Anúncios

Visite nosso stand na HSM Expomanagement 2010

image

Esse ano estaremos na HSM ExpoManagement expondo nossas soluções, incluindo o lançamento do Neotriad Outlook, do Neotriad for BlackBerry (powered by Simova) e do programa Triad Star.

Além disso estarei realizando duas palestras no evento:

Líder Produtivo – O papel do líder na produtividade corporativa e pessoal
Data: 09/11/2010 às 17:40h – Auditório 06

Como tornar sua empresa mais Eficiente através da Colaboração
Data: 10/11/2010 às 18:00h – Auditório 05

Para participar, o acesso a área de exposição e as palestras paralelas é gratuito, basta clicar aqui para se inscrever. No site da HSM você também encontrará informações caso deseje participar das palestras no auditório Principal. Esse ano a grande atração é o novo guru da gestão mundial, Jim Collins.

Este ano fechamos uma parceria com a HSM e desenvolvemos um canal específico sobre produtividade: http://www.hsm.com.br/especiais/especial-produtividade Dê uma conferida nos vídeos e artigos, em breve mais novidades por lá!

Anúncios

Entrevista para a HSM – Executivo usa Extremamente Mal Seu Tempo

hsm-logoSaiu hoje uma entrevista que dei para o Jorge Carvalho da HSM. O foco da matéria era falar sobre o uso do tempo pelo executivo, mas o papo foi tão descontraído que acabamos falando de uma série de outras coisas.

O texto conta um pouco da minha carreira, da história da Triad, dos livros que publiquei e do livro Estou em Reunião (nome oficial) que sai esse mês pela Editora Agir e também de alguns outros projetos.

Confira no link: http://br.hsmglobal.com/notas/52315-o-executivo-usa-extremamente-mal-o-seu-tempo

A ERA DO NÓS

Foto_andrew_lippman_465x150_030608

Na terça estive no Fórum Mundial de Marketing & Vendas da HSM (excelente evento, recomendo!), e assisti algumas palestras interessantes que valem a pena comentar aqui no blog.

O cientista do MIT Andrew Lippman (um pioneiro da tecnologia de Internet e colaboração no mundo) teve como tema central de sua palestra a criação de Sociedades Virais e Arquiteturas para o futuro.

Apesar do discurso não ter trazido nenhum segredo revelado, a sua visão e o trabalho do MIT nessa direção, mostram que cada vez mais a sociedade está cercada por comunidades virtuais e processos colaborativos interagindo no dia-a-dia, rotineiramente.

Ele citou a troca da sociedade do “EU” em ilhas isoladas pela sociedade do “NÓS”, em ilhas conectadas através da tecnologia. O que já está acontecendo como um padrão para nossa juventude, que nasce fazendo pesquisas de escola no Google e que cresce utilizando a Internet como meio de troca de experiências, conteúdo e armazenamento de informações.

Quando falei da primeira vez sobre o conceito de Distribuição para produtividade, falavam que isso nunca ia se tornar um padrão na indústria. Lembro de uma empresa que ministrava seu curso de administração de tempo com foco em um Planner de papel (não é a FranklinCovey) aonde um dos diretores disse que o Planner tinha vida longo por mais 100 anos! Ele ficou bravo quando disse que o planner ia morrer em 10 anos, quando a geração Y começasse a assumir a maioria dos cargos nas empresas.

Estou dizendo que a sociedade do “NÓS” vai matar o planner? NÃO! Quando falo do planner morrer, não estou dizendo que ele vai deixar de existir, acho que ainda tem vida longa sim, pois temos muitas pessoas que adoram escrever suas prioridades na agenda. Mas o que estamos vivendo e o que o professor Lippman mostrou é que nossa sociedade está em transformação. Nessa mudança as novas gerações usarão a web, um smartphone, um dispositivo novo qualquer conectado através de rede wireless (que, aliás, na palestra ele fala como se isso já tivesse acontecido há algum tempo) para trabalhar e definirem suas prioridades.

A produtividade será ampliada na era do “NÓS”? Isso vai depender de como seu “EU” irá interagir com essa nova realidade!

E você? Está pronto para ERA do NÓS?

O que faz seu tempo ter sentido

caminho

A HSM Online publicou um artigo do Peter Drucker aonde ele faz uma pergunta importantíssima para qualquer um que esteja precisando melhorar o uso do seu tempo:

Como você quer ser lembrado?

