e-mail

Tenha uma estratégia para criar pastas de e-mail

Quando falamos do problema de e-mail, muita gente acha que é uma batalha perdida, que não tem jeito, que é um problema que teremos de conviver. Eu acredito o contrário: é possível ter uma vida mais tranquila para toda a empresa no uso do e-mail.

email-feature

Resolver a questão do e-mail pode envolver uma série de soluções. Para algumas empresas, o simples fato de treinar as pessoas a usarem melhor seu MS Outlook ou Lotus Notes já ajuda muito. Em outras será necessário implementar uma estratégia de colaboração que troca a gestão de atividades via correio para uma forma mais centralizada, organizada e gerenciável.

Em outros casos será necessário definir uma política tanto de e-mail quanto de gestão do conhecimento ou ainda um sistema de gestão de requisições ou estratégias de rodízio, que também podem minimizar o problema.

Todas as soluções dependem de uma pessoa com poder de decisão e de replicação, dar o primeiro passo. Ter coragem de verdade de enfrentar o problema. Isso sim é difícil.

Recentemente, tivemos um case de sucesso, de um cliente muito especial da Triad PS, a Boehringer Ingelheim, uma das maiores farmacêuticas do mundo. O gestor da área de operações clínicas, Fábio Rodrigues, tomou a decisão de implementar um programa de redução de e-mails. Treinamos a equipe a usar melhor o MS Outlook, compartilhamos boas práticas de e-mail e a área definiu métricas do volume de e-mails. O objetivo era reduzir o numero de mensagens e otimizar a rotina.

O Fábio acompanhou e reforçou as métricas durante todo o trabalho: “Mensalmente, enviava à equipe um gráfico com o status do projeto e conduzia uma reunião de feedback individual, reforçando para os funcionários que o objetivo não era privá-los de enviar e-mails, fiscalizá-los ou simplesmente desmotivá-los e sim otimizar o tempo e produtividade de todos. A iniciativa tornou a equipe mais dinâmica e a estimulou a encontrar soluções criativas para problemas do dia a dia.”

O processo conseguiu reduzir em 30% o volume de e-mails durante um ano, resultando em uma economia de aproximadamente 1,5 mês de trabalho! Bom né? Do cacete, isso sim!

Dá para viver sem e-mail? Não dá, mas é nosso dever, achar soluções para minimizar o seu impacto na nossa rotina. É uma questão de ter mais tempo, de sobrevivência e sanidade nesse mundo que a tecnologia nos torna cada vez mais insanos!

E você? O que sua empresa tem feito para melhorar o uso de e-mails? Compartilhe as dicas!

Até a próxima

Tem facebook? Clique aqui para entrar na minha página.

Tudo é uma questão de percepção

Se um dia você machucar seu dedo, seu pé ou qualquer outra parte do corpo experimente pegar um binóculo e olhar com a parte invertida para o machucado. Depois de algum tempo você perceberá que a dor diminui. Pesquisadores da Universidade de Oxford comprovaram que diversas sensações, como a de dor, são moduladas de acordo com aquilo que você vê.

binoculo_03

Quando estiver com uma dor de cabeça, por exemplo, feche os olhos e imagine toda a sua dor dentro de uma bola, que pode ser grande, média ou pequena conforme sua dor. Visualize-se dando um chute nessa bola e ela voando para bem longe. Sua dor de cabeça também vai diminuir. Aplico essa técnica, desde que aprendi com meu amigo Gilberto Cury da SBPNL, nas poucas vezes que tenho dor de cabeça e, na maior parte dos casos, ameniza bastante.<o:p></o:p>

Quando vamos viajar para um novo lugar, você já se deu conta de que o tempo de volta parece ser mais rápido do que o de ida, na maior parte dos casos?

Esses exemplos mostram que na verdade, tudo é uma questão de percepção. Ter mais tempo é uma questão de como enxergamos nosso dia a dia, a rotina e nossos objetivos. Uma percepção que altera completamente a realidade.

