Anúncios

Como aumentar minha performance nos estudos?

No começo desse ano tive a oportunidade de palestrar para muitas escolas e universidades, falando sobre produtividade para estudantes. A carência nesse campo de “performance para estudos” é gigantesca, tem pouca informação e muita demanda. Recebi algumas mensagens pedindo dicas sobre esse assunto e gravei um vídeo para o meu canal do Youtube sobre isso.

Estudar, assim como trabalhar precisa de método. Com as ferramentas certas e a metodologia de estudo correta, você consegue mais resultados com menos esforços. Simples assim. Não precisa se matar de estudar se você estudar da forma adequada. A mesma coisa com seu trabalho, se você aplica técnicas de produtividade pessoal, você faz muito mais com menos esforço.

beethoven-1294417586-hero-wide-0

Pequenas mudanças em horários, na alimentação pré e durante o estudo e na forma de planejar as matérias para estudar, faz uma diferença gigantesca. Uma das coisas que defendo muito é a utilização de música para estudar. Meus pais, quando eu era criança sempre deixavam Mozart, Beethoven e mantras indianos tocando baixinho na casa. No começo eu não gostava, depois acostumei e com o tempo em uma única lida na matéria eu já tinha boa parte do assunto na cabeça sem precisar reler diversas vezes. Sem querer eles acertaram em cheio no que fez a diferença na minha vida acadêmica.

Diversos estudos comprovaram que música barroca por exemplo, aumenta muito a retenção de informações. Algumas startups como a Focusatwill.com, aproveitando esses estudos lançaram serviços de música com esse objetivo. A Amazon em seu serviço PrimeMusic, também criou seleções de músicas para estudo, criatividade, foco, etc. Essa onda veio para ficar sem dúvida.

Essa e outras dicas estão aqui no vídeo. Aproveite para compartilhar com seus filhos em idade escolar ou seus colegas que reclama que não tem disposição para ir para a faculdade ou pós graduação.

Anúncios

O Professor sem tempo

Nosso país tem algumas bizarrices que se contar ninguém acredita. Uma delas é a discrepância entre as pessoas que formam o futuro desse país, com os nossos políticos. Enquanto o professor precisa fazer o tempo render para conseguir ter um rendimento digno no fim do mês, os políticos têm tempo de sobra. Eles nem sempre vão às sessões e em algumas instancias têm 14º e ainda mais tempo de férias.  Um lutando e o outro rindo na cara da sociedade. Por isso, nesta semana não jogue fora seu voto. Cuidado com canalhas disfarçados de ovelhas que pedem seu voto. Pesquise na Internet suas propostas e depois acompanhe (utopia?).  Olha só o e-mail que recebi com uma pergunta que deu origem a este post:

tiredtecach

“…Sou professor aqui no Rio de Janeiro. Tenho 35 anos, solteiro. Para ter uma renda razoável tenho que trabalhar em 7 lugares diferentes. Trabalho inclusive aos domingos das 7h às 12h. Em todos esses ambientes tenho que fazer um planejamento diferente para cada turma, preparar cada aula, elaborar exercícios, perceber o aprendizado dos alunos, etc. Sou cercado de urgências de meus diretores o tempo todo. A cada dia que chego para trabalhar tenho algo inesperado, que mudou drasticamente. Isso ocorre porque algumas dessas pessoas são muito desorganizadas. Por conta disso sempre tenho trabalho para casa. Sempre estou muito cansado, com sono…”

Esse professor literalmente não tem tempo disponível! É um dos raros casos, onde há realmente falta de tempo e não desperdício como na maioria. Não é uma situação fácil, vai exigir um esforço grande para colocar mais tempo nessa vida, mas não é impossível. O que fazer nesse caso? As dicas vão para o professor, mas podem ser aplicadas em diversos segmentos:

1 – Planeje com mais tempo – Reserve um dia para planejar todas as suas aulas. Veja as formas de aproveitar o planejamento para as diversas escolas, ou pelo menos, para as aulas. Ao invés de planejar as aulas dos próximos dias, procure planejar as do mês ou do bimestre todo, com flexibilidade para eventuais mudanças.

2 – Apresente seu planejamento – Quando o plano estiver pronto, o apresente ao diretor, tente levantar possíveis mudanças e aprovações. Com frequência revise e reforce o plano com seu diretor, isso evita esquecimentos.

3 – Corte o que não gera resultado – Analise com frieza se os sete lugares que você trabalha realmente valem a pena. Às vezes se você cortar um ou outro, a diferença de ganho não fará grande diferença, mas vai te permitir ter mais tempo e energia, o que ajuda sempre a ter mais ideias para gerar mais dinheiro. Negocie mais aulas no mesmo lugar se for o caso, permitindo usar melhor seus recursos.

4 – Aumente o tempo para você – Quanto menos tempo, mais necessário encontrar algo de que você goste muito, como um hobby, um esporte, etc. Encaixe essa atividade sempre que tiver dias “pesados” ou cheios. Isso ajudará você a aumentar seu nível de energia pessoal, seu equilíbrio e por consequência você ficará mais disposto e produtivo. É fazer mais com menos esforço.

5 – Torne seu trabalho mais fácil – Será que existe alguma forma de reaproveitar conteúdos, provas ou material entre as aulas? Se tiver não pense duas vezes. É melhor gastar mais tempo para fazer um material que possa ser reaproveitado, do que criar diversos conteúdos.

6 – Aprenda a dizer não – Conheça seus limites. Se algum diretor está explorando seu tempo é necessário que você tenha mais assertividade em suas posições. Um não bem colocado, com embasamento não machuca ninguém, é respeito pessoal acima de tudo.

Já que não podemos mudar o Brasil tão rapidamente como gostaríamos, então vamos focar em mudar a nossa atitude e nosso tempo. Sem dúvida vai fazer uma grande diferença!

O papel do professor na gestão de tempo das crianças

Ninguém nasce produtivo, as pessoas se tornam produtivas ao longo das suas vidas. Agora é claro, que essa afirmativa poderia ser diferente, e sem dúvida pais e professores tem um papel fundamental nessa questão. É possível, de forma lúdica, ajudar as crianças a terem um futuro mais produtivo, desde cedo.

Eu tenho dois filhos, um de 5 anos e outro de 11 anos, ambos usam agenda, mas da pior forma possível. Nenhum professor os estimulou a usar do jeito produtivo. O que tenho feito e recomendo aos professores/pais é o seguinte:

1 – Tudo que a criança tiver para fazer de lição de casa, faça ele anotar na agenda (e não no caderno específico de cada lição – pois aqui é que nasce o hábito de distribuir coisas para fazer em tudo que é lugar)

2 – Estimule a criança a chegar em casa e mostrar a agenda com tudo que deve ser feito para os Pais.

3 – Ensine que cada lição ou atividade que for feita, ela deve ser riscada da agenda

4 – No dia seguinte, a professora olha a agenda de todas as crianças e as que tiverem tudo riscado, ganham um “carimbo especial da professora” (claro que isso se adapta conforme a idade). No meu caso, com o mais velho faço isso na semana (assim ele cria a responsabilidade) e com o mais novo diariamente.

5 – Isso vale também com estudo para provas ou trabalhos, você deveria estimular que a criança faça sempre com antecedência e nunca em cima da hora (talvez até bonificar de alguma forma).

É nosso papel de pais ajudar nossos filhos, mas nunca use isso como cobrança ou de forma chata, tem de ser lúdico, leve e que gere um retorno para a criança!

O assunto é legal e pretendo volta nele em post futuros…