Quando eu tinha 13 anos, tive um professor inspirador. Certa vez, ele dirigiu-se aos alunos da sala, perguntando a cada um: “Como você quer ser lembrado?”
Nenhum de nós, é claro, tinha a resposta. Então, ele sorriu e disse: “Não esperava mesmo que vocês tivessem a resposta. Mas se vocês ainda não puderem responder essa pergunta quando estiverem próximos dos seus cinqüenta anos de idade, terão desperdiçado suas vidas.”
A turma se formou e muito tempo se passou. No 60º encontro desse grupo de ex-colegiais, muitos de nós ainda estavam vivos, porém não mantinham contato desde a formatura, de forma que o bate-papo, no início, estava um pouco artificial. Finalmente, um de nós perguntou aos demais: “Vocês se lembram do professor Pfliegler e aquela pergunta que ele fez?”

Leia na íntegra: http://www.hsm.com.br/editorias/gestaodecarreira/artgestcarr1_020408.php?mace2_cod=955&pess2_cod=201985&lenc2_cod=

Eu defendo que não devemos gerenciar o tempo, mas sim dar sentido a nosso tempo! É uma mudança de perspectiva que faz com que suas prioridades estejam alinhadas com aquilo que você realmente deseja para sua vida a curto, médio e longo prazo.

  • Que atividade no dia de hoje fará a diferença para a sua vida nos próximos anos?
  • O que você fez na última semana que você realmente gostou e fez você sentir pleno?
  • O que seus amigos, familiares e filhos estão aproveitando de você no seu tempo disponível?

Se você tem respostas vagas as perguntas acima é hora de começar a rever suas prioridades e colocar mais momentos importantes no seu dia-a-dia. A vida passa rápido demais para quem vive a urgência e a correria…

Como você gostaria de ser lembrado? Hoje é o dia certo para você construir essa resposta!

Parceria HSM e Entrevista com Jorge Paulo Lemann

Estou iniciando uma parceria com o portal HSM (Expo Management) para publicação dos meus artigos, o primeiro publicado foi o do E-Mala.

Como algumas pessoas vivem pedindo para eu escrever sobre empreendedorismo (o que pode acontecer muito esporádicamente), segue com exclusividade para o Blog Mais Tempo, segue uma das perguntas da entrevista com o empresário Jorge Paulo Lemann que estará na futura edição da HSM Management.
 

Como é seu processo de decisão na análise de um negócio novo?

Ao longo do tempo eu comecei a confiar e depender mais de estudos, projeções e várias opiniões, num processo decisório mais formal. Mas jamais dispenso o feeling. Corremos riscos mais baseados em sentimento do que em análises muito profundas. Eu diria que antes agíamos com 80% de feeling e 20% estudo e, hoje em dia, esse mix talvez seja 50%-50%, mas eu não gostaria de ir na direção de ser 90% de estudos e 10% de feeling. Acho que aquilo que você sente na barriga vale tanto quanto aquilo que está no papel.

plan

Por exemplo, no caso da compra da Brahma, se nós tivéssemos feito o due diligence [análise e avaliação detalhada de informações e documentos de determinada empresa e/ou seu ativo, com abordagem contábil ou jurídica] adequadamente, nunca a teríamos comprado. Logo depois da aquisição, descobrimos grandes problemas financeiros, especialmente no fundo de pensão.

Mas nós compramos. Por quê? Porque nosso feeling dizia que somos um país de população jovem, com muito calor, e acreditávamos que cerveja era um bom negócio mal tocado aqui. Para nós isso valia mais do que se o Lula ou o Collor ia ganhar ou se o fundo de pensão tinha ou não problema. Bom, basicamente estávamos certos, porque conseguimos transformar os cerca de US$66 milhões que botamos lá em 25% do que a Inbev vale hoje em dia.

Outra coisa: se eu vou investir numa empresa e você me disser que aquilo vai fabricar ouro em pó ou pimenta, não me interessa. Tenho muito mais interesse em ver quem está lá tocando a gestão, o que essas pessoas pensam, em que acreditam. Eu sou uma pessoa que aposta muito no ativo humano, essa é minha prioridade, sempre.

A entrevista é de José Salibi Neto (Chief Knowledge Officer do Grupo HSM)