Todo mundo reclama que não tem tempo, pois essa é a percepção que temos coletivamente, em ambientes abarrotados de e-mails, imprevistos, esquecimentos, estresse, etc. Quando o urgente e o circunstancial se tornam predominantes perdemos a percepção do importante e com isso só pioramos nosso estado de tempo.

E se invertêssemos o binóculo nesse caso? E se colocássemos mais coisas importantes nesses dias? Claro que em primeiro lugar, você precisa saber o que é importante para você, senão fica quase impossível ter essa percepção.

Acho que um bom começo é olhar ao redor, entre seus amigos, familiares, possíveis hobbies ou esportes pelos quais você tem curiosidade. Ache alguma coisa que estimule sua curiosidade e vontade. Tem que procurar, não adianta ficar com o bundão na cadeira e achar que tudo vai chegar até você.

Depois que achar uma ou outra coisa, comece a intercalar esses momentos na sua agenda. Se o seu dia foi rodeado por situações estressantes, inclua sua aula de Yoga. Se a semana foi cheia de problemas, aproveite o fim de semana para uma viagem rápida com a família ou para conhecer novos lugares na sua própria cidade. Está sem ideias para algo novo? Experimente um curso de dança, um novo livro, um filme, etc.

Os filhos reclamam que você não tem tempo para eles? Experimente brincar de verdade uma ou duas vezes na semana! Ir à piscina ou praia e jogar uma bola com eles. Elogiar seus bons comportamentos em um almoço sem pressa, enfim, trabalhar com estas pequenas atitudes que farão a diferença no final.

A percepção é tão importante quanto as horas do seu dia, se você colocar o binóculo no lado certo, com certeza a recompensa será inevitável. Não acredite, experimente. É tudo uma questão de percepção.

Até a próxima

Atitudes do líder que ajudam o time a ser mais produtivo

    A produtividade é uma Tríade que acontece em 3 esferas. A primeira sem dúvida é a esfera pessoal, ou seja, o indivíduo aprendendo a melhorar o uso do seu tempo com técnicas de planejamento, organização, etc. A segunda é a esfera da equipe, ou seja, pessoas que juntam seus aspectos individuais de produtividade e devem seguir um modelo comum para obter resultados. A terceira esfera é a organização, ou unidade de negócio, formada pelo conjunto de equipes, que seguem estratégias de produtividade para atender os anseios da empresa.

leadership

    Na segunda esfera, onde as equipes são o foco, o papel do líder é essencial para o time ser eficiente ou perder o rumo. Selecionei alguns tópicos que considero vitais nessa esfera, para que o líder ajude seu time a atingir os objetivos:

    Estabelecer um propósito comum

    Em um mundo tão high-tech como o nosso, pode parecer antigo falar de propósito, mas esse conceito é mais atual do que nunca. As pessoas vivem por aspirações, sonhos, missões, por coisas que transcendem o salário, metas, processos e sistemas. Isso vale muito para a geração Y, pois não basta dizer o que os Y devem fazer, devemos inspirá-los a fazer por si próprio, essa é a pegada. Estabelecer um propósito comum é uma discussão que precisa ser incentivada pelo líder na equipe.

    Saber o que deve ser feito

    Pode parecer óbvio, mas infelizmente a maior parte dos líderes não tem a menor ideia do próximo passo que deve ser dado para executar o projeto, atingir os números da meta, melhorar a qualidade do atendimento, etc. E em muitos casos ele não precisa saber mesmo, mas precisa ajudar o time a descobrir. Se não há clareza do que deve ser feito, as pessoas enrolam, adiam, executam coisas secundárias e quando se vê o que é realmente importante fica de lado frente às circunstâncias e urgências. Parar e discutir os próximos passos, determinando tarefas com clareza e tempo de duração, é essencial para uma execução aprumada.

    Não gastar tempo com os que não melhoram

    Eu acho que devemos ajudar as pessoas a melhorarem sua performance. Eu acredito na Tríade de oportunidades aos membros da equipe. Errou uma vez, treine novamente. Errou a segunda na mesma coisa, construa o feedback e ajude-o a melhorar. Errou a terceira é o sinal de falta de perfil para estar naquela equipe. Errou a quarta é perda de tempo. Uma pessoa improdutiva na equipe, contamina as pessoas e tira o resultado coletivo. É comum que uma pessoa competente não consiga performar se estiver no lugar errado, com as pessoas erradas ou com a função errada. Cortá-la é um ato que será benéfico a médio prazo para ambos os lados, por mais que no início possa parecer o contrário.

    Intolerância a improdutividade

    Se algo está constantemente dando problema e entrando na urgência, é o papel do líder não aceitar que isso seja normal e atuar de forma a evitar que o problema se repita. A tolerância ao erro cria um ambiente no qual o urgente passa a ser normal e isso não será tratado pelas pessoas com a devida importância.

    Melhorar o processo de comunicação

    Quanto mais tecnologia, mais nos perdemos e pior fica a comunicação entre as pessoas. Toda equipe deveria ter um “protocolo” de comunicação, uma forma acordada entre todos, onde as coisas que todos devem saber são comunicadas no tempo e da forma correta. Um exemplo é o e-mail. Será que umas 2 ou 3 regrinhas de e-mail não fariam a diferença? Por exemplo, um assunto da seguinte forma: [ABC LTDA]-[PROJETO XPTO], pode ajudar a organizar melhor as mensagens no meio de uma Caixa de Entrada lotada.

Como manter sua produtividade nas viagens?

Algumas pessoas tem como parte de seu trabalho, a realização de viagens constantes. Muita gente acha isso o máximo: não ter rotina, cada dia estar em um lugar, aprender culturas diferentes, ganhar um monte de milhas, etc. O problema é que esse “glamour executivo” passa rápida para quem o vive constantemente.

O Felipe Pinto, é uma das pessoas que passa por isso, ele mandou essa pergunta para o blog: “estou realizando viagens frequentes e gostaria de saber como você se planeja para continuar produzindo bem mesmo com essas significativas quebras de rotina. Pois, minhas viagens acabam tendo horários previstos de saída/chegada bem diferentes do planejado inicialmente e acabo tendo dificuldades de aproveitar os intervalos de tempo livre durante a viagem.”

Durante viagem, a produtividade tem a tendência a cair, é natural, com nossa infra estrutura aérea pior ainda, mas veja algumas dicas que podem ajudar você a manter a sua performance:

Tenha tempo – Chegar com antecedência no aeroporto é importante, dá tranquilidade. Se você chega no último minuto, precisa correr para embarcar e tudo se transforma em estresse: o check in pode ter fila, você pode ser obrigado a enfrentar filas no raio X, quando chega na aeronave não tem mais espaço para suas malas e por ai vai. Isso só aumenta sua irritação, sua pressão e seu estresse, ai tudo fica um porre e a sensação da viagem só piora.

Utilize as salas VIP – A maioria dos aeroportos tem salas VIP, de cartões de crédito ou das cia. de viagem. O simples fato de ter onde sentar, ligar o micro ou ver TV, tomar um bom café e comer alguma coisa ajuda a relaxar. Vale a pena o investimento em trocar seu cartão de crédito ou ter fidelidade de alguma cia. Aérea para aproveitar esse benefício.

Relaxe durante o voo – Voar por si só é cansativo, suga sua energia. Tudo que você puder fazer para tornar o voo mais relaxado, melhor. Se você gosta de ler, leve seu livro, se gosta de ver filmes, baixe no seu computador ou tablet. Se gosta de dormir, durma. Só evite bebidas alcóolicas e refrigerantes que podem prejudicar o voo. Eu não dispenso meu tablet com meu Kindle para ler livros ou ver meus filmes. Porém quando eu estou cansado eu durmo mesmo.

Alimente-se corretamente – Uma das coisas que mais aprendi, principalmente nos voos de longa duração ou com fuso horário diferente é a importância de uma correta alimentação. Eu evito ao máximo horários de voo que vou perder meu almoço, pois isso simplesmente desregula toda minha produtividade. É vital antes de voar, tomar café, almoçar ou tomar um lanche. Durante o voo, a cada 3 horas vale o consumo de uma barrinha, de um amendoim, etc.

Planejamento prévio – Um dos maiores fatores de procrastinação de tarefas é justamente quando a pessoa tem viagens ou deslocamento para reuniões. Nesses dias o melhor é fazer uma agenda “light”, ou seja, planejar o mínimo de atividades possível. Eu uso dias de viagem apenas para checar e-mails e fazer “follow up” rápidos. Se eu coloco algo mais complicado pra fazer, simplesmente a energia não aparece. No caso de viagens internacionais, eu nunca agendo nada no próprio dia, tenho pelo menos 1 dia livre antes de qualquer coisa importante, pois isso permite adaptações ao fuso ou correção de eventuais problemas que podem acontecer.

Coloque seu hobby – Sempre que vou viajar e tenho um intervalo superior a 3 horas para algum evento ou reunião, eu coloco uma partida de tênis na agenda. Eu já procuro antes quadras próximas ao hotel e checo a logística. Isso me ajuda a relaxar, liberar endorfina e ter disposição para o que vier. Sempre que possível coloque seu hobby na viagem, seja ela qual for, vai ajudar a manter sua performance.

Trabalhar na viagem – Eu parei de trabalhar nos aeroportos, só faço isso em caso de emergência. Não digo que você tenha de fazer isso, mas para mim o cansaço mental não compensava o resultado. Prefiro trabalhar em um momento com maior disposição, pois o trabalho vai render mais. Prefiro chegar no hotel, jantar, ver minha novela e ai tocar o que precisar, afinal estarei sozinho mesmo então não tem problema trabalhar nesses horários!

Se tiver alguma dica adicional, fique a vontade de compartilhar nos comentários, no post 10 coisas para tornar suas viagens de trabalho mais rápidas e agradáveis, tem algumas dicas adicionais!

A Atitude do Presidente na Produtividade da Empresa

SeleçõesOntem tive a oportunidade de entrevistar para o Agenda do CEO, o Luis Fichman, que é presidente da Readers Digest Brasil, empresa global que publica entre outras coisas a revista Seleções (a revista mais lida no mundo) e atua em outras dezenas de segmentos.

O Luis é um CEO diferenciado, ele tem um foco em ajudar a empresa de ponta a ponta a ter mais tempo para o que é realmente importante. Ele por si próprio, é um exemplo de resultados e equilíbrio. Toca a operação no Brasil, interage com seus pares de outros países, faz esporte e faz questão de estar com a esposa e as filhas.

Na entrevista, que sai no mês que vem (abril/12) na Revista Você S/A e no portal, ele tocou em dois pontos que quero antecipar aqui no blog:

1- “se eu vejo que uma área está sobrecarregada, sempre na hora extra, as pessoas sem tempo, é meu dever e da empresa ajudar esse time”

Quantos gestores se escondem atrás da máquina corporativa e não tem coragem de lidar com problemas específicos, ou pior, culpam o time pelo problema ou não tem coragem de trocar pessoas deficitárias. O Luís foi categórico em afirmar que se a área tem um problema, ele tem um problema e é seu dever ajudar o time a ter mais tempo para executar a estratégia da empresa.

2 – “se 90% do dia das pessoas é luizreadersimprevisível e apenas 10% previsível tem algo errado na empresa”

Quantas vezes você ouve aquela famosa frase “nosso dia-a-dia é muito imprevisível para ser planejado!” ? Claro que tem áreas que são mais imprevisíveis que outras, como por exemplo varejo, editorial (no caso da Readers Digest), mas na visão do Luis (e na minha também) é sempre possível ser mais previsível e ter uma boa parte do tempo planejado. Se tudo realmente é urgência na área, tem algo errado, no processo, na gestão, no líder, na equipe, no excesso de prioridades ou em sistemas. Não dá para tirar todas as urgências, mas um líder produtivo sabe que elas podem ser minimizadas, com as atitudes corretas.

Eu fiquei impressionadíssimo com a visão produtiva que o Luís dá para a empresa, a forma como se preocupa com a qualidade de vida das pessoas, do bem estar individual e da produtividade coletiva. Quando você ver a entrevista vai ter vontade de trabalhar com ele!

Fique ligado no meu Facebook e no meu twitter que assim que tivermos o vídeo editado vou avisar por esses canais! Vale muito a pena investir seu tempo para ver esse exemplo e compartilhar com seus líderes.

Enquanto o vídeo do Luis não for publicado, aproveite para assistir outros CEOS no Agenda do CEO. Se seu presidente é um case interessante para o programa, veja se ele quer falar comigo e manda uma mensagem com os contatos!

Você gosta da segunda-feira?

   Eu tenho feito muito essa pergunta para as pessoas toda vez que tenho a oportunidade. Uma leitora me enviou um e-mail interessante sobre esse assunto e que pode ser algo que também esteja acontecendo com você:

      “…quando eu chego aqui na empresa, começo a planejar as coisas que vou fazer. Crio tarefas no Outlook, deixo tempo vago, mas chega no meio do dia e já me perdi completamente. Chego no fim do dia, não fiz nada do que me planejei, fico com a maior sensação de frustração, cansada, com dor de cabeça e no dia seguinte já fico decepcionada porque tudo vai começar novamente. Fiquei pensando na pergunta que você me fez e acho que o problema não é só com a segunda, é com a terça, a quarta, quinta, etc. “

      Eu perguntei para essa leitora se ela gostava da segunda-feira. Eu fiz a mesma pergunta para pessoas que conseguiram entrar no status de “pessoas de alta performance” (baseado em um estudo estatístico de performance). Em todas as gravações que faço da Agenda do CEO para a Você S/A, eu pergunto aos executivos que se tornaram Presidentes, se eles gostam da segunda-feira.
      Não fiz nenhum estudo aprofundado sobre o assunto, mas posso dizer que em 85% dos casos, as pessoas que amam a segunda-feira têm resultados superiores, se comparado às pessoas que não gostam da segunda-feira.
      A segunda-feira é o símbolo do primeiro dia de trabalho da semana, mas para alguns será o primeiro dia do martírio semanal, já para outras, o primeiro dia da realização de seus sonhos, para alguns o primeiro dia para buscar novas oportunidades ou o primeiro dia de problema da semana.
      Claro que tem segundas-feiras que não serão tão boas assim e às vezes até darão uma pontinha de aflição. O problema começa, quando, depois que acaba o Fantástico (ou o BBB), surge um desespero, uma angústia, uma tristeza pelo dia seguinte. Quem não gosta de nenhuma segunda-feira precisa parar um pouco para refletir sobre a sua vida. É de segunda a sexta que você faz seus sonhos saírem do lugar, poucas pessoas fazem isso no final de semana.

     Encare que você passa a maior parte da sua vida no papel profissional. Ficar com este estado de tristeza, desespero ou de conformismo na segunda-feira só piora o seu dia-a-dia! Aí não tem motivação, gestão de tempo ou programa de incentivo que dê jeito!
Tem gente que culpa a empresa, o cargo, o cliente, o tempo, o trânsito por esse estado “cadavérico” que vive na segunda-feira, o que é pior ainda. Estas pessoas costumam transferir para terceiros a sua própria incapacidade de mudar, de fazer diferente, de buscar alternativas.

       Para este perfil, a gestão do tempo será inútil, porque todo o tempo que ele poderia escolher priorizar o importante, fica abarrotado de urgências e coisas circunstanciais, e neste caso é melhor se conformar ao invés de mudar. O seu poder de escolha, planejamento, pró-atividade fica minimizado.
      Talvez você esteja passando por essa crise agora, talvez você esteja sobrevindo ai na empresa enquanto lê este e-mail. Talvez a sua segunda seja tão insuportável que você está a ponto jogar tudo para o alto.
      E se você chegou neste ponto porque não ser honesto com você mesmo e tomar uma atitude? A pior coisa que podemos viver é a auto-hipocrisia. O Brasil vive um momento singular na história, uma época de emprego praticamente pleno em diversos setores. Nunca foram criadas tantas vagas e também oportunidades para empreender. Esse é o melhor momento para buscar uma nova alternativa, algo que te faça feliz e que ajude a empresa a ser mais eficiente também!
      Se você é líder, pergunte à sua equipe se eles gostam da segunda-feira. Faça algo que permita respostas anônimas, se necessário! Obter 100% de pessoas que amam a segunda-feira vai ser impossível. Seu foco é trabalhar de forma positiva com os que não gostam e são importantes para tornar seu trabalho mais agradável e por conseqüência a sua própria produtividade e auto-motivação.
      Eu amo a segunda-feira, é o primeiro dia da semana para realizar minhas metas! Eu fico ansioso pela segunda e também pela sexta, pelo fim de semana com a minha família. Eu amo o que faço, e isso me permite criar resultados de forma equilibrada.
Você não precisa amar a segunda, mas pode gostar do que ela representa. Se não gosta, basta se perguntar: Até quando vou ficar sobrevivendo com algo que não gosto? Até quando vou gastar meu tempo à toa?

     Uma feliz semana!

João Doria Jr: modelo de produtividade e empreendedor

joao Uma boa estratégia de carreira e para a vida é selecionar um mentor, ou um modelo de atitude no qual você possa se basear para melhorar seus pontos fracos. Alguém que você admire, que sirva de inspiração e quem sabe até uma pessoa para pedir uma opinião em um momento de decisão.

Uma das pessoas que tenho como mentor e modelo de atitude é o João Doria Jr., que conheci aos 17 anos quando ele era meu cliente na Blue Eagle. Nesse tempo, nas oportunidades em que estive com ele, sempre houve aprendizado. João é um “self-made-man”, um empreendedor de visão, de credibilidade imaculável e que começando do nada fez fortuna, graças à sua atitude.

Na Triad eu aplico o padrão de qualidade Doria em tudo, eu falo isso para a equipe. Nos detalhes, na forma de entrega antes e depois do treinamento, no atendimento de nosso suporte. Esse modelo de atitude “Doria” me ajuda muito a aprimorar minhas empresas e na minha produtividade.

Aproveitando que no último final de semana fiz uma palestra no evento de confraternização do Grupo e ouvi o João falando sobre 6 princípios que resumem o “estilo Doria”, gostaria de compartilhar um pouco sobre essa atitude, para quem sabe, você possa replicar em seu dia-a-dia também.

1 – Ter atitude – O João é uma das pessoas com maior nível de iniciativa, energia e pró-atividade que conheço. Ele impõe um ritmo pessoal a ele próprio e ao time que funciona. Ele não chora pelo que deu errado, procura assumir o erro e perguntar o que será feito para resolvê-lo. Ele comentou sobre um erro que aconteceu em uma publicação do Grupo, séria, mas que em 24h foi resolvida com a equipe e com apoio também do fornecedor.

“Prefiro pessoas com atitude a pessoas com medo de erro. Errar por omissão não é aceitável, não tenha medo de errar, mas transforme o erro em aprendizado e ache rapidamente uma solução.”

2 – Qualidade Absoluta – Essa é a marca mais pessoal do João Doria Jr! Ele é detalhista, gosta de saber se tudo está adequado. Para você ter uma idéia, nos eventos que o João organiza, no checklist do hotel a espessura da toalha de banho e do papel higiênico é levantada, de forma a proporcionar o melhor aos melhores.

No coffee break do evento eu presenciei o João recolhendo as xícaras e organizando os pires. Ele contou que quando sai da empresa, vai ao banheiro para ver se está limpo e em ordem para no dia seguinte receber bem os clientes.

Ele disse uma frase que adotei: “Quem falha no pequeno, falha também no grande.” Isso é atitude mental, é uma programação para a excelência.

3 – Não repetir os erros – Errar tudo bem, mas errar novamente a mesma coisa, é preciso acender uma luz amarela.

4 – Trabalhar em equipe – O João gosta de gente, ele sempre fala na terceira pessoa, na festa ele premiou funcionários que estão com ele há 10 anos. Mas tem gente no grupo com 20, 30 anos de trabalho conjunto.

Ele tem paixão, carinho, não é um cara individualista. Compartilha os sucessos e os resultados. No dia-a-dia, é um líder firme, mas sem magoar, nunca fala palavrões, é um lord inglês.

A prova que o João gosta de gente e tem esse lado humano largamente desenvolvido é que atualmente, além da ganhadora do Aprendiz, ele contratou mais 5 meninas que faziam parte da competição. A Samara está no grupo e super feliz.

A equipe gosta muito de trabalhar com o João. Uma dessas pessoas que tenho um apreço especial é a Célia Pompéia, que é a vice-presidente do Grupo e uma das mulheres que mais deram insights na vida. O modelo dela de gestão financeira e aprovações, virou o modelo Triad financeiro.

O João é no aprendiz o que ele é na vida. Trata a faxineira da mesma forma que trata o CEO. Ele não mudou esse jeito durante os 13 anos que o conheço. Sempre me tratou da mesma forma.

5. Comprometimento – Aqui, ele novamente reforça a qualidade em absolutamente tudo. A atitude de total engajamento em obter o resultado final. Ele não deixa nada para o dia seguinte, procrastinar não é com ele. Se for preciso fica até às 4h da manhã no escritório, mas termina o que se comprometeu em fazer (ok, não gosto muito disso, mas funciona bem pra ele).

Ele planeja sempre tudo o que vai fazer. O João tem um dos modelos mentais mais produtivos que existem: escreve tudo que deve ser feito, sem exceção. Presenciei em diversos momentos, o João tirando um papel do bolso e anotando a tarefa que deveria ser feita. Ele tem um estilo tradicional e prefere delegar via papel as suas secretárias. Esse modelo mental vem desde a infância, quando ele precisava escrever para se comunicar com o pai.

6. Atingir metas – Pessoas que tem resultado, definem, planejam, compartilham e alcançam metas. O João compartilha da minha visão sobre a importância de sonhar.

“Missão dada tem de ser alcançada, de forma obstinada, com equilíbrio e bom senso. Não há dinheiro no mundo que pague o prazer de alcançar”.

Meta alcançada é compartilhada com o time, eles comemoram tudo. Toda vez que vende alguém toca o sino na empresa.

Além desses seis pontos, anotei algumas frases e atitudes do João interessantes:

“Mente comanda, corpo obedece” – Ele pratica esporte duas vezes por semana, não fuma, não bebe. “É o comprometimento com a minha saúde”

“Ore diariamente, tenha momentos de reflexão pessoal. Agradeça sua família, suas conquistas, seus amigos, sua equipe”

“Gratidão através da fé”

“Valorizem sua família, eu me emociono quando meus filhos…” nesse momento o João chorou por uns cinco minutos. A equipe levantou e aplaudiu ele de pé.

“Quando perder a humildade, perde o respeito e os princípios”

“Não seja respeitado pelo poder ou pelo medo, mas pelo exemplo.”

“Eu dei uma pasta Louis Vuiiton a todas as meninas do comercial. Eu uso a mesma cadeira que toda minha equipe. Os mínimos detalhes precisam ter qualidade”

É por estes e outros motivos que adotei o João Doria Jr como um mentor, como um modelo de produtividade e modelo de empreendedor. E você, qual o seu mentor? Por que o admira e como ele te ajuda?

Faça seu comentário e concorra ao livro do João Doria Jr, autografado! O melhor comentário, na minha opinião, vai ganhar o livro.